Gisnei

Gisnei

O Rio Grande do Sul segue, na 37ª rodada do modelo de Distanciamento Controlado, com alto risco de esgotamento da capacidade hospitalar e velocidade de propagação do coronavírus. Pela segunda semana consecutiva, o mapa preliminar do Estado, divulgado nesta sexta-feira (15/1), ficou quase todo vermelho.

Das 21 regiões Covid, apenas uma, Caxias do Sul recebeu bandeira laranja. As demais receberam bandeira vermelha, com alto risco epidemiológico.

Veja a classificação prévia da 37ª rodada em
https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br

Para o total do Rio Grande do Sul, houve leve redução no número de confirmados em leitos clínicos (-4%) e em UTI (-3%), embora os números ainda sejam bastante expressivos – 1.102 em leitos clínicos e 847 em UTIs. Um dos piores indicadores é o número de óbito por Covid-19, que aumentou 18% entre as duas últimas quintas-feiras (de 421 para 497).

Mesmo com a expansão da rede de atendimento iniciada pelo governo do Estado em hospitais e municípios, devido ao aumento dos internados por outras causas, houve pequena elevação, nesta semana, no número total de leitos de UTI ocupados.

Em decorrência desse ainda pequeno aumento no total de leitos e a redução do número de pacientes confirmados com coronavírus em UTI, a razão de leitos livres para cada ocupado por Covid-19 ficou praticamente estável, em 0,71.

A equipe responsável pelo levantamento e monitoramento de dados do Distanciamento Controlado chama a atenção para o elevado crescimento de novos registros de hospitalizações por Covid-19 nos últimos sete dias, por local de residência, em algumas regiões.

Em Taquara, o número de internações aumentou, passando de 14 para 21 (50%) Santo Ângelo teve aumento de 12,7%; Guaíba de 10,7%; Pelotas, 10,7%; Cruz Alta, 7,1%; Santa Rosa, 6,7%; e Novo Hamburgo, 3,9%.

O Gabinete de Crise reforça que os protocolos específicos para cada bandeira não eliminam a necessidade de cumprimento dos protocolos obrigatórios previstos no Distanciamento Controlado e que devem ser respeitados em todas as bandeiras, entre os quais o uso de máscaras, distanciamento mínimo obrigatório e evitar aglomerações, além da higienização pessoal e de ambientes.


MUDANÇA DE BANDEIRAS

Laranja > vermelha
Macrorregião Missioneira: Ijuí e Santa Rosa

Nesta 37ª rodada, no mapa preliminar, Ijuí tem bandeira alterada de laranja para vermelha em decorrência do expressivo aumento de 83% no número de óbitos nos últimos sete dias (de 6 para 11). Também teve influência pela elevação dos indicadores da macrorregião missioneira: 21% no número de internados em leitos de UTI Covid; e 13% no número de internados por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) em UTI.

Santa Rosa também teve alteração em decorrência dos indicadores da macrorregião, que somados aos individuais também elevaram em 14% o número de óbitos (de 7 para 8); 7% o de hospitalizações confirmadas para Covid-19 (de 15 para 16); e 7% o número de hospitalizações confirmadas para Covid-19 registradas por 100 mil habitantes (6,34 para 6,77), todos nos últimos sete dias.


Vermelha > laranja
Caxias do Sul

A região de Caxias do Sul tem sua bandeira alterada de vermelha para laranja nesta 37ª rodada do mapa preliminar pela redução expressiva de indicadores. Dentre os individuais se destaca a redução no número de óbitos nos últimos sete dias, que foi de 68 casos para 50. Hospitalizações confirmadas por Covid-19 tiveram queda de 25% (de 259 para 194), mesma porcentagem de redução no cálculo por 100 mil habitantes, que passou de 21,83 para 16,35.

Além disso, se destaca a redução de pacientes internados em UTI (por SRAG e por confirmados Covid-19) e de confirmados Covid-19 em leitos clínicos. Enquanto na 35ª rodada a macrorregião contava com 133 pacientes confirmados internados em leitos intensivo, na 36ª rodada o quantitativo passou para 101 e, na atual mensuração, reduziu para 78. Em leitos clínicos, nas últimas três semanas o quantitativo passou de 152 para 125, e para 113 na atual mensuração. A melhora resultou no aumento do número de leitos de UTI livres para atender Covid-19 e também na razão entre leitos livres para cada leito ocupado por paciente Covid-19.

