Gisnei

Gisnei

Os associados da Sicredi Pampa Gaúcho não pagarão a tarifa sobre o cheque especial e ainda terão os juros reduzidos conforme o perfil de cada associado. A decisão entrou em vigor no início de janeiro de 2020.

Segundo o Diretor Executivo, Henrique Assis, a decisão tem como objetivo beneficiar ainda mais os nossos associados. “Vimos que a isenção da tarifa no cheque especial autorizada pelo Banco Central não era o suficiente para que os nossos associados fossem de fato beneficiados, então decidimos por também reajustar o valor dos juros.”

Os valores dos juros reajustados serão de acordo com cada perfil de cada associado da Sicredi Pampa Gaúcho, começando na faixa de 2,99 até 7,99% ao mês. “É necessário que o associado compareça a sua agência para saber mais informações e benefícios” conclui o diretor, Henrique Assis. Somente assim, estaremos efetivamente melhorando com a qualidade dos mais de 64 mil associados e das comunidades onde estamos inseridos.

Émilly Pons

Analista de Comunicação e Marketing

A equipe feminina do Tricolor está de volta! Após um mês de férias, o elenco das Gurias Gremistas se reapresentou nesta segunda-feira, 6, para dar início à preparação para o Campeonato Brasileiro A1. A competição inicia dia 9 de fevereiro e o Tricolor faz a estreia em casa, diante do Minas ICESP.

A manhã foi de testes e trabalhos físicos voltados para a adaptação das atletas. Segundo a preparadora física, Karla Loureiro, os primeiros dias serão de exames médicos de rotina e mais testes físicos, que servirão para avaliar e preparar as jogadoras.

“Hoje fizemos o teste nórdico e também um trabalho de força dos membros inferiores, junto a uma avaliação antropométrica. Amanhã daremos sequência aos testes para sabermos exatamente em que nível elas retornaram das férias. Vamos focar nos trabalhos físicos e aos poucos, iremos incrementar a bola, acrescentando a parte técnica e tática”.

No início da tarde, o elenco, comissão técnica e diretoria se reuniram para falar sobre os objetivos de 2020 e para explicar as etapas da pré-temporada, que acontecerá no Vieirão e também no Centro de Formação e Treinamentos Presidente Helio Dourado, em Eldorado do Sul. 

Ao todo 22 atletas deram início aos trabalhos e alguns reforços deverão ser anunciados oficialmente nos próximos dias. A técnica Patrícia Gusmão segue no comando da equipe, auxiliada pelo Yurinha, e projeta o Grêmio competitivo no Campeonato Brasileiro para consolidar o Clube como uma equipe da elite do futebol feminino brasileiro.

“Além de iniciarmos a pré-temporada com as atletas que permaneceram na equipe, o foco ainda segue em fortalecer ainda mais este grupo, com contratações pontuais que se fazem necessárias”, disse.

Reformulação

Ao contrário da temporada passada, quando o Grêmio chegou a contar com quase 40 atletas no elenco, em 2020 o grupo deve ser reduzido para aproximadamente 28. Com o término do contrato, 14 atletas não permanecem no Tricolor, de acordo com a nota publicada no último dia 31.

A exemplo do que aconteceu após o término no Campeonato Brasileiro em 2019, quando foram contratadas 12 atletas, o Grêmio seguirá o processo de remontagem do time para a série A1 ainda em janeiro, com a contratação de novos nomes para vestir a camisa tricolor.

“Optamos por essa reformulação para ter um melhor aproveitamento das atletas durante o ano, já que no ano passado não utilizamos muitas delas por lesões, o que dificultou o rendimento da equipe em jogos decisivos”, disse o diretor de futebol feminino, Julio Tittow, o Yura.

Foto: Morgana Schuh / Grêmio FBPA

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou hoje (6), após se reunir com o presidente Jair Bolsonaro, que o governo federal estuda formas de compensar uma eventual alta no preço dos combustíveis, caso a crise envolvendo Estados Unidos e Irã impacte com mais força o preço internacional do petróleo.  

