Gisnei

Gisnei

Após um 2019 de grandes vendas, em que o Pavilhão da Agricultura Familiar registrou volume recorde de negócios, cerca de R$ 4,5 milhões, o ano de 2020 e a pandemia do novo coronavírus trouxeram um desafio para a Expointer Digital: dar espaço às agroindústrias familiares gaúchas, prejudicadas pelo cancelamento de feiras e exposições no Estado, mas garantindo a segurança e a saúde de todos.

O drive-thru da Agricultura Familiar na Expointer Digital 2020 conta com 55 empreendimentos, divididos em 52 estandes, que atendem os visitantes com produtos como salames, queijos, panificados, cachaças, sucos, vinhos, mel e artesanato produzidos em diversas regiões do Rio Grande do Sul.

drive thru agricultura familiar 2
É possível parar e conseguir uma prova, antes de concluir a volta e estacionar em frente aos boxes escolhidos para as compras - Foto: Emerson Foguinho/Ascom Seapdr

"Montamos uma estrutura capaz de garantir segurança ao visitante e boas vendas aos nossos agricultores familiares. Juntamente com uma nova Expointer, criamos novas oportunidades de negócios", disse o secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho.

O formato é diferente do grande trânsito de pessoas a que o pavilhão está acostumado: carros circulam, com motoristas e seus ocupantes observando os boxes em que os produtos da agroindústria familiar gaúcha estão exibidos. É possível parar e conseguir uma prova, antes de concluir a volta e então estacionar em frente aos boxes escolhidos para as compras.

O produtor Leonardo Machado, da Mel Machado, do município de Viadutos, tem ótimas recordações da sua primeira Expointer, a de 2019. Agora, viu no formato drive-thru uma boa chance de comercializar a sua produção. “Chegamos a vender hoje, mas acho que vai melhorar bastante ainda. Trouxemos mais mercadoria do que no ano passado, mas se conseguirmos metade do faturamento de 2019 já vai estar bom”, projeta.

Para Solange Auler Bini, da Embutidos Bini e Lácteos Auler, de Não-Me-Toque, o drive-thru é uma oportunidade de se recuperar do cancelamento de feiras e exposições este ano. “Até estamos vendendo bem, achei que não ia vender tanto assim a princípio. Tudo que vem é lucro, porque até o momento não tivemos nenhuma feira. Se a gente conseguir vender 40% do que vendemos no ano passado, será ótimo”, avalia.

Como acessar

O acesso ao Parque de Exposições Assis Brasil para o Pavilhão da Agricultura Familiar é pelo portão 1, exclusivamente para veículos, com entrada gratuita. Após o ingresso, os visitantes seguem de carro até o pavilhão, onde os produtores estão atendendo. Não é permitido que os clientes desçam dos veículos. O horário de funcionamento é das 10h às 20h. Os produtos disponíveis para retirada no parque podem ser consultados em www.expointer.rs.gov.br/drive-thru.

Os estandes estão separados de forma que duas agroindústrias fiquem lado a lado, permitindo que os veículos sejam estacionados em frente para o atendimento. Após o atendimento, o visitante pode se dirigir até o próximo estande e aguardar a liberação de vaga. O pagamento é feito com dinheiro ou cartão. O fluxo de veículos no pavilhão é controlado para evitar superlotação no local.

Texto: Elaine Pinto/Ascom Seapdr
Edição: Secom

Dados da Secretaria Especial da Cultura do Rio Grande do Sul revelam que 76 municípios gaúchos já receberam recursos da Lei Aldir Blanc, em repasses que somam mais de R$ 30 milhões. Os valores distribuídos às cidades foram definidos de acordo com o tamanho da população e com os critérios de rateio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Governo realiza primeira transferência de recursos da Lei Aldir Blanc

Municípios de Santa Catarina vão receber recursos para ajudar a cultura local

A Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc foi criada em junho deste ano para amenizar os impactos da pandemia de Covid-19 no setor cultural. A proposta da deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ) destina R$ 3 bilhões entre estados e municípios para renda emergencial de R$ 600 para os trabalhadores da cultura e manutenção de empresas e de espaços artísticos e culturais. 



Fonte: Brasil 61

Lance Sterling é o espião mais famoso e preparado dos Estados Unidos. Após voltar de uma missão e ter sua fidelidade questionada, ele conhece Walter Beckett, um cientista pouco convencional que o transforma em um pombo. Essa é a história de “Um Espião Animal”, animação que chega aos cinemas nesta quinta-feira (23).

O filme é uma clara homenagem a todos os clássicos de espionagem que já passaram pelas telonas. A diferença é que, nesta versão, a trama pode ser definida como uma paródia voltada ao público infantil. No roteiro, entretanto, ainda é possível notar todos os elementos marcantes que representam o gênero. O resultado é uma opção divertida para todas as idades.

Um ponto interessante da história é a dinâmica entre os protagonistas. Lance, que era acostumado a ser o centro das atenções, precisa aprender a ser um espião novamente, só que desta vez, em forma de um pombo. As diferenças de personalidade entre ele e Walter garantem várias cenas divertidas, até os dois perceberem que formam uma ótima dupla contra o vilão.

Outros personagens da trama, como a agente Marcy e seus assistentes Olhos e Ouvidos, também ganham seus devidos destaques, mas não chegam a ser tão memoráveis quanto os protagonistas. Por outro lado, a presença de três pombos que se juntam a Lance e Walter em sua missão é um excelente complemento para a animação, tendo em vista a representação perfeita da personalidade do animal e a importância para o crescimento pessoal de Lance.