Regiões em salvaguarda

Esta semana, a salvaguarda atuou nas regiões a seguir, as mantendo em bandeira vermelha: Capão da Canoa, Novo Hamburgo, Pelotas, Passo Fundo, Palmeira das Missões e Erechim. A nova regra, desde a 35ª rodada, garante bandeiras de risco alto e altíssimo (vermelha e preta) quando a região tem elevada quantidade de novas hospitalizações de pacientes confirmados com Covid-19 (conforme a região de residência do paciente) e, ao mesmo tempo, está inserida em uma macrorregião com baixa capacidade hospitalar.

Pela nova regra, válida desde a 35ª rodada, a região recebe bandeira vermelha nas seguintes situações:
• O Indicador 6, hospitalizações para cada 100 mil habitantes da região, apresentar bandeira vermelha ou preta;
• O Indicador 8, leitos livres/leitos Covid da macrorregião, estiver menor ou igual a 0,8.

COGESTÃO

As associações regionais e, excepcionalmente, os municípios que desejarem enviar pedido de reconsideração ao mapa preliminar têm prazo de 36 horas para enviar sua solicitação ao governo. O formulário online ficará disponível até as 6h de domingo (17/1) no link https://forms.gle/XuQdbcjw6VpXUFxT7.

O número de recursos recebidos será divulgado em notícia no site do governo na manhã de domingo. Os pedidos serão analisados pelo Gabinete de Crise e o mapa definitivo, divulgado também no site às 16h30 de segunda-feira (18/1). A vigência das novas bandeiras será de 19 a 25 de janeiro.

Caso a classificação prévia seja mantida, as 18 regiões em bandeira vermelha que aderiram ao sistema de cogestão regional podem adotar os protocolos próprios compatíveis até o nível de restrição da bandeira laranja. Guaíba e Uruguaiana estão em vermelho e não aderiram à cogestão, portanto, devem seguir os protocolos determinados pelo Estado.

A região de Caxias do Sul, classificada em laranja e participante do sistema de cogestão, pode utilizar protocolos de bandeira amarela, se estiver previsto no seu plano de cogestão.

Confira os protocolos próprios de cada região: https://planejamento.rs.gov.br/cogestao-regional

REGRA 0-0

De acordo com o mapa preliminar da 37ª rodada, 448 municípios (do total de 497) estão classificados em bandeira vermelha, somando 10,1 milhões de habitantes, o que corresponde a 89,5% da população gaúcha (total de 11,3 milhões de habitantes).

Desses, 157 municípios (658,3 mil habitantes, 5,8% da população gaúcha) podem adotar protocolos de bandeira laranja, porque cumprem os critérios da Regra 0-0, ou seja, não têm registro de óbito ou hospitalização de moradores nos últimos 14 dias, desde que a prefeitura crie um regulamento local.

• Clique aqui e acesse a lista de municípios que se encaixam na Regra 0-0

RESUMO DA 37ª RODADA

Regiões que apresentaram piora (2)

LARANJA > VERMELHA
Ijuí (em cogestão)
Santa Rosa (em cogestão)

Regiões que continuaram iguais (18)
VERMELHA
Bagé (em cogestão)
Cachoeira do Sul (em cogestão)
Canoas (em cogestão)
Capão da Canoa (em cogestão)
Cruz Alta (em cogestão)
Erechim (em cogestão)
Guaíba
Lajeado (em cogestão)
Novo Hamburgo (em cogestão)
Palmeira das Missões (em cogestão)
Passo Fundo (em cogestão)
Pelotas (em cogestão)
Porto Alegre (em cogestão)
Santa Cruz do Sul (em cogestão)
Santa Maria (em cogestão)
Santo Ângelo (em cogestão)
Taquara (em cogestão)
Uruguaiana

Regiões que apresentaram melhora (1)
VERMELHA > LARANJA
Caxias do Sul (em cogestão)

• Clique aqui e acesse a nota técnica com as justificativas de classificações das regiões.

