Gisnei

Gisnei

Milhares de pessoas foram novamente às ruas hoje (16) em Hong Kong protestar contra o polêmica proposta de lei de extradição de criminosos para a China. Os manifestantes também pedem a renúncia da chefe do Executivo, Carrie Lam.

A marcha ocorre um dia após Lam anunciar a suspensão do projeto. A governante disse que a iniciativa está "suspensa" até novo aviso, mas não estabeleceu prazo específico para retomar o projeto.

Setores da população viram na lei proposta uma tentativa de diluir a separação entre a China continental e Hong Kong, o que poria em perigo liberdades como de imprensa e expressão, que estão em vigor na antiga colônia britânica.

Os manifestantes querem a retirada total da proposta e também um pedido de desculpas oficial da polícia pela violência praticada nos atos dos últimos dias. Há quatro dias, ficaram feridas 80 pessoas, incluindo 22 agentes das forças de segurança.

Ontem (15), um homem morreu ao cair do telhado de um centro comercial da cidade, onde exibia uma faixa: “Retirem por completo a lei de extradição chinesa. Não somos amotinados. Libertem os estudantes e os feridos”.


*Com informações das agências de notícias Deutsche Welle (da Alemanha) e RTP (emissora pública de TV de Portugal)

Edição: -
 
Por Agência Brasil*  HONG KONG
 
 
ATHIT PERAWONGMETHA

O projeto da Vila Brigadiana continua recebendo a atenção do Executivo. Nesta sexta-feira (14), o secretário de Planejamento, Miguel Pereira, apresentou a alguns membros da ABAMF a atualização do Projeto Elétrico da Vila. O projeto será encaminhado ao Gabinete do Prefeito e novas reuniões serão programadas com o núcleo gestor.

Secretário de Desenvolvimento visita novo Complexo Esportivo de Pádel

 

Na manhã desta sexta-feira (14), o secretário de Desenvolvimento, Calico Grisolia, visitou mais um novo empreendimento no município: o complexo esportivo “Open Padel”. A convite dos proprietários Alfredo Carlos Albornoz e Ana Tereza Escosteguy Albornoz  - sócios de Rudy Mello e Aline Longhi -  o secretário conheceu as instalações do local, que ainda está em construção. O Complexo abrigará a primeira quadra de vidro da Fronteira, além de quadras tradicionais de Padel, beach tênis, academia, churrasqueira, salão para festas, dentre outras opções de entretenimento.

“Fico extremamente satisfeito de ver mais alguns empresários reafirmando a confiança no desenvolvimento da cidade”, destacou o Secretário após a visita.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social

Prêmio Sesc de Literatura revela dois novos escritores: Felipe Holloway e João Gabriel Paulsen são os ganhadores da edição 2019, nas categorias Romance e Conto, com os livros “O legado de nossa miséria” e “O doce e o amargo”, respectivamente. Essa edição teve recorde de inscritos, com 1.969 trabalhos, sendo 926 livros de contos e 1.043 romances. A avaliação final ficou por conta de duas comissões formadas pelos escritores e críticos literários Ana Miranda, Tércia Montenegro, Verônica Stigger e Júlian Fúks.  

A premiação completa 16 anos de criação este ano e tem como objetivo identificar escritores estreantes, cujas obras possuam qualidade literária para edição e circulação em todo o país. Além do reconhecimento nacional, os vencedores têm suas obras publicadas e distribuídas pela editora Record, com tiragem inicial de 2 mil exemplares.

O Prêmio Sesc de Literatura oferece uma oportunidade a novos escritores e cumpre um importante papel na área cultural, contribuindo para uma renovação no panorama literário brasileiro”, destaca Henrique Rodrigues, analista de Cultura do Departamento Nacional do Sesc. Um balanço das 16 edições aponta que superamos a marca de 13 mil livros inscritos e revelamos 29 novos autores de todas as regiões do país”, reforça.

