Gisnei

Gisnei

A Anvisa concluiu, neste sábado (9), a triagem inicial dos documentos submetidos pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para autorização de uso da vacina de Oxford de forma emergencial. A partir de agora, a equipe técnica vai intensificar a análise das informações e dados apresentados pela Fiocruz.

Trata-se de uma triagem inicial, feita nas primeiras 24 horas para verificar se as informações essenciais sobre eficácia e resultados clínicos estão no processo para análise de uso emergencial pela equipe técnica da Anvisa.

Além disso, a agência também concluiu a triagem dos documentos submetidos pelo Instituto Butantan para autorização de uso emergencial da vacina CoronaVac. Os documentos foram recebidos na última sexta-feira (8).

Covid-19: vacina do Butantan atinge 100% de eficácia contra casos moderados e graves da doença

Saúde do Rio Grande do Norte realiza mapeamento do coronavírus em oito cidades

A Anvisa solicitou, ainda, a apresentação dos documentos técnicos faltantes, previstos no Guia 42/2020, que aborda os requisitos para submissão de solicitação de autorização temporária de uso emergencial das vacinas.  

A submissão dos documentos estabelecidos no Guia é condição necessária para viabilizar a avaliação, a conclusão e a deliberação sobre a autorização de uso emergencial das vacinas.



Fonte: Brasil 61

Vitória no Beira-Rio! O Clube do Povo derrotou o Goiás, no final da tarde deste domingo (10/01), em partida da 29ª rodada do Brasileirão. O triunfo, quinto consecutivo do Inter no campeonato, sexto na temporada, foi conquistado pelo placar mínimo, gol de Praxedes. Com o resultado, o Colorado chega aos 53 pontos e mantém a vice-liderança do Nacional.

O Clube do Povo volta a campo no próximo domingo (17/01), às 20h30, no Beira-Rio. O adversário será o Fortaleza, em partida da 30ª rodada do Brasileirão, de número 11 do returno nacional. No momento, o Inter soma três pontos a menos do que o São Paulo, líder.

Começo truncado

Enfrentar uma equipe com três zagueiros não é simples. Encaixado defensivamente, o Goiás dificultou as ações coloradas na etapa inicial, enquanto, na frente, Fernandão e Rafael Moura recebiam lançamentos consecutivos e somavam posse de bola para os visitantes. Durante os primeiros 30 minutos, portanto, o Inter pôde explorar apenas isolados cruzamentos, cenário alterado a partir de maior aproximação entre os jovens Nonato e Praxedes, além de crescente agressividade pelas pontas.

Em um dos muitos escanteios cavados pelo Inter nos instantes finais, Rodinei cobrou com açúcar e Praxedes, na primeira trave, testou seguro, consciente, para noivar com a nova rede da goleira do Beira-Rio. Após o tento, primeiro do jovem como profissional, o jogo viveu minutos mais abertos, mas enquanto Rafael Moura teve seu gol devidamente anulado, Galhardo esbarrou em Tadeu. Intervalo de jogo, e 1 a 0 no Gigante!


Segundo tempo aberto

Se a primeira metade da segunda etapa transcorreu em ritmo cadenciado, os últimos 20 minutos de partida testaram corações vermelhos e alviverdes. Agressivo nos contra-ataques, o Clube do Povo criou oportunidades para ampliar o placar, mas esbarrou na falta de pontaria e no brilho de Tadeu.

Do outro lado, o Goiás insistiu em seguidos cruzamentos, travados por Lomba e, é claro, Rodrigo Moledo, zagueiro que brilhou na sua atuação de número 200 com a camisa colorada. Aos 54 minutos da etapa final, Edina Alves apitou pela última vez e confirmou o importante triunfo do Clube do Povo.


Torcedor ilustre

Ídolo colorado, D’Alessandro marcou presença nas arquibancadas do Beira-Rio neste domingo. Meio-campista do Nacional-URU, cujo contrato com o Clube do Povo foi encerrado no último dia 31 de dezembro, o craque revelou toda sua paixão pelo Inter e serviu de símbolo perfeito para a Maior e Melhor Torcida do Rio Grande, apoiando os antigos companheiros desde as antigas sociais do Gigante.