DESTAQUES DA 37ª RODADA

• número de novos registros semanais de hospitalizações confirmadas com Covid reduziu 20% entre as duas últimas semanas (1.567 para 1.256);
• número de internados em UTI por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) reduziu 2% no Estado entre as duas últimas quintas-feiras (1.008 para 987);
• número de internados em leitos clínicos com Covid no RS reduziu 4% entre as duas últimas quintas-feiras (1.147 para 1.102);
• número de internados em leitos de UTI com Covid reduziu 3% entre as duas últimas quintas-feiras (869 para 847);
• número de leitos de UTI adulto livres para atender Covid reduziu 1% entre as duas últimas quintas-feiras (de 605 para 600);
• número de casos ativos reduziu 9% entre as últimas semanas consideradas (de 27.200 para 24.811);
• número de registros de óbito por Covid aumentou 18% entre as duas últimas quintas-feiras (de 421 para 497);
• regiões com maior número de novos registros de hospitalizações nos últimos sete dias, por local de residência do paciente, são Porto Alegre (252), Caxias do Sul (194), Passo Fundo (132), Canoas (98) e Novo Hamburgo (80).

Comparativo: situação entre 17 de dezembro de 2020 e 14 de janeiro de 2021
• número de novos registros semanais de hospitalizações confirmadas com Covid reduziu 8% no período (1.372 para 1.256);
• número de internados em UTI por SRAG reduziu 13% no Estado no período (1.140 para 987);
• número de internados em leitos clínicos com Covid no RS reduziu 16% no período (1.316 para 1.102);
• número de internados em leitos de UTI com Covid no RS reduziu 9% no período (935 para 847);
• número de leitos de UTI adulto livres para atender Covid no RS aumentou 30% no período (de 460 para 600);
• número de casos ativos reduziu 40% no período (de 41.409 para 24.811);
• número de óbitos por Covid acumulados em sete dias aumentou 1% no período (de 490 para 497).

Clique aqui e acesse o levantamento completo da 37ª rodada do Distanciamento Controlado.

Texto: Vanessa Kannenberg, Juliana Roll/Ascom SPGG e Raiza Roznieski/Ascom Sict
Edição: Marcelo Flach/Secom

O Grêmio entrou em campo na noite desta sexta-feira, para enfrentar o Palmeiras, em partida válida pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. Jogando no Allianz Parque, em São Paulo, e com a equipe um pouco modificada, o Tricolor empatou em 1 a 1 com os donos da casa. 

Na etapa inicial, os adversários foram superiores, tanto que assinalaram o primeiro gol aos 32’, com Rafael Veiga. Mesmo atrás no marcador, o Grêmio tentou, voltando melhor no segundo tempo. Foi aos 42 minutos, que os gremistas deixaram tudo igual no Allianz Parque. Maicon trabalhou com Luiz Fernando na direita, que fez um cruzamento na cabeça de Diego Souza. O centroavante desviou para o fundo das redes, assinalando o gol gremista. 

Com o resultado, o Grêmio  soma um ponto na rodada, chegando a 50 na competição. 

 

Primeiro Tempo 

Os primeiros minutos foram de equilíbrio no Allianz Parque, apesar do Palmeiras logo ameaçar aos 35 segundos de jogo. No lance, Breno Lopes recebeu na meia direita e de dentro da área fez a  finalização. Vanderlei saiu bem e fez a defesa. 

Os donos da casa iniciaram o jogo mantendo maior posse de bola e impondo seu ritmo na primeira etapa. Já o Tricolor ficou um pouco mais retraído, intensificando a sua marcação. Passados 10 minutos, os paulistas chegaram novamente com Marcos Rocha, que tabelou e cruzou da direita, rasteiro, para mais uma defesa do arqueiro gremista. Em seguida, ainda insistindo no ataque, da entrada da área, Rony chutou, mas Vanderlei defendeu novamente. 

