Gisnei

Gisnei

Setembro Amarelo e a saúde mental nas organizações
Por: Cecimari Antunes de Souza

Desde 2003, o dia 10 de setembro é considerado o Dia Internacional de Prevenção do Suicídio e no Brasil a data é uma oportunidade para fazer um mês inteiro de campanhas de conscientização. Mas muitas pessoas se perguntam o motivo de terem escolhido a cor amarela para representar a causa, e poucos sabem que foi em virtude de que em 1994, um jovem de 17 anos chamado Mike Emme, que morava com os seus pais na cidade no Colorado, nos Estados Unidos, se matou dentro de seu Ford Mustang 1968. O Mustang Amarelo, segundo os amigos de Mike, era seu principal passatempo. Mike reformou o carro e tinha o pintado de amarelo.

Entretanto, prefiro relacionar a escolha do mês nove (setembro) e a cor amarela pelos respectivos significados. Sabemos que a cor amarela significa luz, calor, descontração, otimismo e alegria. No momento em que exercitamos o nosso olhar para ir em busca da luz e menos para a escuridão, maior é a chance de vivermos mais felizes e otimistas. No nosso dia a dia sempre surgirão acontecimentos positivos, e também negativos, está em nós valorizarmos o que acontece de bom, e direcionarmos os nossos pensamentos para o que nos traz satisfação. Pois, se vivermos mais leves e felizes, cada vez mais saberemos valorizar a vida.

Já o número nove por sua vez é o final de um ciclo e começo de outro. Este número está associado ao altruísmo, a fraternidade e espiritualidade. A espiritualidade é outro fator que nos fortalece e nos torna seguros e confiantes, portanto, desenvolvê-la nos faz dar um sentido diferente a vida. No momento em que conseguimos desenvolver a espiritualidade, passamos com mais força pelos ciclos adversos da vida. E começamos a ter certeza que a vida é cíclica. Há momentos de sombra, mas na maior parte, são de luz, basta nos esforçarmos um pouquinho para enxerga-la.

Outro aspecto importante é fazermos o que gostamos, trabalhar naquilo que traz a satisfação profissional é uma prática que devemos sempre estar em busca. Afinal, passamos a maior parte do nosso tempo dedicado ao trabalho, por isso, é extremamente importante trabalharmos em um ambiente saudável e que propicie a qualidade de vida.

Portanto, a cultura corporativa também deve estar voltada para esse pilar. É necessário que a organização preze pelo respeito, harmonia e bom relacionamento interpessoal entre as equipes. No momento em que a empresa tem colaboradores satisfeitos e realizados, isso será refletido no engajamento, comprometimento e consequentemente no atendimento ao público alvo.

A Sicredi Pampa Gaúcho por sua vez, está atenta a essas questões e já possui uma cultura de valorização das pessoas, tanto colaboradores como também com os associados. Isso reforça e traduz o nosso propósito que é: melhorar a qualidade de vida dos associados e da sociedade. Com isso, internamente, implementamos ações com foco no bem-estar, saúde mental, autoconhecimento e autodesenvolvimento.

Também, possuímos formas e ferramentas para avaliar constantemente o clima organizacional. Temos uma pesquisa de pulso, a qual é realizada através do app Happyforce, onde acompanhamos diariamente a satisfação dos colaboradores, e quando necessário atua-se com ações em momentos de baixos índices de engajamento.

Essa é apenas uma, dentre as várias ações em que a área gestão de pessoas da Pampa Gaúcho, realiza. Temos uma preocupação genuína com o clima e bem-estar dos colaboradores. E pensando nisso, constantemente nossa plataforma de cursos e treinamentos EAD vem sendo atualizada, e além de possibilitar a ampliação do conhecimento técnico, dá oportunidade para que os colaboradores aprofundem o autoconhecimento através de webinars sobre saúde emocional, práticas de meditação, psicologia positiva, organização para uma alimentação saudável, entre outros. Com tudo isso, temos a sensação de estarmos cumprindo com o nosso papel e preservando nosso maior ativo: as pessoas.

*Cecimari é Gerente de Gestão de Pessoas da Sicredi Pampa Gaúcho

A segunda-feira foi diferente no CT Parque Gigante. A torcida colorada, sempre presente na história do Clube, mostrou sua força mais uma vez. Dezenas de torcedores chegaram em um barco ao CT e demonstraram muito apoio aos jogadores, enquanto a equipe realizava o primeiro treinamento mirando o Gre-Nal pela Libertadores da América.