Ficha técnica:

Internacional (1): Marcelo Lomba; Rodinei, Rodrigo Moledo, Vítor Cuesta e Moisés; Rodrigo Dourado (Lucas Ribeiro) e Nonato (Rodrigo Lindoso); Caio Vidal (Marcos Guilherme), Praxedes e Patrick (Peglow); Thiago Galhardo (Abel Hernández). Técnico: Abel Braga.

Goiás (0): Tadeu; Shaylon, David Duarte, Fábio Sanches, Heron e Jefferson; Breno (Daniel), Ariel Cabral (Miguel Figueira) e Douglas Baggio (Índio); Rafael Moura (Vinícius) e Fernandão. Técnico: Glauber Ramos.

Gols: Bruno Praxedes, aos 43 minutos do primeiro tempo (I).

Cartões amarelos: Breno e Heron (G).

Arbitragem: Edina Alves Batista, auxiliada por Danilo Ricardo Manis e Neuza Ines Back. VAR: José Cláudio Rocha Filho.

Estádio: Beira-Rio.

Imagens

Crédito: Ricardo Duarte

As instituições particulares de ensino superior que aderiram ao Programa Universidade para Todos (ProUni) ofertam 162.022 bolsas de estudo na primeira seleção de 2021. Gestor do programa, o Ministério da Educação (MEC) informou que, deste total, 76.855 serão bolsas integrais e 85.167, parciais, com 50% de desconto sobre o valor do curso.

A relação das instituições e dos cursos disponíveis pode ser consultada na página do programa, na internet. Também é possível pesquisar as opções ofertadas por cidades e por tipo de bolsa (integral e parcial), modalidade (presencial e a distância).

As inscrições começam na terça-feira (12) e se encerram na sexta (15). De acordo com o MEC, os estados com o maior número de bolsas ofertadas são: São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul.

Para concorrer às bolsas integrais, o estudante deve comprovar renda familiar bruta mensal de até 1,5 salário mínimo (R$ 1.650) por pessoa. Para as bolsas parciais, a renda familiar bruta mensal deve ser de até 3 salários mínimos por pessoa (R$ 3.300). É preciso ainda que o candidato tenha feito a edição mais recente do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), tenha alcançado, no mínimo, 450 pontos de média das notas e não tenha tirado zero na redação.

Além disso, é necessário que o interessado tenha cursado o ensino médio completo em escola da rede pública ou da rede privada, desde que na condição de bolsista integral. Professores da rede pública de ensino também podem disputar uma bolsa – neste caso, não se aplica o limite de renda exigido dos demais candidatos.

Como o resultado do Enem do ano passado só será divulgado após o término do processo seletivo, neste semestre, excepcionalmente, os interessados serão selecionados de acordo com as notas do Enem de 2019. O MEC pretende aplicar as provas do Enem a partir do próximo dia 17, mas algumas entidades, como a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), tentam obter, na Justiça, o adiamento das provas em virtude dos reflexos da pandemia de covid-19.

O resultado da primeira chamada será divulgado no dia 19 deste mês.

O ProUni oferece ainda duas oportunidades para os candidatos concorrerem às bolsas de estudo, que são a segunda chamada e a lista de espera. O cronograma completo também pode ser consultado na página  do programa.

Veja abaixo a tabela de oferta de vagas por estado:

EstadoBolsas integraisBolsas parciaistotal
SP 24.564 16.773 41.337
MG 7.056 11.190 18.246
PR 5.822 8.845 14.667
RS 5.272 5.253 10.525
BA 3.993 5.929 9.922
RJ 3.090 4.979 8.069
GO 2.221 5.072 7.293
SC 3.793 2.138 5.931
MA 1.320 4.608 5.931
PE 2.298 3.013 5.311
PA 2.971 1.340 4.311
ES 1.917 2.669 4.162
CE 1.917 2.186 4.103
DF 1.498 2.480 3.978
PB 1.180 1.317 2.497
RO 959 1.348 2.307
MT 1.332 965 2.297
PI 737 1.092 1.829
MS 929 853 1.782
AC 554 792 1.346
RN 729 463 1.192
AM 1.008 147 1.155
SE 297 703 1.000
AL 513 462 975
TO 566 298 864
AP 378 132 510
RR 365 120 485
TOTAL 76.855 85.167 162.022