Aos 22’, quase que o marcador foi aberto pelos adversários depois de uma jogada em que Breno Lopes cruzou na pequena área para Rony completar a gol, mas o atacante carimbou a trave. No minuto seguinte, foi a vez de Willian chutar de fora da área e acertar o mesmo poste. 

A primeira finalização do Grêmio saiu aos 27 minutos, quando Pepê arriscou a meia-lua da grande área, mandando em direção a meta, mas Weverton fez a defesa. Em resposta, o Palmeiras chegou com perigo após um erro no meio-campo tricolor. Rafael Veiga se aproveitou e da intermediária, chutou forte - a bola saiu à direita da meta. 

Tanto pressionou nesta etapa, que o Palmeiras conseguiu abrir a contagem. Willian fez um cruzamento da esquerda, Rony acabou furando em bola, mas Rafael Veiga apareceu mandando para o fundo das redes, com 32 minutos jogados. 

Cinco minutos depois, Alisson recebeu na meia direita cortou pra perna esquerda e arrematou a gol, de fora da área. Weverton defendeu, mas cedeu escanteio. Na cobrança, a defesa paulista afastou. 

 

Segundo Tempo 

O Grêmio voltou a campo com a mesma formação para a etapa complementar. 

Com dois minutos de jogo, o Grêmio teve uma chance em bola parada, da intermediária. Jean Pyerre cobrou, mas Weverton afastou. Outra oportunidade saiu dos pés de Pepê, aos 6’. O atacante arrematou de fora da área, mas o goleiro paulista defendeu novamente. 

Já o Palmeiras chegou pela direita, com Breno Lopes, que foi quase a linha de fundo e cruzou, mas Vanderlei defendeu. 

Com 14’, os gremistas chegaram pela esquerda. Diogo Barbosa fez um cruzamento, mas direto nas mãos do goleiro palmeirense. 

Aos 19 minutos, os paulistas quase assinalaram o segundo gol. Depois de Rony impedir a saída de bola pela linha de fundo, colocando ela na área, Willian chegou e de voleio mandou a gol, obrigando uma grande defesa de Vanderlei. 

O Grêmio tentou pela esquerda, com um cruzamento de Pepê buscando Diego Souza, mas a bola foi muito forte e acabou com a defesa adversária, aos 24’. 

Passados 32 minutos, o Tricolor teve uma boa chance em cobrança de falta. Jean bateu, houve o desvio na barreira e a bola saiu com muito perigo, à esquerda da meta paulista. Cinco minutos depois, o Tricolor teve um escanteio. Pinares colocou no segundo poste, Diego Souza desviou, mas Weverton defendeu. 

Foi aos 42 minutos, que os gremistas igualaram o marcador no Allianz Parque. Maicon trabalhou com Luiz Fernando na direita, que fez um cruzamento na cabeça de Diego Souza. O centroavante desviou para o fundo das redes, assinalando o gol gremista. 

Ao final, Diego Souza cobrou uma ótima falta, para grande defesa do goleiro paullista, que impediu o gol da virada. 

 

Fotos: Lucas Uebel | Grêmio FBPA 

O deputado Paparico Bacchi (PL) esteve reunido com a prefeita de Sant'Ana do Livramento, Ana Tarouco (DEM). Na audiência o líder da bancada do Partido Liberal cumprimentou a prefeita que venceu as eleições de 2020 e colocou seu mandato à disposição no novo governo do município localizado na “Fronteira da Paz”.

Paparico Bacchi aproveitou o encontro para convidar a prefeita a engajar-se na mobilização pela implementação de uma escola técnica agrícola Sant'Ana do Livramento. O apoio político da nova chefe do poder Executivo do município, segundo o deputado, fortalece o movimento que já conta com a participação da Câmara de Vereadores.

Ao prestar contas do seu trabalho na Assembleia Legislativa, Paparico Bacchi destacou o foco em projetos de atenção à saúde, de apoio aos municípios e aos setores produtivos. Reiterou que não vota aumento de impostos e que acredita no desenvolvimento dos municípios como alternativa para incrementar a economia e o desenvolvimento social e econômico do Rio Grande do Sul.