O romance vencedor veio do estado do Mato Grosso. “O legado de nossa miséria” conta a história de um crítico de literatura e professor universitário que é convidado para um evento sobre Jornalismo Literário numa fictícia cidade do interior de Minas Gerais. Lá ele conhece um famoso escritor cuja obra sempre admirou. No evento, os personagens rememoram suas respectivas carreiras, nas quais os fracassos éticos e estéticos se alternam. Numa estrutura narrativa que aos poucos adquire o caráter de thriller, o romance reflete sobre os limites do uso da obra de arte como fator de redenção para vidas deploráveis.

“Ser contemplado com esse prêmio é maravilhoso e funciona como um aval de que podemos e devemos seguir escrevendo”, conta Felipe Holloway, de 30 anos. Ele vê a premiação como uma virada completa na vida pessoal e profissional. “Primeiro porque a insegurança que sempre nutri em relação à qualidade e à legitimidade de meus próprios escritos ganha um contraponto significativo. Ainda mais quando a vitória é num prêmio de prestígio e concorrido como o Prêmio Sesc , que abre uma excelente possibilidade no âmbito literário. Por fim, sei o quanto histórias como a minha podem influenciar novos autores a persistir em suas jornadas”, declara.

Ganhador da categoria Conto, com “O doce e o amargo”, o mineiro João Gabriel Paulsen tem 19 anos de idade, é estudante de Filosofia e skatista nas horas vagas. Seu livro é uma coletânea composta por nove contos que tratam das tensões geracionais e os conflitos ocasionados pelos ritos de passagem. Entre crianças que vão ao enterro da mãe, a busca do amor fugidio como saída para o vazio existencial e um rapaz preso numa cela com um demônio, o livro oscila entre o onírico e o real como plataformas de uma prosa densa e ao mesmo tempo fluente.

“A sensação é indescritível. Receber uma confirmação dessas – de que você produz literatura de qualidade – é fenomenal”, comemora João Gabriel.   “Sempre tive muita afinidade com as palavras, o que me levou ao amor pela literatura. A vitória abre uma série de possibilidades no campo da produção literária, é uma indicação do que posso vislumbrar a partir de agora para o meu futuro”, declara. 

Breve currículo dos vencedores

Felipe Holloway nasceu em Canindé, no Ceará, e mora desde criança em Cuiabá (MT). O autor de 30 anos é professor de Língua Portuguesa da rede estadual, formado em Letras pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e mestrando em Estudos Literários pela mesma instituição. Começou a escrever aos 17 anos, quando se dedicava mais aos contos e tempos depois passou a escrever narrativas mais longas.

João Gabriel Paulsen tem 19 anos, nasceu em Juiz de Fora (MG), onde mora. É estudante de filosofia na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e escreve desde os 15 anos, tendo iniciado pela poesia e depois avançado na prosa. Segundo o autor, tudo que aprendeu veio do seu hábito de ler bastante. 

Sobre o Prêmio Sesc

Criado em 2003, o Prêmio inclui os autores em programações literárias do Sesc e também abre as portas do mercado editorial aos estreantes. O processo de curadoria e seleção das obras é criterioso e democrático. Os livros são inscritos pela internet, gratuitamente, protegidos pelo anonimato. Quem avalia os livros não sabe quem os escreveu.

Nos últimos anos os vencedores do Prêmio Sesc também se destacaram em outras importantes premiações literárias:  Franklin Carvalho, ganhador com o Romance “Céus e Terra”, em 2016, e vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura 2017; a paulista Sheyla Smanioto Macedo, vencedora da edição 2015, com o Romance “Desesterro”, conquistou o Prêmio Machado de Assis 2016; Marcos Peres, com “O Evangelho Segundo Hitler”, vencedor dos prêmios Sesc de Literatura 2013 e São Paulo de Literatura 2014 (categoria Estreantes); Debora Ferraz, autora do livro “Enquanto Deus não está olhando”, vencedora dos prêmios Sesc 2014 e São Paulo de Literatura 2015.

Mais detalhes sobre o Prêmio Sesc de Literatura em www.sesc.com.br/premiosesc.

A Petrobras já pode retomar o programa de desinvestimento no setor de fertilizantes. De acordo com a companhia, a 24ª Vara Federal do Rio de Janeiro revogou a decisão liminar que suspendia a venda de 100% de sua participação acionária na empresa Araucária Nitrogenados S.A. (Ansa) e da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados III (UFN-III).