*Com informações da Assessoria de Imprensa do Ministério da Educação

Edição: Nádia Franco

O Ministério da Saúde reafirmou, hoje (9), em nota, que todas as doses da vacinas contra o novo coronavírus que o Instituto Butantan produzir ou importar serão adquiridas pelo governo federal e distribuídas exclusivamente no Sistema Único de Saúde (SUS).

Segundo a pasta, técnicos ministeriais e representantes do laboratório paulista reuniram-se ontem (8) para discutir a incorporação da CoronaVac ao Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19.

Ao fim do encontro, ficou acertado que o governo federal terá o direito de exclusividade de compra de todo imunizante que o Butantan produzir ou importar. Além disso, caberá ao ministério disponibilizar a CoronaVac para os 26 estados brasileiros, mais o Distrito Federal, simultaneamente e proporcionalmente ao tamanho da população de cada unidade federativa.

“Assim, brasileiros de todo o país receberão a vacina simultaneamente, dentro da logística integrada e tripartite, feita pelo Ministério da Saúde e as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde”, destaca a pasta, em nota divulgada nesta tarde.

Na quinta-feira (7), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, tinha anunciado a assinatura de um contrato com o Instituto Butantan para adquirir até 100 milhões de doses da CoronaVac. Esse contrato, no entanto, previa a compra inicial de 46 milhões de unidades a serem entregues até abril deste ano e a possibilidade de aquisição de mais 54 milhões posteriormente.

O valor total da compra passa de R$ 2.677 bilhões, incluídas todas as despesas ordinárias diretas e indiretas decorrentes da execução contratual, inclusive tributos e/ou impostos, encargos sociais, trabalhistas, previdenciários, fiscais e comerciais, taxa de administração, frete e seguro, entre outras. O contrato já assinado estabelece que o pagamento seja realizado após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) conceder ao laboratório o registro ou a autorização para uso emergencial da vacina.

Nova reunião deve ser realizada nos próximos dias, com a participação do ministro da Saúde e de representantes do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) dos estados e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). Nesse encontro, serão detalhados os próximos passos da logística e do calendário da campanha de vacinação.

A CoronaVac é produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório farmacêutico chinês Sinovac.

Ainda na quinta-feira, o governo de São Paulo, ao qual o Butantan é vinculado, anunciou que os testes realizados no Brasil demonstram que a taxa de eficácia mínima da vacina contra o novo coronavírus é de 78%. De acordo com o governo paulista, entre os voluntários que participaram dos testes e contraíram a covid-19, nenhum desenvolveu a forma grave da doença. Também não foi registrada nenhuma morte entre eles.

Edição: Nádia Franco

Na manhã deste sábado (09), as Gurias Coloradas da categoria Sub-18 realizaram o treino que encerra a primeira semana de preparação visando a estreia no Campeonato Brasileiro da categoria. Ao longo da semana, o técnico Fábio Sanhudo, em conjunto com a comissão técnica, comandou atividades no gramado e na academia, em dois turnos, para o plantel colorado.

“Começamos mais uma preparação para o Campeonato Brasileiro Sub-18 2020, que foi postergado devido a pandemia. Vamos ter duas semanas de preparação antes de embarcar para Sorocaba e começamos um trabalho com as meninas 2002 e 2003 para defender o título e a gente vai chegar muito forte para a competição”, afirma Sanhudo.

A CBF divulgou a tabela detalhada dos confrontos para a competição que tem data de início prevista para o dia 26 de janeiro. O Clube do Povo faz parte do grupo A, que conta com Palmeiras, Coritiba e Bahia.

Na primeira fase, as partidas do Inter serão disputadas em Sorocaba-SP. Todos os confrontos terão transmissão pela CBF TV em parceria com a plataforma Mycujoo.