"Temos que criar, talvez, mecanismos compensatórios que compensem esse aumento sem alterar o equilíbrio econômico do país. Que isso não gere inflação, mas também não frustre expectativa de receitas", adiantou o ministro em coletiva de imprensa, ao lado do presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, e do diretor-geral da Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP), Décio Odone.

Albuquerque praticamente descartou a possibilidade de o governo instituir algum tipo de subsídio para segurar alta do combustível, como foi feito, em 2018, no governo de Michel Temer, frente ao aumento no preço do óleo diesel, uma das principais reclamações dos caminhoneiros, que paralisaram o país durante uma greve em maio daquele ano.

"Não sei se será feito com impostos [subsídios], certamente não vamos procurar esse caminho dos impostos para não onerar mais ainda, mas se há maior receita, talvez possa haver uma compensação em cima disso e esse é um dos instrumentos que estão sendo analisados", disse.

Redução de ICMS

Uma proposta apresentada pelo próprio presidente da República é a possibilidade do estados reduzirem a alíquota do ICMS sobre combustíveis, um imposto estadual, que tem forte impacto na formação do preço final nos postos.    

"Aproximadamente um terço do preço combustível, no final, são impostos estaduais, o ICMS. No Rio de Janeiro, por exemplo, está em 30%", afirmou Bolsonaro a jornalistas na portaria do Ministério de Minas e Energia.

O preisidente Jair Bolsonaro, e o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, falam à imprensa após reunião no ministerio de Minas e Energia
O preisidente Jair Bolsonaro, e o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, falam à imprensa após reunião no ministerio de Minas e Energia - Fabio Rodrigues Pozzebom/Agênci

O presidente voltou a dizer que não adotará nenhuma política de controle de preços. "Não existe interferência do governo. Não sou intervencionista, e essa política está muito bem conduzida pelo nosso ministro, almirante Bento".

Na coletiva de imprensa, perguntado sobre uma possível compensação tributária por parte dos estados, Bento Albuquerque disse que a ideia está sendo estudada e que poderá ser discutida no âmbito do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), que reúne secretários da Fazenda dos estados, integrantes da pasta e o governo federal. "Isso já está sendo discutido, no âmbito do governo, para que quando tiver essa pauta, possam haver uma reunião, no mais alto nível, com o presidente e os governadores".

Política de preços

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, afirmou que não sofre qualquer pressão para interferir nos preços praticados pela companhia, que controla 98% do refino de combustível no Brasil. "A lei, desde 2002, diz que existe liberdade de preços de combustíveis. E o governo Bolsonaro vem praticando isso. Não recebi, em nenhum momento, pedido, pressão, sugestão, nem do almirante Bento, nem do presidente Bolsonaro, para baixar o preço, fazer isso ou aquilo. Existe liberdade total, na prática, para o preço de qualquer derivado de petróleo".  

O diretor geral da ANP, Décio Oddone, o  ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque, e o presidente da Pretrobrás, Roberto Castello Branco, durante coletiva no MME
O diretor geral da ANP, Décio Oddone, o ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque, e o presidente da Pretrobrás, Roberto Castello Branco, durante coletiva no MME - Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Castello Branco também disse que não acredita que a atual crise envolvendo EUA e Irã possa causar impacto econômico de longo prazo, e que o recente aumento no preço do barril de petróleo está em processo de recuo. "Nós achamos pouco provável que uma crise política acabe resultando em uma crise econômica, porque o pólo dinâmico de crescimento da produção de petróleo não é mais a OPEP [Organização dos Países Produtores de Petróleo], é de países fora da OPEP, principalmente os Estados Unidos”.  

O presidente da Petrobras pontuou ainda que produção americana tem capacidade de reagir rapidamente a preços, o que desarma a possibilidade de um preço elevado se manter durante um período razoavelmente longo. “Evidentemente que surpresas podem acontecer, mas nós estamos acreditando que é muito pouco provável que nós tenhamos, desse choque que houve, um aumento de aproximadamente US$ 3 no preço do barril de petróleo, os mercados já se acalmaram mais um pouco”.