Com originalidade, “Um Espião Animal” consegue manter a atenção do público e ganhar seu espaço como uma animação que cumpre bem a sua premissa. As dublagens de Lázaro Ramos como Lance e Taís Araújo como Marcy ajudam nesse quesito.

Repleto de cenas de ação, o filme é indicado para todas as idades. “Um Espião Animal” está em cartaz nos cinemas de todo o país a partir desta quinta-feira.



Fonte: Brasil 61



A cotação da arroba do boi gordo começou a quarta-feira (23) com alta de 0,58% e o produto é negociado a R$ 251,30 em São Paulo. Em Goiânia, o produto é vendido à vista a R$ 235,50. Já em Barretos e Araçatuba, em São Paulo, a arroba é comercializada a R$ 246,50. 

O preço do quilo do frango congelado não sofreu variação e o produto ainda é vendido a R$ 5,91. Já o preço do frango resfriado subiu 2,05% e a mercadoria é comercializada a R$ 5,98.
 
No mercado financeiro, o preço da carcaça suína especial registrou queda de 0,26% e o produto é negociado a R$ 11,73. Em Minas Gerais, o suíno vivo é vendido a R$ 8,19. No Paraná, o produto é comercializado à vista a R$ 7,60. Os valores são do Canal Rural e Cepea.



Fonte: Brasil 61

Motoristas de todo o país já podem acompanhar, receber e pagar multas por meio do aplicativo Carteira Digital de Trânsito (CDT). Isso ocorre pois o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) integrou o CDT com o aplicativo  Serviço de Notificação Eletrônica (SNE). 

Para ter acesso a nova funcionalidade, as pessoas cadastradas no SNE e no CDT apenas precisam atualizar a ferramenta na loja de aplicativos. Ao fazer o procedimento, as multas começarão a chegar pelo CDT. Vale ressaltar que para conseguir desconto de 40% em infrações, o condutor não pode entrar com recursos referentes à multa. 

Projeto de lei dobra pontos necessários para suspensão da carteira

A novidade já está disponível e valem apenas para pessoas físicas. Segundo o Denatran, pessoas jurídicas continuarão utilizando o site do SNE para monitorar as infrações dos veículos de suas frotas. 



Fonte: Brasil 61

A Caixa Econômica Federal estabeleceu novas regras para suspensão temporária dos pagamentos dos agentes financeiros ao FGTS, em operações vinculadas aos financiamentos de habitação popular. A suspensão temporária foi decidida pelo Conselho Curador do FGTS no começo de setembro e permitiu uma paralisação de 120 dias no pagamento das parcelas do financiamento pelos mutuários.

Por causa da pandemia da Covid-19 ficou determinado que várias instituições bancárias suspenderiam o pagamento de dívidas de pessoas que tivessem negócios com os bancos. Entre esses clientes estavam aqueles com crédito imobiliário - que é disponibilizado pelo FGTS. 

Então a partir do momento em que foram suspensos os pagamentos de parcelas da casa própria, por conta da pandemia, o Conselho Curador interrompeu, o recolhimento do FGTS por parte das instituições financeiras. De forma prática, significa dizer que se não há dinheiro entrando do fundo, as pessoas não poderiam utilizar esses recursos para pagar suas dívidas de financiamento da casa própria. Daí vem a importância destas normas.



O presidente da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), Sérgio Takemoto, explica o quão relevante o FGTS é para a população brasileira, principalmente em relação ao financiamento imobiliário.

“O Fundo de Garantia é essencial para o trabalhador brasileiro, ele representa uma reserva nos momentos de dificuldade, quando se é demitido ou perde o emprego. Mas também é fundamental na questão do investimento em habitação, infraestrutura e saneamento básico. O Fundo já financiou mais de 12 milhões de moradias. Isso representa mais de 17% do total de imóveis financiados no país. E ele cumpre o papel de suprir as necessidades do trabalhador nesses momentos de crise”, destacou Takemoto.

De acordo com o Ministério da Economia, a suspensão não vai implicar nenhum tipo de perda ao FGTS, é será válida para pagamentos realizados entre setembro e dezembro de 2020 com limite ao montante total de R$ 3 bilhões de reais. O valor passará a ser restituído ao Fundo a partir de janeiro do próximo ano.

Casa Verde Amarela: Programa de habitação com taxas de juros menores para famílias de baixa renda

Beneficiários do FGTS podem sacar parcela do lucro do fundo a partir de segunda-feira (31)

Para o economista Benito Salomão, a medida é necessária para a retomada de crescimento do Fundo de Garantia “dado que a crise do coronavírus suspendeu o pagamento do FGTS das instituições financeiras para com o Fundo, agora o FGTS e a Caixa estabelecem, novamente, normas para que isso possa voltar a acontecer aos poucos, de forma gradual e também fomente o Fundo de Garantia com recursos para que o crédito imobiliário não seja prejudicado. E também haja recursos para financiar habitação no sistema bancário no médio e longo prazo”, disse.   

A dedução vale para os financiamentos concedidos aos mutuários dos programas de habitação popular, com exceção do Pró-Moradia – este também faz parte dos programas de habitação popular como o Minha Casa Minha Vida, mas o contrato é assinado com estados, municípios, Distrito Federal e empresas públicas não dependentes para atendimento de famílias de baixa renda.

A Caixa Econômica informou que que mais de 2,5 milhões de famílias já se beneficiaram da pausa no pagamento das prestações habitacionais, incluindo as operações com recursos do FGTS.



Fonte: Brasil 61

Página 6 de 454
Topo