Ana Tarouco agradeceu a visita antecipou que o Partido Liberal já parte do seu governo e que acredita na parceria com o deputado na articulação das demandas de interesse do município. José Honório Coelho Flores participou do encontro realizado no gabinete da prefeita.

 

Foto: Antonio Grzybowski

O Ministério da Economia publicou hoje (13) no Diário Oficial da União (DOU) portaria que oficializa o reajuste de 5,45% das aposentadorias e benefícios acima de um salário mínimo pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Com o aumento, a partir de 1º de janeiro, o teto dos benefícios pagos pelo INSS passa de R$ 6.101,06 para R$ 6.433,57.

O reajuste segue o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), conforme determina a legislação previdenciária. O indicador, calculado pelo Instituto Nacional de Geografia e Estatística (IBGE), fechou o ano passado em 5,45%.

A portaria também oficializa em R$ 1,1 mil o mínimo a ser pago em aposentadorias, pensões por morte, auxílio-doença e auxílio reclusão, entre outros benefícios especiais. Esse é o valor equivalente ao salário mínimo para 2021, que pela lei serve de piso para tais pagamentos feitos pelo INSS.

Neste ano, o salário mínimo foi reajustado em 5,29%, com base em estimativa do governo sobre o INPC.

Benefício concedido em 2020 e alíquotas de contribuição

No caso dos benefícios concedidos no ano passado, o beneficiário pode ter direito a um reajuste apenas proporcional, de acordo com o mês em que obteve o direito a receber o pagamento. Confira abaixo a tabela:

Benefícios do INSS acima de um salário mínimo têm reajuste
 

A portaria do Ministério da Economia também traz a tabela com o reajuste dos valores de base para a contribuição progressiva dos trabalhadores ao INSS. Os valores servem de referência para empregados com carteira assinada, domésticos e trabalhador avulso.

Benefícios do INSS acima de um salário mínimo têm reajuste
Benefícios do INSS acima de um salário mínimo têm reajuste - Arte/Agência Brasil

As taxas são progressivas. Ou seja, cada percentual incide somente a parte do salário correspondente a cada faixa de cobrança. Por exemplo, quem recebe R$ 2 mil pagará 7,5 % sobre R$ 1,1 mil e 9% sobre o restante, R$ 900, resultando em uma contribuição de R$ 163,50.

 

Edição: Fernando Fraga

O Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira (13), durante coletiva de imprensa, que a vacinação contra a covid-19 deverá começar simultaneamente em todos os estados do país. Segundo o secretário-executivo da pasta, Élcio Franco, os imunizantes devem ser distribuídos assim que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) validar o uso emergencial.

A reunião da Anvisa que vai bater o martelo sobre os pedidos do Instituto Butantan, em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceira com o consórcio Astrazeneca/Oxford, será realizada no próximo domingo (17).  

"É uma diretriz e nós iremos iniciar a vacinação simultaneamente nos 26 estados e no Distrito Federal. Então, não vai começar por um estado, ela começará em todos os estados ao mesmo tempo. Isso dentro de uma gestão tripartite, uma vez que quem executa a imunização é o município. É feita distribuição logística para os estados, secretarias estaduais de saúde, e destas para as secretarias municipais e para os postos de vacinação, até termos a capilaridade em nossos 38 mil postos de vacinação", informou. De acordo com Franco, todos os 5.570 municípios receberão doses de vacinas, começando pelas capitais. 

"Estamos aguardando ansiosamente autorização para uso emergencial e temporário das duas vacinas que foram solicitadas, a do Instituto Butantan, vacina produzida pelo laboratório Sinovac; e a da Fiocruz, vacina produzida pelo laboratório Astrazeneca em consórcio com Univesidade de Oxford", destacou o secretário-executivo. 

As primeiras doses a serem distribuídas são de vacinas importadas: seis milhões da CoronaVac (Sinovac/Instituto Butantan) e dois milhões de doses da vacina da Astrazeneca/Oxford/Fiocruz. Nos próximos meses, por acordo de transferência de tecnologia, tanto a Fiocruz quanto o Instituto Butantan vão produzir doses da vacina em território nacional para dar continuidade ao plano nacional de imunização. 