Fonte: https://internacional.com.br/

O plantel tricolor encerrou na manhã desta sexta-feira mais uma sessão de preparação para o Campeonato Brasileiro. No CT Luiz Carvalho, o técnico Renato Portaluppi encaminhou o time para o jogo deste sábado, contra o Fortaleza. O jogo no Ceará pode colocar o Tricolor novamente no G4 da competição. 

Depois de vencer o Bahia, quarta, o grupo fez trabalhos de recuperação na tarde de ontem e teve, basicamente, a atividade dessa manhã para se preparar. Por conta disso, a comissão deu atenção às valências técnicas da equipe e, também, às jogadas de bola parada. Ao chegar na concentração, no Ceará, Renato ainda reúne o grupo para exibir o vídeo pré-jogo e passar as últimas orientações. O voo com a delegação saiu do aeroporto Salgado Filho às 13h e tem previsão de chegada para 17h20. 

Apesar de encaminhado, o time não foi divulgado. Ausências e confirmações serão definidas de acordo com as avaliações físicas e fisiológicas dos atletas que estiveram em campo no jogo da última rodada. A escalação, porém, só será conhecida uma hora antes da partida. Com 48 pontos na tabela, o Grêmio tem nessa rodada nova chance de ingressar no G4 do Brasileirão. Vitória sobre o Fortaleza pode até mesmo colocar o Tricolor na vice-liderança, dependendo dos resultados das equipes à frente. 

Fotos: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

O Clube do Povo superou o Ceará, na noite desta quinta-feira (07/01), por 2 a 0. Caio Vidal e Yuri Alberto marcaram os gols da vitória colorada no Castelão, resultado que alçou o Inter à segunda colocação do Brasileirão, com 50 pontos. Os comandados de Abel Braga voltam a campo no próximo domingo (10/01), às 18h15, quando recebem o Goiás, no Beira-Rio. Vamo, Colorado!

Os primeiros cinco minutos de partida ofereceram uma propaganda enganosa do que seria a etapa inicial de confronto. Primeiro, quem levou grande perigo foi o time da casa, que só não abriu o marcador graças a Cuesta, preciso para cortar arremate sobre a linha fatal. Depois, Praxedes respondeu servindo Patrick. Já na área rival, o Panter só não finalizou pois Richard, atento, operou segura e providencial saída da meta.

Superado o intenso início de partida, o Inter somou breve período de maior posse de bola. A partir dos 15, porém, o Ceará cresceu no duelo e somou escapes perigosos. Com dificuldades para trocar passes, o Clube do Povo pouco retinha a esférica, e tinha suas raras tramas obstruídas por faltas do time local. Apesar das oportunidades criadas, o Alvinegro não conseguiu vazar a meta vermelha, e o intervalo chegou com igualdade sem gols indicada no escore.

Competência no segundo tempo

O Inter voltou com outra postura para a etapa final. Logo aos dois, Yuri Alberto colocou Richard para trabalhar, dando o tom da ânsia colorada pelos três pontos. Aos sete, o desejo passou a virar realidade: Edenilson disparou pelo centro e serviu Caio, que infiltrou nas costas da marcação e, cara a cara com o arqueiro, finalizou de canhota. Placar aberto!

A vantagem colorada encontrou, do lado cearense, resposta ofensiva. Abrindo mão de um primeiro volante de origem, Guto Ferreira ofereceu espaços que Abel Braga decidiu explorar deslocando Yuri para o corredor direito e posicionando seu xará uruguaio no comando de ataque. Aos 31, o comandante vermelho foi recompensado.

Após bola alçada por Rodrigo Moledo, Abel Hernández desviou e Yuri, fazendo o facão, disparou. Em velocidade, o camisa 11 antecipou a zaga, saiu cara a cara com Richard e, tranquilo como sempre, cavou. Inter 2 a 0, três pontos garantidos e quarta vitória consecutiva, no Brasileirão, encaminhada.

Imagens

Crédito: Ricardo Duarte

Fonte: www.internacional.com.br

A inadimplência caiu em dezembro, apesar de os consumidores estarem mais endividados, revelou a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) de dezembro, o total de famílias com dívidas ou contas em atraso caiu de 25,7% em novembro para 25,2% em dezembro.