Agora, a Petrobras pode voltar ao processo competitivo para a venda dessas unidades. Para isso, a companhia continua com sua Sistemática para Desinvestimentos e se alinha ao regime especial de desinvestimento de ativos pelas sociedades de economia mista federais, conforme prevê o Decreto 9.188/2017.

“A operação está alinhada à otimização do portfólio e à melhoria de alocação do capital da companhia, visando à geração de valor para os nossos acionistas”, informou a Petrobras em nota divulgada na noite desta sexta-feira (14).

Edição: Nádia Franco
 
Por Cristina Indio do Brasil - Repórter da Agência Brasil
 
 
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A Mega-Sena, que está acumulada pela 6ª vez consecutiva, sorteia neste sábado (15) o prêmio de R$ 115 milhões, o segundo maior deste ano. O primeiro foi o do concurso 2.150, realizado em 11 de maio, que pagou R$ 289,4 milhões a um ganhador individual. Naquela ocasião, as dezenas sorteadas foram as seguintes: 23 - 24 - 26 - 38 - 42 - 49.

Mega-Sena, loterias, lotéricas
Mega-Sena, loterias, lotéricas - Marcello Casal Jr./Agência Brasil

As seis dezenas do concurso 2.160 serão sorteadas, a partir das 20h, no Espaço Loterias Caixa, no Terminal Rodoviário do Tietê, em São Paulo.

Segundo a Caixa, o valor do prêmio, caso aplicado na poupança, renderia mais de R$ 427 mil por mês.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) de amanhã, em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa em todo o país. A aposta simples, com seis dezenas, custa R$ 3,50.

Edição: Aécio Amado
 
Por Agência Brasil

O CFL 2019 abriu na noite passada, quinta-feira, a fase de quartas de final da Série Prata com os dois primeiros jogos na etapa de mata mata do Citadino. Quem se aproveitou da rodada de ida foi o Mônaco Santanense, que foi o único a vencer e conquistar vantagem para o jogo da volta.
Preliminar
Antes das primeira decisões a preliminar teve Escolinha da AABB e Carolina pela primeira fase do Sub 13. Tentando a manutenção da liderança a AABB marcou adiantado e fez logo 1 x 0 com o craque Alvaro. Bernardo, no rebote ampliou e também fez o terceiro da AABB. Talyson fez o quarto da AABB. Felipe descontou para o Carolina e Kauã fez o segundo. Gostando do jogo o Carolina marcou o terceiro com Felipe e empatou o jogo num golaço de calcanhar de Kauã. A AABB voltou a quadra com seu time titular e fez o 5 x 4 com Bernardo. Na segunda etapa o jogo começou aberto e o Carolina voltou a empatar com Felipe. Bernardo acertou novamente um belo chute e fez o sexto gol da AABB. Pablo ampliou e Bernardo fez o 8 x 5, retomando a vantagem da AABB. Karlison ainda descontou para o Carolina, mas wellington, contra e Gabriel fecharam o placar em 10 x 6, para a AABB.
Empate com 12 gols