Depois de agradecer o incentivo, o grupo de jogadores trabalhou forte para o clássico. O treinador Eduardo Coudet terá apenas dois dias de atividades para definir o time que entrará em campo na quarta-feira (21/09), às 21h30, no estádio Beira-Rio. O comandante não poderá contar com Moisés e Edenilson, que estão suspensos.

O Inter é o líder do grupo E da Copa Libertadores da América. O Colorado soma sete pontos em três partidas, invicto na competição continental. O treinamento que fecha a preparação está marcado para a tarde desta terça-feira.

Imagens

Créditos: Ricardo Duarte

Cerca de 300 mil pessoas deixaram o trabalho remoto em julho, o que reduziu de 12,7% para 11,7% o percentual de brasileiros em home office, mostra pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgada hoje (21) a partir de dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com a redução, aumentou a participação de brancos e mulheres entre os 8,4 milhões de pessoas que continuaram trabalhando de casa.  

A pesquisa mostra que, em maio, 63,7% dos trabalhadores em home office eram brancos, percentual que subiu para 63,8% em junho, e para 64,5% em julho. Desta forma, entre a população preta e parda, o percentual começou em 34,3% em maio, subiu para 34,4% em junho e caiu para 33,8% em julho. Se considerado todo o potencial de teletrabalho no país, 58,3% das vagas são ocupadas por brancos, e 41,7%, por negros.

As mulheres eram, em maio, 53,6% dos trabalhadores em home office, segundo o Ipea. Essa participação cresceu para 55,5% em junho, e para 55,7% em julho. Entre as vagas que poderiam funcionar na modalidade home office, segundo a metodologia da pesquisa, 58,5% são ocupadas por mulheres, e 41,5%, por homens.

As maiores disparidades encontradas pela pesquisa, entretanto, estão nos níveis de escolaridade e na diferença entre trabalho formal e informal. Entre as pessoas que estavam em home office em julho, 84,1% ocupavam uma vaga formal, e 73,5% tinham nível superior.

A distribuição etária das pessoas em teletrabalho também mostra percentuais desiguais: 1,1% tinha entre 14 e 19 anos; 22,1%, entre 20 e 29 anos; 32,1%, entre 30 e 39 anos; 24,4%, entre 40 e 49 anos; 14,8%, entre 50 e 59 anos; 5,4%, entre 60 e 69 anos; 1%, entre 70 e 79 anos; e 0,1%, com 80 anos ou mais.

Desigualdades regionais

As unidades da federação com maior percentual de trabalho remoto são Distrito Federal (25,2), Rio de Janeiro (19,1%), São Paulo (16,8%) e Paraíba (12,7%). Esses são os estados acima da média nacional de 11,7% de trabalhadores em home office. Por outro lado, Pará (3,1%), Maranhão (4,3%) e Mato Grosso (5,2%) têm os menores percentuais.

Entre todas as regiões brasileiras, o Sudeste possui o maior percentual de trabalhadores em home office, com 14,9%. Esse percentual era de 17,2% em maio, e vem caindo desde então. No Norte, o teletrabalho era de 7,1% no início da pesquisa e chegou a 4,7% em julho. A única região em que o teletrabalho avançou em julho foi o Sul, onde o percentual subiu de 9,9% em junho para 10,2%.

Pouco mais que a metade (51%) dos trabalhadores brasileiros em home office é classificada pela pesquisa como profissionais das ciências e intelectuais. Os outros grupos mais presentes são trabalhadores de apoio administrativos (11%), técnicos profissionais de nível médio (9%) e diretores e gerentes (8%).

Quando cada uma dessas categorias é analisada, a pesquisa mostra que os profissionais das ciências e intelectuais em teletrabalho representavam, em julho, 40,1% do total dessas categorias. Entre diretores e gerentes, essa fatia é de 22,8% e, entre trabalhadores de apoio administrativo, de 15,7%.

A pesquisa mostra também que o setor público (30,5%) e o setor de serviços (13,7%) têm os maiores percentuais de trabalho remoto. Comércio (4,8%), indústria (4,6%) e agricultura (0,9%) apresentam percentuais menores.