Edição: Aline Leal
 
Por Pedro Rafael Vilela - Repórter da Agência Brasil

Em reunião com o secretário da Educação, Faisal Karam, e integrantes da pasta, juntamente com o procurador-geral do Estado, Eduardo Cunha da Costa, e a secretária de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leany Lemos, o governador Eduardo Leite decidiu antecipar o encontro com o Cpers-Sindicato para esta terça-feira (7/1), às 11h.  Eles serão recebidos pelo secretário Faisal e pelo procurador-geral no gabinete da Seduc.

O governo atende a uma reivindicação da categoria, que foi recebida por representantes do governo no Palácio Piratini na última quinta-feira (2/1). Até então, a conversa para tratar sobre a greve do Magistério estava prevista para a sexta-feira (10/1).

“Desde o início da gestão, estivemos abertos ao diálogo com todas as categorias de servidores e seguiremos agindo dessa forma. Por isso, ouviremos as demandas dos professores e apresentaremos os nossos argumentos com relação aos impactos negativos que essa paralisação tem na sociedade, especialmente nos alunos”, disse Leite.

Ainda no encontro, realizado na sede da Seduc, o governador determinou a publicação de um decreto que garanta a emissão de certidões provisórias para alunos do 9° ano do Ensino Fundamental e do 3° ano do Ensino Médio para que não tenham prejuízo em matrículas em cursos técnicos ou superiores.

A partir disso, a secretaria começou a organizar, com as Coordenadorias Regionais de Educação (CRE), formas de autorizar e emitir os certificados de conclusão das etapas e modalidades da educação básica, nos termos da legislação vigente, em caráter excepcional, considerando a greve. A medida é válida para alunos devidamente matriculados nas escolas, com frequência regular e nota de acordo com o estabelecido pelo regimento escolar da unidade.

Calendário escolar

Faisal destacou, ainda, que, no dia 19 de dezembro foi emitido, para todas as Coordenadorias Regionais de Educação (CRE), orientação sobre a elaboração do calendário de reposição das aulas nas escolas estaduais que aderiram à greve dos professores.

Ao todo, foram 25 dias de paralisação, entre 14 de novembro e 19 de dezembro. A ação tem o objetivo de garantir aos estudantes o direito de, no mínimo, 200 dias letivos e assegurar a carga horária de 800 horas para o Ensino Fundamental e mil horas para o Ensino Médio.

No memorando circular nº 22/ 2019, a Seduc sugeriu que o calendário de recuperação das aulas ocorresse entre os dias 21 de dezembro e 23 de janeiro. As férias docentes, no caso, devem ocorrer após a recuperação e foram sugeridas para que ocorram entre 24 de janeiro e 22 de fevereiro.

Conforme o balanço mais recente da Seduc, permanecem em greve 132 escolas de um total de 2,5 mil instituições estaduais.

Texto: Vanessa Kannenberg
Edição: Marcelo Flach/Secom

Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

Na noite do último sábado (4), o diretor de Cultura, Cristiano Cesarino, representou a Prefeita Mari Machado, no evento "Una noche de gloria", realizado no Parque Internacional e promovido pelo Missionário Ricardo Amaral.

A iniciativa reuniu representações do Brasil e do Uruguai, em uma noite de apresentações gospels.

À frente do Departamento de Cultura há poucos dias, o Diretor tem buscado se apropriar das iniciativas culturais na Fronteira, visando reorganizar o setor cultural no Município. Na oportunidade foi realizada uma oração em favor do município e da prefeita, almejando bons resultados na gestão.

 

Foto: Assessoria de Comunicação Social || Fonte: Assessoria de Comunicação Social

O governo da Austrália vai reforçar o resgate e esforços de combate a incêndios para lidar com incêndios. O número de mortos subiu para 23, com mais de 1.500 residências destruídas.