As quartas de final da Série Prata foram abertas com o confronto Terasaki e Portugal. O jogo começou intenso e o Portugal abriu o placar com Rodrigo. O Terasaki tentou reagir, mas sofreu o 2 x 0, no chute cruzado de Rodrigo Cunha. Foi a partir dai que o Terasaki passou a trabalhar melhor a bola e descontou com Antony. O Terasaki precisava de um finalizador então passou a aparecer o futsal do pivô Henry. Ele girou em cima da marcação e empatou o jogo. Portugal voltou a pressionar e Xuxa recolocou Portugal na frente. Num jogo franco e com chances de parte a parte, Henry empatou novamente para o Terasaki, que virou no final do primeiro tempo para 4 x 3 com Henry. No segundo tempo o jogo ficou mais marcado, mas no contra ataque Rafael empatou para Portugal. Portugal criava mais, mas parava no goleiro Cristian. Até que Xuxa completou a bela troca de passes e virou para 5 x 4. Antony tratou e reagir e empatou novamente para o Terasaki. Rodrigo Cunha cobrou falta com perfeição e Portugal fez o 6 x 5. Antony, porém, bateu quase sem ângulo para empatar a partida em 6 x 6, deixando tudo igual para a partida da volta.
Vantagem
No último jogo da noite Mônaco e Atlético Paranaense estrearam na quartas. O Mônaco começou jogando na quadra adversária e logo encontrou o caminho do gol com Somália. O Atlético nem precisou marcar para empatar, pois Hilton, se atrapalhou e fez contra o gol de empate. Mas num contra ataque Hilton assistiu Somália, que fez 2 x 1. Hilton recuperou-se e fez o 3 x 1, Mônaco. Roberto, por cobertura, fez o 4 x 1. O Atlético mostrou sinais de reação e Cristian Lima descontou. O Mônaco fechava os espaços e o Atlético não conseguia infiltrar. Até que acelerou o jogo e Eduardo marcou o 4 x 3. Vendo o adversário se aproximar o Mônaco retomou o controle do jogo e fez o quinto gol com Hilton e sexto com Somália. No segundo tempo o Mônaco não mudou a postura defensiva, mas contra atacou um pouco mais. Foi assim que Binho marcou o 7 x 3.. Na pressão o Atlético descontou com Gonzalo depois uma sequencias de defesas de Muriel, goleiro do Mônaco. Hilton sofreu pênalti e marcou o oitavo gol. Eduardo descontou novamente, mas Renan completou o contra ataque e ampliou para 9 x 5. Somália ainda fez mais um e Cristian Lima marcou duas vezes para o Atlético. O golpe final do Mônaco foi dado por Murillo que fechou o placar em 11 x 7 e garantiu a vantagem do Mônaco para o jogo da volta. Somália foi eleito o craque da rodada. O CFL 2019 é patrocinado por, Movilcor, CFC Santanense, Gato e Sapato e Zapatodos, CHS – Centro Hospitalar Santanense, Unimed Fronteira, Posto Larratea, Uniagro / Erva Mate Charme, Provedor A Plateia, Transportes Thomaz, Casa dos Troféus e apoiado por, Óptica Foco, ML 3 Football e Comdica-Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente.