Edição: Aline Leal

A Associação Brasileira de Angus e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) anunciam, no dia 29 de setembro, os touros campeões da Prova de Eficiência Alimentar 2020 (PEA). Em função da pandemia, os resultados serão divulgados em Dia de Campo Virtual transmitido de forma simultânea pelos canais de YouTube da Angus (www.youtube.com/watch?v=cOHcR8K-Dho) e da Embrapa, a partir das 19h. Além do grande anúncio, que promete mobilizar os criatórios de Angus, a programação ainda inclui palestras técnicas sobre nutrição animal e melhoramento genético a serem ministradas pelos pesquisadores da Embrapa Pecuária Sul Renata Suñé e Marcos Yokoo.

Ao todo, 18 animais estão na disputa que considera características como Consumo Alimentar Residual (CAR), Ganho de Peso Residual (GPR), Consumo e Ganho de Peso Residual (CGPR), Ganho de Peso (GMD), Área de Olho de Lombo (AOL), Espessura de Gordura Subcutânea na Picanha (EGP), Espessura de Gordura Subcutânea de Costela (EGS) e Perímetro Escrotal. O objetivo, explica o gerente de Fomento da Angus, Mateus Pivato, é identificar os exemplares mais eficientes para produção de carne, ou seja, que comem menos e têm um aproveitamento melhor do alimento. “Isso também significa identificar exemplares que geram menos gases de efeito estufa e menos dejetos para o ambiente”, completa.

A prova iniciou-se em 15 de julho e encerra-se no dia 23 de setembro, em um total de 70 dias de avaliação nas instalações da Embrapa Pecuária Sul, em Bagé (RS). O teste de 2020 contou com exemplares da Cia Azul Agropecuária, GAP Genética e Rincon Del Sarandy, todas de Uruguaiana (RS); LS Guarita, Cabanha Santo Antão e Fazenda Reconquista, de Alegrete (RS); além de Progresso do Tarumã, de Manoel Viana (RS), Fazenda da Barragem, de Dom Pedrito (RS), Fazenda Sinuelo, de Aceguá (RS), Tólio’s Farm, de Formigueiro (RS), e Cabanha Santa Nélia, de Jaguarão (RS).

Para o presidente da Associação Brasileira de Angus, Nivaldo Dzyekanski, o teste é tendência em uma pecuária moderna e sustentável. “Selecionar nossos exemplares para essas características é mais um passo rumo a rebanhos mais eficientes e de excelência, e isso é pensar na preservação do meio ambiente”, afirma.

A prova consiste em sujeitar animais de diferentes genéticas e criatórios a um mesmo ambiente e com a mesma alimentação por um período de tempo pré-determinado. “Na medida em que esses touros têm a oportunidade de serem difusores da raça em diversos rebanhos e criatórios do Brasil, essa é uma forma de fazer o melhoramento da raça no quesito de eficiência alimentar”, afirma Renata Suñé.

Segundo o coordenador da Prova de Eficiência Alimentar (PEA) e analista da Embrapa Pecuária Sul, Roberto Collares, o teste está alinhado com as exigências atuais de, cada vez mais, buscar eficiência nas mais diversas áreas. “Esse evento tem como escopo mostrar as pesquisas em provas de avaliação genética em eficiência alimentar, tecnologia moderna, com objetivo de identificar nos reprodutores essa importante característica que será transferida para sua progênie, contribuindo sobremaneira para o melhoramento genético das raças de bovinos de corte”, ressalta.

A Polícia Rodoviária Federal apreendeu cerca de 200 litros de bebidas, queijo e jarras elétricas de origem estrangeira na noite deste sábado (19), na BR 290 em Rosário do Sul.

Durante ações de fiscalização, policiais rodoviários federais abordaram uma GM Spin emplacada em São Paulo que transitava pela BR 290. Ao vistoriarem o interior e o bagageiro do veículo, os agentes encontraram cerca de 200 litros de bebidas, dentre eles, uísque, licores, espumantes e vinhos além de 80 kg de queijo e 100 jarras elétricas.

As mercadorias, avaliadas em mais de R$ 20.000,00 eram de origem estrangeira e foram introduzidas ilegalmente no país. O material e o veículo foram retidos e encaminhados ao órgão aduaneiro.

O Complexo Esportivo Arrudão, em Francisco Beltrão (PR), recebe o reencontro entre Marreco e Carlos Barbosa, pelo Grupo B da Liga Nacional de Futsal (LNF) neste domingo (20). A partida, da nona rodada da competição, será transmitida ao vivo pela TV Brasil a partir das 11h (horário de Brasília).