Questionado se o governo tem uma data para iniciar a vacinação, o secretário-executivo disse que isso ainda não foi definido.  

Requisição de seringas

Élcio Franco também informou que o governo federal fez uma nova requisição administrativa de 30 milhões de seringas a empresas do setor, após uma reunião com representantes da Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios (Abimo). 

"Nessa reunião com a Abimo, ficou acertado que, por meio de requisição administrativa, eles poderiam disponibilizar, até o final de janeiro, 30 milhões de seringas. Lembrando que o tempo todo nossa preocupação foi em usar os excedentes preservando os contratos [estoques] que haviam sido feitos com estados e municípios. Então, foi feita mais uma requisição administrativa com 30 milhões de seringas de 3 mililitros (ml), e mais 30 [milhões] de 1 ml", disse.

Na semana passada, após reunião do presidente Jair Bolsonaro com os três principais fabricantes do país, o governo já havia requisitado outros 30 milhões de seringas e agulhas. Com as duas requisições administrativas, o governo afirma ter assegurado 60 milhões seringas, além dos estoques armazenados por estados e municípios. O primeiro lote desta requisição deve ser entregue até o final de janeiro.  

Repasses

Durante a coletiva, o secretário-executivo do Ministério da Saúde informou que desde o início da pandemia a pasta habilitou 19.517 leitos de UTI e prorrogou outros 19.334. Além disso, habilitou 1.914 leitos de suporte ventilatório. Elcio Franco disse ainda que foram encaminhados mais de 306 milhões de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para as redes de saúde. 

Em relação aos testes, segundo a pasta, foram distribuídos 11,7 milhões de kits RT-PCR, tendo sido realizados 8,6 milhões pela rede pública. Na rede privada, foram processados 6,4 milhões.

Pandemia

Desde o início da pandemia no país, há 11 meses, os mortos em consequência do novo coronavírus somam 205.964 e o total de infectados soma 5,25 milhões de pessoas.

Edição: Aline Leal

O Tricolor realizou mais um treino visando o próximo confronto pelo Campeonato Brasileiro. Nesta sexta-feira, a equipe vai ao Allianz Parque enfrentar o Palmeiras, às 21h30, em duelo pela 30ª rodada da competição nacional. E ainda em preparação para o jogo, o Grêmio realizou a penúltima atividade, que foi dividida em trabalhos físicos, técnicos e táticos, na manhã desta quarta, no CT Presidente Luiz Carvalho. 

A primeira parte, após o aquecimento, foi dedicada a um trabalho de força, comandado pela preparação física, com a utilização de cinto de tração. Logo depois, o elenco foi dividido em duas equipes para um trabalho tático, utilizando todo o campo, que foi dividido em três espaços, delimitados com faixas no gramado. O objetivo era a troca de passes rápida para a transição da defesa ao ataque, avançando às linhas de forma objetiva. Para a última parte do treino, os atletas foram divididos em três grupos e realizaram um trabalho técnico em campo reduzido. Enquanto dois times se enfrentavam, o terceiro dava suporte às jogadas pelas linhas laterais de fundo. 

O zagueiro Walter Kannemann falou em entrevista coletiva logo após a atividade. Entre os assuntos abordados, projetou o confronto direto que antecede o duelo final da Copa do Brasil, ainda sem data definida, das parcerias na zaga e o momento do Grêmio no Campeonato Brasileiro. Assista a íntegra abaixo. 

O Grêmio treina nesta quinta, às 9h15, e viaja para São Paulo às 13h30. Nesta quinta, às 11h30, também tem a definição dos mandos de campo da final da Copa do Brasil. 

 

Fotos: Lucas Uebel / Grêmio FBPA 

O Sindicato Médico do RS (Simers) recebeu denúncias de irregularidades na Santa Casa de Misericórdia em Santana do Livramento e convoca os médicos de todas as especialidades para a realização de uma Assembleia Geral Extraordinária, por meio de videoconferência. Na pauta da reunião, que ocorrerá nesta quarta-feira, dia 13 de janeiro, às 19h, serão discutidos o atraso nos honorários desde o mês de novembro, o decreto 9.306, publicado em dezembro de 2020 e outros assuntos apontados pela categoria. 