O primeiro ministro Scott Morrison fez uma conferência de imprensa neste sábado (4) expressando sua preocupação de que os danos dos incêndios possam se espalhar.

Ele anunciou planos de chamar 3 mil reservistas das Forças de Defesa e desprender outro navio e helicópteros adicionais para assistir as comunidades afetadas pelas chamas.

Morrison também confirmou que suas visitas para a Índia e o Japão para a metade de janeiro foram postergadas.

Uma declaração de emergência está em vigor nos estados de Nova Gales do Sul e de Victoria.

Suas autoridades estão pedindo a evacuação de moradores e turistas de várias áreas desses estados, pois as chamas se intensificaram devido às altas temperaturas e ventos fortes.

Os incêndios na Austrália começaram em setembro.

 
Por NHK- agência de notícias públicas do Japão

Com um total de 386 unidades atualmente em funcionamento em todo o país, sendo 329 bibliotecas fixas e 57 unidades móveis (BiblioSesc), a Rede Sesc de Bibliotecas vai se dedicar este ano para a formação de equipes dentro do conceito das leituras elásticas (abordagem lúdica em que se pode misturar livros com outras plataformas).

A analista de Cultura do Departamento Nacional do Sesc e responsável pela Rede Sesc de Bibliotecas, Elisabete Veras, disse à Agência Brasil que o trabalho começou ainda em 2019 com palestra da pedagoga Carolina Sanches, especialista em mídia e educação, segundo a qual o conceito de leituras elásticas é uma tendência do mundo atual para formar novos leitores. Nesse contexto, a leitura se enriquece e se estende para outros formatos, além da letra em si. “A gente está reforçando essa ideia e trazendo a Carolina para a formação desse time, que deve atingir toda a rede de 550 colaboradores”, disse Elisabete.

A ideia é reforçar esse valor de promoção da leitura para além do livro. “Que a biblioteca não precisa ser esse lugar que as pessoas convencionalmente concebem de quatro paredes e estantes, lugar de silêncio. A gente está de novo mexendo e remexendo nessas ideias, trabalhando com o conceito das leituras elásticas, para que possa interagir mais com os jogos e outras linguagens”, afirma a analista.

Clubes de leitura

Outra meta da Rede Sesc de Bibliotecas para 2020 é a criação de uma grande rede de clubes de leitura, valorizando a cultura de cada localidade e aproximando os autores dos leitores, sobretudo do público infantil. Elisabete informou que essa já era uma ação que as bibliotecas do Sesc desenvolviam de forma isolada e agora, em 2020, o propósito é “criar uma rede em nível nacional, para gerar essa interlocução de ponta a ponta, em todo o Brasil”.

É prioridade ainda ampliar a acessibilidade, tanto física, em termos de espaços, como por meio da tecnologia e da habilitação das equipes para receber públicos diversos ou que tenham dificuldade de comunicação, além também de tornar mais acessível aos leitores o conteúdo dos livros, disse Elisabete Veras. “É bastante trabalho para uma equipe que está olhando em muitas frentes e realizando muitos projetos pelo Brasil à fora”.

Nesse sentido, Elisabete destacou a 15ª Feira de Trocas de Livros que acontece em Pernambuco este mês. No último ano, foram mais de 500 participantes e 5,2 mil livros trocados. Segundo a analista de Cultura do Departamento Nacional do Sesc, a Rede Sesc de Bibliotecas estimula a troca de livros porque, em alguns lugares, ela funciona como estímulo à leitura. Ainda em Pernambuco, tem destaque a feira de livros didáticos que busca também reduzir os custos das famílias com a compra de material escolar no início do ano letivo.

Gratuidade

À exceção de alguma biblioteca muito específica ou escolar, que tem algumas restrições, a rede de bibliotecas do Sesc está aberta para o público em geral, gratuitamente. As unidades seguem um princípio do Departamento Nacional do Sesc, denominado Biblioteca Sesc 21. “É uma proposta que as bibliotecas possam ser amplas, no sentido de serem vivas, de promoverem integração, de serem um ponto de encontro”, salientou Elisabete.