“No primeiro jogo, tivemos uma leitura e postura tática muito boas, na marcação pressão e meia quadra. O que mais me agradou foi o equilíbrio entre ataque e defesa. Para essa segunda partida, o time deles deve vir com uma preparação em cima do que mostramos e precisaremos estar atentos. Será um jogo intenso, então, a equipe tem de estar intensa. Contra o Joinville, não começamos bem e tem de ser diferente contra o Carlos Barbosa”, diz o técnico do Marreco, Serginho Bigode.

“Acima de tudo, é [manter] nossa postura tática, dentro das nossas limitações, mas muito agressivos, atentos, com jogo de pivô, ultrapassagens pelo corredor, fazendo a bola chegar no ataque. Temos batido nessa tecla. Seremos muito exigidos, mas não temos que nos acuar. Os jogadores têm demonstrado um crescimento na Liga e podemos jogar bem aqui [em casa], como jogamos lá”, completa.

O tropeço contra o Marreco foi o último compromisso do Carlos Barbosa pela LNF. Em cinco jogos, o time gaúcho tem duas vitórias, duas derrotas, com um empate, somando sete pontos. A ACBF, sigla pela qual também é conhecida a equipe, é a maior campeã do torneio, com cinco títulos, o último deles em 2015.

“Pela organização das chaves, sabíamos que a Liga não seria fácil. Começamos bem [com vitória sobre o Foz Cataratas, no Paraná, por 2 a 1], mas depois, em casa, nosso percentual de aproveitamento abaixou. Tivemos uma produção ofensiva muito grande, mas não fomos efetivos. Óbvio que a parada de quatro, cinco meses, contribuiu”, analisa Edgar Baldasso, técnico do Carlos Barbosa.

Devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19), as partidas têm sido realizadas sem público. Mesmo assim, Baldasso espera o adversário com estratégia diferente da que funcionou no último dia 11 de setembro. “O Marreco apostou em uma marcação baixa, esperando para contra-atacar, e foi feliz. Tivemos oportunidades, não fomos efetivos e pagamos o preço. O que pode mudar nesse jogo [de domingo] é que acho improvável o Marreco ter a mesma postura. Isso pode beneficiar nosso jogo ou, ao menos, trazer uma divisão de responsabilidade”, projeta.

Também no domingo, duas partidas movimentam o Grupo C. Às 13h, o Campo Mourão busca, em casa, a primeira vitória na LNF 2020 diante do Jaraguá. Às 16h, Assoeva e Umuarama se enfrentam em Venâncio Aires (RS), em briga pelas primeiras colocações da chave.

Confira a classificação da Liga Nacional de Futsal.

Edição: Fábio Lisboa

O primeiro trimestre da pandemia de covid-19, declarada oficialmente em 11 de março, ocasionou uma perda média de 20,1% na renda dos brasileiros, baixando o valor de R$ 1.118 para R$ 893 mensais. No cálculo, consideram-se mercados formal e informal e também a parcela de trabalhadores sem emprego. 

No período, o coeficiente de Gini, usado para mensurar o nível de desigualdade social, aumentou 2,82%. Os apontamentos constam da pesquisa Efeitos da pandemia sobre o mercado de trabalho brasileiro, coordenada pelo economista Marcelo Neri, da Fundação Getulio Vargas (FGV). 

Conforme demonstra o estudo, observa-se que tanto a queda média na renda como o índice Gini atingiram nível recorde quando analisadas variações da série histórica, iniciada em 2012. Enquanto os mais pobres viram a renda encolher 27,9% - de R$ 199 para R$ 144 -, o impacto foi de 17,5% - de R$ 5.428 para 4.476 -, entre os 10% mais ricos do país.

Os pesquisadores atribuem a queda de mais de um quarto da renda à redução da jornada de trabalho, que foi de 14,34% na média nacional, e a outros fatores, como a própria diminuição na oferta de vagas. A taxa de ocupação, isto é, a parcela da força de trabalho que possui um emprego, também caiu 9,9%. 

O estudo afirma que a situação pesou mais entre indígenas, analfabetos e jovens de 20 a 24 anos. De acordo com os pesquisadores, mulheres foram mais afetadas, com 20,54% de queda na renda, contra 19,56% dos homens.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Em agosto, metade das operadoras de turismo vendeu viagens para os meses de novembro e dezembro deste ano, segundo balanço divulgado pela Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa). As operadoras são empresas que montam pacotes e programas de viagens, que são comercializados pelas agências de turismo, e os membros da associação representam 90% dos roteiros de lazer vendidos no Brasil.