Fonte:http://futebol.grupoarena.org

Paulo Renato Bottaro Loreto participou de campeonato de surfe adaptado na Costa Rica e retornou de lá com o terceiro lugar da competição. Ele foi o único gaúcho a participar do campeonato.

O evento aconteceu na Playa de Jacó, entre os dias 29 de maio e 02 de junho, quando o atleta, que é colaborador do Sicredi, na agência de Santana do Livramento, garantiu que sua participação nesses campeonatos proporciona conhecer pessoas com diferentes histórias e que tem no esporte uma maneira de superar suas limitações.

Em função da sua participação no campeonato, Loreto recebeu da Câmara de Vereadores de Santana do Livramento, votos de congratulações.  Durante a cerimônia, Loreto disse ser grato aos colegas da Cooperativa, por lhe patrocinarem e incentivarem a participar das competições. “Estou me desenvolvendo como atleta e como pessoa também”, comemorou.

O Sicredi patrocinou Loreto nesse campeonato, porque acredita que se pode sempre fazer a diferença na vida das pessoas e, fazendo juntos, podemos muito.

https://sicredipampagaucho.com.br

A primeira fase do Citadino de Futsal chegou ao final da primeira fase desta terça-feira. As categorias Sub 18 e Série Prata realizaram os dois últimos jogos da fase classificatória e definiram os classificados para a segunda fase.
Sub 13
Em mais um confronto de grupo contra grupo o Saint Catherinne’s tentava a primeira vitória na competição, tendo como adversário a Escolinha F.C. O jogo foi igual na primeira etapa com Juliano abrindo o placar para a Escolinha, mas Bernardo empatando para o Saint Catherinne’s. A escolinha voltou a carga e pulou para 2 x 1 com Dudu. Na etapa final o Saint Catherinne’s saiu mais para o jogo e forçou na busca do empate. A Escolinha tinha o espaço para contra atacar e esteve perto de ampliar o placar. Apesar de criarem chances o placar não se alterou e a Escolinha venceu e chegou aos seis pontos e subiu para a terceira posição. O Saint Catherinne’s segue sem vencer.
Sub 18
Zeca F.C e Nacional se despediram da primeira fase. O Nacional ainda tentando a primeira vitória do grupo A, Já o Zeca F.C. tentava alcançar o líder La Barca na chave B. O jogo começou com o Nacional fazendo 1 x 0 com Pablo. Guillermo ampliou batendo falta. O Zeca F.C. não tinha tocado na bola e já perdia por 2 x 0. A equipe então passou a correr atrás do resultado e na primeira chance Kelisson descontou. O Zeca F.C. seguia tentando infiltrar na boa marcação do Nacional, que se fechava e apostava no contra ataque. Depois de muita insistência Kelisson tabelou com o companheiro e empatou o jogo para o Zeca. No segundo tempo o jogo já começou com gol. No primeiro toque na bola, Renan, que acabará de entrar em quadra, virou para 3 x 2, Zeca. O Nacional soltou o time, pressionou, mas foi o Zeca que marcou o quarto gol com Eduardo. O Nacional ainda tentou reagir, mas o placar não se alterou. O Zeca subiu para nove pontos para ficou em segundo nos critérios. La Barca e 14 de Julho passaram direto a semifinal como líderes de grupos. Já o Zeca vai enfrentar e Nacional vão encarar as quartas de final.
Mônaco classifica o Carolina
Pela força livre, Mônaco Santanense e 2ª Bateria fizeram a última partida da primeira fase pela Série Prata. Para a Bateria um ponto bastava para classificar. Já o Mônaco jogava pela vice liderança e também poderia classificar o Carolina se vencesse. Mas a 2ª Bateria começou melhor e abriu o placar com Everton. O goleiro Gabriel errou e deu as bola de graça para Hilton empatar o jogo para o Mônaco. Robson Binho virou para 2 x 1 e Somália fez o terceiro do Mônaco. Kain descontou e deu novo ânimo a 2ª Bateria. Mas no contra ataque Binho marcou o quarto. Na segunda etapa a 2ª Bateria pressionou no inicio e descontou com Correia e empatou com Everton. O 4 x 4 era suficiente para classificar. Mas a equipe não segurou o placar por muito tempo. O Mônaco voltou a pressionar e marcou duas vezes com Somália e ampliou para 6 x 4. A 2ª Bateria se perdeu e viu Renan e Somália fecharem o placar em 8 x 4. Com o resultado o Mônaco se garantiu na segunda colocação e vai enfrentar o Atlético Parananense nas quartas de finais, com o primeiro jogo já na quinta-feira. No outro jogo da quinta se enfrentam Terasaki e Portugal. Os outros dois confrontos da prata são. Carolina e Atlântico e Atlético Povo Novo e União da ASM. Kelisson foi eleito o craque da rodada e a rodada teve mais um excelente público no ginásio.
O CFL 2019 é patrocinado por, Movilcor, CFC Santanense, Gato e Sapato e Zapatodos, CHS – Centro Hospitalar Santanense, Unimed Fronteira, Posto Larratea, Uniagro / Erva Mate Charme, Provedor A Plateia, Transportes Thomaz, Casa dos Troféus e apoiado por, Óptica Foco, ML 3 Football e Comdica-Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente.

Portaria publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (12) cria projeto-piloto que disponibilizará, a pessoas com atrofia muscular espinhal (AME), o medicamento Spinraza (Nusinersena). O medicamento ficará à disposição no Sistema Único de Saúde (SUS).

Considerada rara, a AME é uma doença genética degenerativa e sem cura, que atinge a coluna vertebral, interferindo na capacidade de o corpo produzir uma proteína essencial para a sobrevivência dos neurônios motores.

Sem a proteína, esses neurônios morrem, levando o paciente a perder controle e força muscular. Com isso, ele perde também a capacidade de se mover, engolir ou mesmo respirar. Há riscos, inclusive, de a doença levar o indivíduo à morte.

Segundo o Ministério da Saúde, o tratamento consiste na administração de seis frascos com 5ml no primeiro ano e, a partir do segundo ano, três frascos.