“A gente tem sempre feito trabalhos que provoquem essa perspectiva de que a biblioteca é o lugar de todos, é o lugar de encontro, tem o seu acervo acessível, mesmo que seja para públicos que tendem a criar seus nichos”, manifestou.

Com base na variedade de públicos, a rede tem realizado pelo Brasil encontros bit (simplificação para dígito binário, termo computacional que representa a menor unidade de informação que pode ser armazenada ou transmitida), eventos de cosplay (representação de personagem a caráter), mesas de RPG (Role-playing game, tipo de jogo em que os jogadores assumem papéis de personagens e criam narrativas colaborativamente). “Sempre motivando essa relação do usuário entre eles e com a leitura em si”, destacou Elisabete.

O conceito do projeto da Biblioteca Sesc 21 é justamente que a biblioteca possa gerar a interligação entre a leitura e as demais expressões artísticas. “A biblioteca é uma das atividades do programa de cultura em que o Sesc tenta promover essa interlocução com outras áreas específicas, como música, literatura, teatro. Esse é um dos pressupostos do projeto Biblioteca Sesc 21. Que ele gere essas interlocuções, que a biblioteca seja esse palco de diálogo, de conhecimento para o público, para que ele possa ter a oportunidade de conhecer outras linguagens artísticas. É um pressuposto do projeto que existam essas relações. Que a biblioteca possa levar o usuário da literatura para as outras linguagens”, explica a analista.

Biblioteca Inquieta

Um exemplo de sucesso dessa proposta é a Biblioteca Inquieta, do Sesc de Santa Catarina, que torna evidente o conceito de a biblioteca ser um local que transborda para as outras linguagens, gerando essas interlocuções. No ano passado, foram feitas quatro edições simultâneas, assumindo temas diferentes em cada unidade, mas sempre partindo do livro para outras expressões artísticas que podem ser circo, debates sobre a participação das mulheres na literatura, literatura de mistério, questão dos refugiados no Brasil, entre outras expressões. “Vai transbordando essas interlocuções e trazendo um pouco dessa cultura que permeia vários temas, nos vários formatos com que ela se apresenta”.

O número de usuários cadastrados na Rede Sesc de Bibliotecas atingiu 265.859 em 2018. No ano passado, até setembro, havia cadastrados 275.044 usuários. Foram registrados 1.725.327 empréstimos de livros em 2018; os números disponíveis até setembro de 2019 indicam um total de 1.456.775 livros emprestados.

Edição: Liliane Farias
 
Por Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil 

O Grêmio começou com vitória a disputa da 51ª Copa São Paulo de Futebol Junior. Na tarde desta quinta-feira, o Tricolor bateu o Real-DF por 2 a 0, no Estádio Municipal Francisco Ribeiro Nogueira, em Mogi das Cruzes. Os gols do triunfo gremista foram anotados por Rildo e Diego Rosa.

A partida começou com o gramado do Nogueirão encharcado pela chuva. Com o campo pesado, o Grêmio teve dificuldade em trabalhar melhor a bola no chão para fazer a transição ofensiva com maior perigo. A melhor ação foi aos 13 minutos. Fabricio recebeu passe e girou pra cima do marcador, invadindo a área pela direita. Cara a cara com o goleiro, tentou o chute rasteiro, mas o arqueiro tirou com os pés.

O adversário tentou arriscar em dois chutes da entrada da área, mas o goleiro Adriel defendeu com tranquilidade. Aos 27 minutos, Fabricio ganhou na força do defensor no comando de ataque pela esquerda. Ele foi conduzindo até arriscar a batida forte, mas o goleiro fez a espalmada para escanteio.