A associação avalia que o setor passa por uma retomada gradual e lenta, depois de ter sido duramente impactado desde março pela pandemia de covid-19, que exige o distanciamento social como principal medida de prevenção. Em abril, 54% das operadoras não realizaram nenhuma venda, enquanto em agosto o percentual foi de 21%.

O faturamento das empresas ainda segue bem abaixo de 2019, segundo o balanço divulgado. Para 40% das empresas, o faturamento em agosto teve uma perda de 90% em comparação com agosto do ano passado. Apesar disso, 87,5% das operadoras de turismo consideram que agosto foi melhor ou igual a julho.

A expectativa do setor é que o segundo semestre de 2020 tenha um faturamento menor que a metade do registrado no mesmo período em 2019. Essa é a previsão de 71% das operadoras, que lidam com a redução da capacidade de todos os serviços relacionados ao turismo, como voos, restaurantes, hotéis e outros serviços.

Ano que vem

A pesquisa da associação mostra, ainda, que 67% das operadoras venderam pacotes para o primeiro semestre de 2021. Entre as empresas consultadas, 29% declararam ter comercializado também para o próprio mês de agosto, 44% para setembro e 46% para outubro. Os percentuais superam o segundo semestre de 2021, que foi comercializado por 38% das empresas.

Um dos destaques do balanço é a redução do cancelamento de viagens. Em julho, 73% das operadoras tiveram vendas canceladas, enquanto em agosto o percentual caiu para 30%.

Destinos preferidos

O destino vendido com mais frequência foi o Nordeste, com embarques comercializados por 83% das operadoras. Em seguida, vieram Sudeste (80%), Europa (75%), Sul (74%), Centro-Oeste (70%), Norte (62%), América Central/Caribe (62%), América do Sul (55%), América do Norte (48%), Ásia (48%), Oceania (48%) e África (24%).

Os destinos mais procurados no Nordeste são Salvador e Porto de Galinhas, enquanto no Sudeste figuram Angra dos Reis e interior de São Paulo. No exterior, os embarques mais vendidos são para Portugal, Itália, Cancún, Punta Cana, Orlando, Miami,  Maldivas, Argentina e Peru.

Edição: Kleber Sampaio

 

O governo federal publicou nesta sexta-feira (18) um edital que oficializa a convocação dos peritos médicos federais e supervisores médico-periciais para retorno ao atendimento presencial em 150 agências da Previdência Social em todo o país. A medida foi publica em edição extra do Diário Oficial da União e é assinada pelo secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, e pelo secretário da Previdência, Narlon Nogueira. 

"A presente convocação não se aplica aos servidores enquadrados nas hipóteses específicas de trabalho remoto e demais situações de afastamento do trabalho, conforme normas em vigor. À medida que novas agências da Previdência Social forem inspecionadas e consideradas adequadas para a prestação do atendimento presencial pela perícia médica federal, novos editais de convocação serão publicados com a atualização da relação", diz o edital de convocação. O secretário Bruno Bianco assegurou que o serviço de perícia médica será retomado a partir da próxima segunda-feira (21).  

Agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) foram reabertas para atendimento presencial na última segunda-feira (14). Entretanto, os médicos peritos decidiram não retomar as atividades por considerar que não havia segurança para o trabalho devido à pandemia de covid-19 e todas as perícias médicas agendadas foram suspensas até a adequação das agências.

Ontem (17), o INSS informou que, após inspeções realizadas durante a semana, foi concluído que das 169 agências que possuem serviço de perícia médica, 111 já estão aptas a atender o público. Segundo o órgão, o agendamento estará disponível em breve pelo portal Meu INSS ou pelo telefone 153.

Ainda segundo o INSS, foi verificado que as agências e salas de perícia cumprem os protocolos sanitários estabelecidos pelo Ministério da Saúde, a fim de garantir a segurança de servidores e cidadãos com relação à pandemia da Covid-19.

Em nota, a Associação Nacional dos Médicos Peritos da Previdência Social (ANMP) afirmou o governo "rompeu o diálogo" com a categoria e que irá refazer, por conta própria, as vistorias nas agências da Previdência Social que foram consideradas aptas pelo INSS.

