Pix: o futuro já chegou e cabe na palma da mão

Criado pelo Banco Central, o Pix é uma nova plataforma de pagamentos que começará a funcionar em todo o país a partir de novembro deste ano. A novidade vem ganhando espaço nas manchetes da mídia nacional e, com isso, começaram a surgir os questionamentos e as dúvidas na população: mas afinal, o que muda no dia a dia dos brasileiros?

O Pix é mais simples do que parece, principalmente se comparado aos meios de pagamentos que existem hoje. Atualmente, quem deseja enviar dinheiro de uma instituição financeira para outra tem duas escolhas: ou TED ou DOC. Por meio do TED (Transferências Eletrônica Disponível), o dinheiro enviado a outra instituição é creditado na conta do destinatário até as 17h do mesmo dia. A transferência realizada após este horário é agendada para o próximo dia. Também, não existe valor mínimo e nem máximo a ser transferido. Já com o DOC (Documento de Ordem de Crédito), o dinheiro cai na conta de destino no dia seguinte, podendo levar mais de um dia útil se a transferência for feita após as 22h. Além disso, nessa modalidade existe o valor máximo de R$ 4.999,99.

Você deve estar se perguntando: Estes dois meios de pagamentos já não atendem as nossas necessidades? E a resposta que eu digo é: não! O tempo e o custo são os grandes diferenciais do PIX, pois tanto o TED quanto o DOC funcionam somente em dias úteis – ou seja, não é possível realizar a transferência em feriados e finais de semana. Já o Pix funcionará 24 horas por dia, 7 dias da semana e em todos os dias do ano. A nova plataforma de pagamentos promete realizar transações em tempo real e, dessa forma, o dinheiro cairá de uma conta para outra em questão de segundos. Outro diferencial do PIX, não menos importante, é o custo. Praticamente nulo, o valor cobrado será de R$ 0,01 a cada 10 transações.

É importante ressaltar que o Pix não se limita apenas a transferências entre instituições financeiras diferentes, ele também possibilitará mais agilidade para realizar pagamentos. Por meio do Pix, será possível a leitura de códigos de barras e QR Codes com compensação instantânea. Sendo assim, acabou a espera de até dois dias úteis para o processamento de boletos.

 

*Por Henrique Assis

Rate this item
(0 votes)
Login to post comments
Topo