Aos 34 minutos, a defesa brasiliense tirou parcialmente e Vanderson tomou a frente do marcador e deu o tapa no fundo do campo, dentro da área. Na hora de cruzar ele protegeu a bola e tomou o carrinho. Pênalti claro! Na cobrança, aos 35, Rildo bateu no canto esquerdo para abrir o placar. 1 a 0!

O Grêmio ainda teve a chance de ampliar na última estocada, aos 48 minutos. Elias passou de viagem pela marcação do lado esquerdo e bateu cruzado. Fabricio se atirou de carrinho na pequena área, mas a bola passou por ele.

Na etapa complementar, o Tricolor voltou melhor e foi mais dominante, aproveitando o cansaço do adversário. Logo aos 4 minutos, Elias recebeu o passe em progressão e arriscou o forte chute da entrada da área, mas o arqueiro espalmou para fora. Aos 22, Rildo recebeu o criuzamento rasteiro de Fabricio para trás. O chute colocado passou raspando o ângulo, para fora.

A chance mais perigosa aconteceu aos 25 minutos. Diego Rosa fez belo cruzamento da direita na segunda trave. Elias desviou tirando do goleiro e a bola foi na trave. Três minutos depois Fabricio fez jogada individual pela esquerda, entortou o marcador e sentou o chute. O goleiro do Real-DF conseguiu espalmar novamente para escanteio.

Aos 39 minutos, Elias recebeu o passe pela esquerda e ficou livre na área. O chute rasteiro foi abafado pelo arqueiro. Quando a defensiva do Real saia tocando, Diego Rosa interceptou o passe e, da entrada da área, soltou forte chute cruzado e rasante de direita, para ampliar o placar. 2 a 0!

Com o resultado o Tricolor está na liderança do Grupo 21 da Copinha, pelo saldo de gols. Na outra partida da chave, o Juventus-SP venceu o União Mogi-SP por 1 a 0. A equipe encara o Juventus-SP na segunda rodada, domingo, às 11h.

Escalação: Adriel; Vanderson, Heitor, Alison Calegari e Matheus Nunes; Fernando Henrique e Diego Rosa; Gonçalves, Rildo (Pedro Lucas) e Elias (Mario); Fabrício (Vitor).

Técnico: Guilherme Bossle.

Fotos: Guilherme Rodrigues/GR Press.

O feijão comum cores apresentou a maior variação de preços recebidos pelos produtores entre os meses de outubro/2019 e novembro/2019, contabilizando aumento de 34,64%. O valou saiu de R$ 170,74 para R$ 229,88 a saca de 60 quilos. Em relação ao milho, a média apurada do mês de novembro entre os anos de 2016 a 2018 foi de R$ 26,45 a saca de 60 quilos enquanto que em novembro/2019 foi de R$ 33,73. Os dados foram compilados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e divulgados nesta semana na Revista Indicadores da Agropecuária.

De acordo com a publicação, a relação de troca entre a saca de 60 quilos de soja e os demais produtos agrícolas analisados (algodão, arroz, feijão, milho e trigo) mostrou variação positiva apenas para feijão e milho entre os meses de outubro e novembro/2019. O destaque foi o aumento de 5,34% no preço do milho, que saiu de R$ 32,02 para R$ 33,73 de um mês para o outro. Houve incremento também de 3,11% no preço recebido pela soja, que passou de R$ 74,26 para R$ 76,57 a saca de 60 quilos, no mesmo período.

A relação de troca é o indicador econômico que reflete o poder de compra dos produtores rurais, pois mensura a capacidade de compra com a receita apurada na venda do produto. Por meio do pacote tecnológico levantado em painel de custos de produção, foram selecionados os insumos relacionados aos preços recebidos pelo produtor, como máquinas agrícolas e fertilizantes. Os municípios escolhidos foram Campo Verde/MT, Uruguaiana/RS, Unaí/MG, Londrina/PR, Sorriso/MT e Cascavel/PR.

A revista traz ainda dados sobre a agricultura familiar, as pesquisas de safras e a política de garantia de preços executadas pelas Companhia, além das cotações agropecuárias, quadro de suprimentos, indicadores econômicos e os instrumentos de comercialização e abastecimento.