Conforme a diretora de Interior da entidade, Daniela Alba, além da falta de pagamento dos salários, há informações que os profissionais estão atuando em condições precárias, especialmente em setores como clínica médica e obstetrícia.

O delegado do Simers na cidade, Felipe Cunha, citou que a prefeitura editou o decreto 9.306, que obriga os médicos a trabalharem mesmo sem pagamento dos ganhos definidos em contrato. Essa medida também estará em análise na assembleia. 

A situação foi abordada em diversas reuniões que também contaram com a participação do diretor adjunto de Interior, Willian Adami, além das assessorias Jurídica e Política da entidade.

Fonte: http://www.simers.org.br/

O pregão eletrônico realizado pelo governo do Estado para a compra de 10 milhões de seringas foi concluído com sucesso. A licitação, promovida na modalidade de Registro de Preços, garante à administração pública, pelo período de um ano, o fornecimento de seringas pelo preço acertado durante o processo, que foi de R$ 0,36 por unidade, abaixo dos R$ 0,69 estabelecidos como referência pela Subsecretaria Central de Licitações do Estado (Celic), órgão vinculado à Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG) – economia de quase 48%. Ao todo, o material terá um custo de R$ 3,6 milhões, ante R$ 6,91 milhões projetados inicialmente.

A licitação para a compra de seringa hospitalar foi uma demanda de três órgãos do governo estadual, em especial da Secretaria da Saúde (SES), para ser utilizada em campanhas de vacinação, incluindo a previsão de imunização contra o coronavírus no Estado. O pregão eletrônico foi iniciado na quinta-feira (7/1), finalizado na sexta-feira (8/1) e terá o resultado publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira (12/1).

"Ao longo da pandemia, tivemos pelo país processos de compra realizados sem sucesso, com preços elevados e suspeitas por não ter a devida transparência. Aqui no RS, mais uma vez, a equipe da Celic conclui um certame essencial com agilidade e economia de recursos para o Estado, o que trará mais segurança e qualidade nos serviços prestados à população", afirma o secretário da SPGG, Claudio Gastal.

Os certames na modalidade de Registro de Preços garantem tanto para o comprador (governo) como para a empresa fornecedora uma expectativa de aquisição. Nesse caso, o movimento realizado pelo Estado garantiu o preço e a quantidade estipulada na licitação pelos próximos 12 meses. A efetivação da compra, ou seja, o pagamento e a entrega dos materiais, poderá ser realizada de acordo com a demanda do órgão ao longo deste período.

“A licitação teve grande êxito, em especial por se tratar de item de alta procura voltado ao combate à pandemia. O certame contou com uma disputa entre três participantes, não tivemos interposição de recurso e a sessão eletrônica foi concluída no mesmo dia da abertura. Além disso, a economia e a celeridade na tramitação dada pela equipe da Celic, desde o início da demanda, também demonstram a adequação do planejamento e da condução do processo", destaca a subsecretária da Celic, Marina Dacroce.

Vacinação

Com as 10 milhões de unidades asseguradas, o material se somará às 4,5 milhões de seringas em estoque no Estado. Além disso, existem 5 milhões de agulhas que podem ser usadas em outras seringas, caso necessário, uma garantia para o início da imunização contra o coronavírus tão logo as vacinas sejam disponibilizadas.

“Para operacionalizar a campanha da vacinação da Covid-19, além do imunizante, o governo do Estado vem trabalhando em um Plano Estadual de Vacinação desde 2020. Precisamos colocar em prática toda a estrutura necessária para essa campanha tão esperada. Nesse sentido, nos preocupamos com questões como rede de frio, transporte e seringas. Além de ter em estoque, foi fundamental o sucesso do registro de preços, não só pela questão da economia, mas principalmente por poder contar com as seringas já em janeiro e podermos dar segurança ao desenvolvimento da campanha no Estado do Rio Grande do Sul”, afirma a secretária da Saúde, Arita Bergmann.