Essa foi a quarta redução seguida do indicador. Em relação a dezembro de 2019, a proporção de consumidores inadimplentes cresceu 0,7 ponto percentual.

A parcela das famílias que declararam não ter condições de quitar o atraso, permanecendo inadimplentes, caiu de 11,5% em novembro para 11,2% em dezembro. No mesmo mês de 2019, o indicador estava em 10%.

Mais dívidas

Depois de três meses seguidos de redução, o número de brasileiros com dívidas voltou a subir em dezembro. Segundo a Peic, 66,3% dos consumidores estavam endividados no mês passado, alta de 0,3 ponto percentual com relação a novembro. No comparativo anual, o indicador registrou aumento de 0,7 ponto percentual.

Em relação aos tipos de dívida, a proporção de brasileiros que utilizam o cartão de crédito aumentou de 77,8% em novembro para 79,4% das famílias em dezembro. Essa foi a maior taxa desde janeiro de 2020. O cartão manteve-se como a principal modalidade de endividamento. A participação do cheque especial também subiu, de 5,3% para 5,5%.

Recomendações

Na avaliação da CNC, a alta do endividamento reflete a recuperação do crédito, estimulado pelos juros baixos e por estímulos concedidos durante a pandemia de covid-19. A entidade, no entanto, aconselha que os bancos alonguem os prazos de pagamento das dívidas para reduzir o risco de inadimplência no sistema financeiro. Isso porque grande parte do crédito ofertado durante a pandemia foi concedido com carência nas parcelas e deve começar a vencer no início deste ano.

A CNC também recomenda que as famílias prestem mais atenção ao orçamento doméstico após o fim do auxílio emergencial. Para a entidade, o crédito pode voltar a funcionar como ferramenta de recomposição da renda, à medida que a recuperação do emprego enfrenta incertezas.

Edição: Aline Leal

O Ministério da Saúde anunciou assinatura de contrato com o Instituto Butantan para adquirir até 100 milhões de doses da vacina Coronavac contra a covid-19 para o ano de 2021, produzidas pelo órgão em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

O contrato envolve a compra inicial de 46 milhões de unidades, prevendo a possibilidade de renovação com a aquisição de outras 54 milhões de doses posteriormente. Esse modelo foi adotado pela pasta pela falta de orçamento para comercializar a integralidade das 100 milhões de doses. Hoje o Instituto Butantan anunciou que a eficácia da vacina é de 78%.

Em entrevista coletiva no Palácio do Planalto hoje (7), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e representantes da pasta informaram o contrato de compra da Coronavac e trataram da situação da vacinação contra a covid-19.

Pazuello afirmou que a aquisição do lote da Coronavac foi possível graças à medida provisória (MP) editada ontem (6) permitindo a contratação de vacinas antes do registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“A MP nos permite fazer contratação de vacinas e outros insumos antes mesmo de estar concluído o registro na Anvisa, coisa que não era permitida. Não podia fazer nenhuma contratação que não houvesse incorporação anterior no SUS [Sistema Único de Saúde] para poder comprar”, declarou o titular do MS.

A perspectiva da pasta é que sejam disponibilizadas em 2021 até 354 milhões de doses. Este total deve ser formado por dois milhões de doses importadas da Astrazeneca da Índia, 10,4 milhões produzidas pela Fiocruz até mês de julho, 110 milhões fabricadas no Brasil pela Fiocruz a partir de agosto, 42,5 milhões do mecanismo Covax Facility (provavelmente da Astrazeneca) e as 100 milhões da Coronavac oriundas do contrato com o Instituto Butantan.

A Coronavac custará cerca de US$ 10 por dose, demandando duas doses para cada pessoa a ser vacinada. Já a da Astrazeneca tem preço de US$ 3,75 por dose. Desta última, o ministro Eduardo Pazuello afirmou que seria aplicada apenas uma dose.