"Devido ao impasse causado pela ruptura de diálogo da Secretaria de Previdência com a Perícia Médica Federal, foi necessário tomar esta atitude visto que a população estava sendo prejudicada pela irresponsabilidade e falta de governança do Ministério da Economia, que está colocando em risco a vida de milhares de pessoas", criticou a entidade. "Medidas de força do governo para obrigar o servidor a arriscar sua saúde e sua vida a trabalhar em agências inadequadas serão combatidas no mesmo patamar", acrescentou.

Edição: Denise Griesinger

Apesar de o título da Liga dos Campeões  ter escapado do Paris Saint-Germain, da França, o futebol apresentado por Neymar na reta final da competição deixou Tite animado. O técnico da seleção brasileira comemorou a possibilidade de ter o atacante em grande fase técnica e física para o início das Eliminatórias da Copa do Mundo, em outubro, contra Bolívia e Peru.

"O Neymar, nesse grande grande momento, é extremamente importante e diferenciado, sem os problemas clínicos que o afetaram, e dando sequência à plenitude da condição. Estava tentando lembrar da última vez que a gente o teve nessa plenitude", destacou Tite, em entrevista coletiva nesta sexta-feira (18), transmitida pela CBFTV. "A seleção procura o atleta no melhor momento, para que ele nos transfira o conjunto da obra. Neymar é um líder técnico extraordinário", completou.

Entre 2018 e 2019, Neymar raramente esteve 100% com a seleção. Uma fratura no quinto metatarso do pé direito, além de uma lesão no tornozelo da mesma perna, atrapalharam o atacante na Copa do Mundo da Rússia. As contusões voltaram a incomodar o camisa 10 no ano passado. Em junho, antes da Copa América, ele voltou a sentir o tornozelo logo no início de um amistoso contra o Catar, em Brasília, e foi cortado da competição.

A expectativa da comissão técnica é que Neymar seja um dos líderes em uma convocação que também reúne caras novas, como o meia Bruno Guimarães, do Lyon (França), o atacante Rodrygo, do Real Madrid (Espanha), e o volante Gabriel Menino, chamado como lateral, mas que atua como meio-campo pelo Palmeiras.

"Ele [Neymar] terminou a Champions jogando com muita qualidade. A gente o espera como um esteio para essa meninada, com liderança técnica, e outros atletas também com liderança de comando, de postura forte, de combatividade", disse Cleber Xavier, auxiliar de Tite, também na coletiva.

As presenças de Rodrygo e Gabriel Menino, aliás, foram temas recorrentes na entrevista. Sobre ambos, Tite e comissão técnica enalteceram a polivalência dos atletas. Especificamente a respeito do palmeirense ter sido chamado como lateral, e não como volante, o treinador revelou que a coleta de informações não se limitou aos jogos do Verdão na temporada.

"Ele teve formação como lateral, também. Falamos com Ângelo, do sub-15 do Guarani, com o Paulo [Vitor Gomes], da seleção sub-17 e que era da sub-15. Temos as informações das características pessoais e técnicas do atleta, além do acompanhamento in loco em quatro jogos e oito pela TV. É um novo talento surgindo em uma posição importante. Em termos táticos, o Daniel Alves, que joga no meio pelo São Paulo, faz uma função de armação que é a mesma que faz na seleção. O inverso serve para o Menino. Ele trabalha pelo centro, mas sua função ofensiva será de articulador, similar ao Palmeiras", explicou o técnico.

Já sobre Rodrygo, Cléber Xavier destacou a capacidade do atacante cair pelos dois flancos.

"Ele é um jogador de lado esquerdo, mas também atuou no Santos pela direita. No Real, incorporou esse lado direito. É muito forte no um contra e um e nos traz essa opção para determinados momentos do jogo", justificou o auxiliar. "Ele abre o campo, para dar espaço de infiltração, e tem naturalidade nos movimentos", completou Tite.

A seleção brasileira estreia nas eliminatórias no próximo dia 9 de outubro, contra a Bolívia, na Neo Química Arena, em São Paulo (SP). Quatro dias depois, visita o Peru, em Lima. Devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19) e às medidas de segurança sanitária que têm sido adotadas para os jogos, não haverá presença de torcedores.

"Estar perto do torcedor é uma energia inconteste. Fui assistir a um jogo no Maracanã, da cabine. Você olha, não vê público, é estranho. Você quer voltar a trabalhar em um ritmo normal e pensa: 'não é normal ainda, calma'. As coisas estão voltando aos poucos. Nada substitui o contato humano", concluiu o técnico brasileiro.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Página 7 de 454
Topo