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Imprensa
(61) 3312-6338/6344/6393/2256/6364/6389
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Foto: ebc.com.br

A presença das redes de franquias nos shoppings, em especial aquelas que atuam nos segmentos de alimentação, beleza, estética e educação, voltou a crescer em 2019. Foi o que revelou o estudo realizado pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), que constatou uma maior participação das redes nos malls como endereço dos pontos de vendas, passando de 21,5% em 2018 para 24,9% este ano.

Entre os motivos para esse crescimento é que os shoppings fizeram um reajuste do mix de lojas, visando atrair mais consumidores e aumentar o fluxo de visitantes. Em contrapartida, ofereceu às redes descontos pontuais e uma maior flexibilização nas negociações dos aluguéis, além da diminuição no custo total de ocupação (CTO), que envolve as principais despesas como aluguel, condomínio, fundos de marketing e promoção.

Por outro lado, as redes adotaram estratégias e modelos de negócios mais práticos e acessíveis, que proporcionaram uma redução nas despesas e um ganho de eficiência operacional. De acordo com o estudo da ABF, os formatos de franquias no modelo quiosque tiveram um crescimento de 6,5% em 2018 e em 2019 chegou a 8,6%.

No segmento de alimentação, a Slice Cream, primeira rede de gelato fatiado e que oferece um cardápio de produtos instagramáveis, como bebidas artesanais com a impressão de fotos dos clientes, entrou este ano para o franchising com seu modelo de quiosque e deve encerrar o ano com 10 unidades negociadas. A Casa de Bolos, pioneira no segmento de bolos caseiros, é outra rede que adaptou um modelo de quiosque, o ‘Bolo Caseiro no Pote’, utilizando toda sua tradição e um conceito bem definido, o grab and go, uma proposta em que o consumidor ‘pega e vai’, ou seja, compra um potinho do bolo e pode comer enquanto passeia pelo shopping.

Boali, rede alimentação saudável, que tem 18 unidades dentro de shoppings centers espalhados pelo País, está implantando novos canais de autoatendimento,  que funcionam como um complemento extra para o franqueado que opera quiosques ou lojas dentro do mall. Já, a Chocolateria Brasileira, franquia de chocolates finos, vem aumentando sua presença nos shoppings com um modelo de quiosque com cafeteria, onde é possível degustar bebidas quentes e geladas, além de sobremesas criadas pelo chocolatier Christian Neugebauer. 

A estratégia dos shoppings em incorporar redes que prestam serviços de beleza, estética e educação, surtiu um bom resultado no ano de 2019. O setor de franquias responde por 2,6% do PIB brasileiro, isso contando com os  modelos de negócios em quiosque e em formato de lojas físicas. Por exemplo, na área da estética, a Doctor Feet é a maior rede de serviços de cuidados para os pés e venda de produtos médicos e ortopédicos presente em shoppings centers. Pioneira no segmento, a franquia está há 21 anos no mercado e conta com mais de 80 lojas físicas, em 14 estados brasileiros.

No setor de educação, a Park Idiomas, rede de franquia de escolas de inglês e espanhol, trouxe recentemente para dentro dos shoppings uma nova operação: o Lounge Park. Em formato de quiosque, com paredes de vidro situadas no meio do corredor, o modelo está alinhado com a premissa da rede que é o de oferecer um ambiente de descompressão capaz de facilitar o ensino de outra língua e promover um aprendizado mais natural e eficaz, garantindo a fluência do segundo idioma com apenas 140 horas de estudo. Atualmente, com 80 unidades, a rede oferece outros formatos que também podem ser montados dentro do mall.

Marcia Cristina
Assessora de Imprensa

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo." target="_blank" rel="noopener noreferrer" data-auth="NotApplicable">Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
(11) 4329-2418 / (11) 4329-2419
(11) 99334-2418

Página 5 de 396
Topo