O ministro Eduardo Pazuello atualizou os três cenários de início da vacinação anunciados anteriormente. No melhor caso, o processo começaria em 20 de janeiro se os laboratórios conseguirem autorização em caráter emergencial juntamente à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Nesta hipótese, estariam disponíveis oito milhões de doses. A imunização ocorreria com as vacinas que estivessem disponíveis, sejam elas as do Instituto Butantan ou as importadas da Astrazeneca da Índia.

O segundo cenário seria entre 20 de janeiro e 10 de fevereiro. Já o terceiro seria entre 10 de fevereiro e início de março. Pazuello comentou que a estimativa é que os dois produtores nacionais, Butantan e Fundação Oswaldo Cruz, cheguem ainda neste ano à capacidade de fabricação de 30 milhões de doses por mês.

O ministro contou que a equipe do órgão continua negociando com a Pfizer, farmacêutica que já teve vacinas compradas por outros países. Contudo, argumentou que a empresa apresentou exigências mal recebidas pelo MS, como a desresponsabilização por qualquer efeito colateral, a designação dos Estados Unidos como foro para resolver eventuais ações decorrentes de problemas como este e obrigação de o Brasil fornecer o material para diluir o imunizante.

“Não paramos de negociar com a Pfizer. E o que queremos? Que ela nos dê o tratamento compatível com o nosso país, que ela amenize essas cláusulas. Não podemos assinar desta forma. Ela ofereceu 500 mil em janeiro, 500 mil em fevereiro e 2 milhões em março, 2 milhões em abril, 2 milhões em maio e 2 milhões em junho. Pensem se isso resolve o problema do Brasil. Toda a vacina oferecida pela Pfizer no primeiro semestre vacina a metade da população do Rio de Janeiro”, sublinhou o ministro.

Seringas

Os representantes do Ministério da Saúde falaram também sobre o fornecimento de seringas. Um pregão foi realizado, tendo concluído com 3% do total previsto. O presidente Bolsonaro afirmou que suspenderia a compra de seringas até que os preços baixassem novamente.

O secretário executivo da pasta, Élcio Franco, colocou que há 80 milhões de seringas passíveis de mobilização imediata para o início da vacinação, incluindo as existentes em estados e municípios. Ele acrescentou que o Ministério obteve juntamente a fabricantes 30 milhões de seringas por meio do instrumento de requisição administrativa.

Outras 40 milhões podem ser adquiridas por meio de uma compra internacional da Organização Pan-americana de Saúde (Opas), das quais 8 milhões podem chegar entre o fim de janeiro e o início de fevereiro.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Ministério da Saúde assegura 354 milhões de doses da vacina contra Covid-19 em 2021. O anúncio foi feito pelo ministro Eduardo Pazuello, em pronunciamento em rede nacional de rádio e TV. Do total de imunizantes, 254 milhões serão produzidos pela Fundação Oswaldo Cruz, em parceria com a AstraZeneca, e 100 milhões de doses pelo Instituto Butantan, com a empresa Sinovac. Segundo o ministro, o governo também está em negociação com outros laboratórios, como Gamaleya, da Rússia; Janssen, Pfizer e Moderna, dos Estados Unidos; e Barat Biotech da Índia.

Durante o pronunciamento, Pazuello afirmou que o Brasil conta com um estoque de 60 milhões de seringas e agulhas, o que, segundo o ministro, é suficiente para iniciar a vacinação dos brasileiros ainda no mês de janeiro. Ele também confirmou que o País vai receber 8 milhões de seringas e agulhas em fevereiro, garantidas pela Organização Panamericana de Saúde, além de outros 30 milhões requisitados à Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos. 

Viajantes estrangeiros que vierem ao Brasil precisam apresentar PCR

Covid-19: brasileiros devem ser imunizados a partir de janeiro

O ministro da Saúde Eduardo Pazuello destacou a edição de uma medida provisória, já assinada pelo presidente Jair Bolsonaro, que trata sobre a execução do Plano Nacional de Operacionalização de Vacinação contra a Covid-19. Segundo o texto, o Ministério da Saúde será responsável por coordenar o plano. A norma também prevê a aquisição de vacinas, insumos, bens e serviços de logística e o treinamento de pessoal, para imunizar a população.



Fonte: Brasil 61

Página 3 de 471
Topo