Texto: Vagner Benites/Ascom SPGG
Edição: Marcelo Flach/Secom

Com uma semana quase cheia para treinamentos, o grupo de jogadores do Tricolor se apresentou na manhã desta segunda-feira, no CT Luiz Carvalho, e deu início à preparação para o jogo de sexta-feira, contra o Palmeiras, em São Paulo. Os atletas que compuseram a delegação que chegou de Fortaleza na manhã de domingo se uniram aos que ficaram em Porto Alegre para, no campo do Centro de Treinamentos, cumprir atividades específicas com a preparação física e um treinamento técnico.

Com quatro atividades marcadas antes da viagem a São Paulo, quinta-feira, o técnico Renato Portaluppi e a comissão gremista puderam dar atenção ao condicionamento físico do grupo. O treinamento começou às 9h30 com exercícios de força e potência comandados pelos preparadores Márcio Meira, Mário Pereira e Gabriel Alves. O grupo também exercitou movimentos de jogo, antes de começar o treinamento técnico. Nesse segundo momento, a comissão comandou um enfrentamento em 2/3 do campo, com um goleiro e um coringa. Enquanto um time atacava e buscava o gol, utilizando o coringa como superioridade numérica, o adversário tinha a missão de organizar a defesa e tentar recuperar a posse da bola.

Nesta terça, Renato deve ter todo o grupo à disposição para começar a definição do time que joga contra o Palmeiras. Os finalistas da Copa do Brasil abrem a 30ª rodada do Brasileirão às 21h30 de sexta, no Allianz Parque. O empate do último sábado manteve o Grêmio na quinta posição, com 49 pontos. Logo atrás vem o Palmeiras, com 47.

Fotos: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

 

A melhoria do ambiente de negócios e o avanço das reformas estruturais são necessários para reduzir o custo de manter empresas no país, informou hoje (11) o Ministério da Economia. Em nota, a pasta lamentou a decisão da montadora Ford de encerrar a produção no Brasil e destacou que a saída do país contrasta com a recuperação na indústria nos últimos meses.

“O Ministério da Economia lamenta a decisão global e estratégica da Ford de encerrar a produção no Brasil. A decisão da montadora destoa da forte recuperação observada na maioria dos setores da indústria no país, muitos já registrando resultados superiores ao período pré-crise”, divulgou a pasta esta noite em comunicado.

Segundo a equipe econômica, o governo tem promovido ações para reduzir o custo de manter negócios no país. No entanto, a pasta pediu a aprovação de reformas que modernizem a economia brasileira. “O ministério trabalha intensamente na redução do custo Brasil com iniciativas que já promoveram avanços importantes. Isto reforça a necessidade de rápida implementação das medidas de melhoria do ambiente de negócios e de avançar nas reformas estruturais”, concluiu o texto.

Repercussões

Entidades do setor produtivo também destacaram a necessidade da aprovação de reformas. A Confederação Nacional da Indústria (CNI) afirmou, em nota, que a reforma tributária deve ser a prioridade para reduzir o principal entrave à competitividade do setor industrial brasileiro.

“O Brasil tem que lutar para melhorar sua competitividade, pois, além das fábricas, há toda uma cadeia automotiva que inclui redes de concessionárias, fornecedores de partes e peças e diversos outros serviços. Essa decisão reforça a urgência de se avançar na agenda de competitividade e redução do custo Brasil”, destacou em comunicado o diretor de Desenvolvimento Industrial da CNI, Carlos Abijaodi.

Para a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) o encerramento das atividades da Ford representa “uma triste notícia para o país”. A entidade também pediu a aprovação de uma agenda que reduza o custo Brasil e criticou a alta tributação sobre os automóveis praticada no país.

“A alta carga tributária brasileira faz diferença na hora da tomada de decisões. O custo de cada automóvel produzido aqui, por exemplo, dobra apenas por conta dos impostos”, informou a Fiesp. “Precisamos urgentemente fazer as reformas estruturais, baixar impostos e melhorar a competitividade da nossa economia para atrair investimentos e gerar os empregos de que o Brasil tanto precisa”, concluiu a entidade em nota.

Edição: Aline Leal

 

Página 2 de 471
Topo