O anúncio da disponibilização do medicamento já havia sido feito pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em abril, durante audiência pública no Senado Federal. Na oportunidade, informou-se que os pacientes beneficiados serão acompanhados por meio de registro prospectivo para medir resultados e desempenhos, como evolução da função motora e menor tempo de uso de ventilação mecânica.

Dados divulgados pelo ministério informam que, em 2018, 90 pacientes foram atendidos após demandas judiciais que solicitavam a oferta do Spinraza, ao custo de R$ 115,9 milhões; e que cada paciente representou, em média, um custo de R$ 1,3 milhão.

Nota divulgada no site do ministério em abril informou que 106 pacientes portadores da doença estavam sendo atendidos na época, a um custo de até R$ 420 mil a ampola, e que, após a Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos ter estipulado um teto de preço para o medicamento, houve uma redução de 50% em relação ao preço cobrado em 2017.

A expectativa é que, com a incorporação que resultará em compras anuais centralizadas, o valor final seja reduzido.

Edição: Nádia Franco

Por Pedro Peduzzi - Repórter da Agência Brasil

 

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Levantamento feito pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos revelou que, no ano passado, o Disque 100 registrou um aumento de 13% no número de denúncias sobre violência contra idosos, em relação ao ano anterior. De acordo com a assessoria de imprensa da pasta, o serviço de atendimento recebeu 37.454 notificações, sendo que a maioria das agressões foi cometida nas residências das vítimas (85,6%), por filhos (52,9%) e netos (7,8%).

Divulgado nesta terça-feira (11), o levantamento mostra que a suscetibilidade das mulheres idosas é maior. Elas foram vítimas em 62,6% dos casos e os homens, em 32,2%. Em 5,1% dos registros, o gênero da vítima não foi informado.

Quanto à faixa etária, os dois perfis que predominam são de pessoas com idade entre 76 e 80 anos (18,3%) e entre 66 e 70 anos (16,2%). O relatório também destaca que quase metade das vítimas (41,5%) se declarou branca, 26,6% eram pardas, 9,9% pretas e 0,7% amarelas. As vítimas de origem indígena representam 0,4% do total.

As violações mais comuns foram a negligência (38%); a violência psicológica (26,5%), configurada quando há gestos de humilhação, hostilização ou xingamentos; e a violência patrimonial, que ocorre quando o idoso tem seu salário retido ou seus bens destruídos (19,9%). A violência física figura em quarto lugar, estando presente em 12,6% dos relatos levados ao Disque 100. O ministério informa que, em alguns casos, mais de um tipo de violência foi cometido e, portanto, comunicado à central.

A pasta detalhou a forma como as ocorrências se distribuem geograficamente. O estado de São Paulo aparece em primeiro lugar na lista, concentrando 9.010 dos casos reportados. O estado de Minas Gerais ocupa a segunda posição, com 5.379 registros, seguido por Rio de Janeiro, com 5.035 e Rio Grande do Sul, que responde por 1.919 ocorrências.

Para o secretário nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa do ministério, Antônio Costa, a violência contra idosos vai além de agressões classificadas como maus tratos. Para ele, o abandono e a exclusão social dessas pessoas também focalizam a questão.

Uma das ações governamentais de proteção a pessoas idosas é o Programa Viver – Envelhecimento Ativo e Saudável, que tem como finalidade a ampliação de oportunidades aos idosos, através da inclusão digital e social. As ações abrangem as áreas da tecnologia, educação, saúde e mobilidade física.

“O programa tem o propósito de resgatar a autoestima, conscientizar a pessoa idosa no âmbito da educação financeira e dos direitos a ela inerentes", disse Costa.

Além do programa, o governo federal articula a Campanha Junho Lilás, que visa prevenir e identificar situações de abuso contra idosos. Lançada no último dia 3, a iniciativa integra um movimento global de alusão ao Dia Internacional de Conscientização e Combate à Violência contra a Pessoa Idosa, celebrado no dia 15 de junho.

*Com informações da assessoria de imprensa do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos

Edição: Maria Claudia
 
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Página 8 de 350
Topo