Gisnei

Gisnei

Dos três fatores mais importantes para os preços da soja neste momento, o primeiro a se definir foi a safra dos países sul-americanos. “Já é admitido por todo o mercado que o Brasil não deverá colher mais do que 117 milhões de toneladas, contra a expectativa inicial de 121 MT”, aponta a T&F Consultoria Agroeconômica. 

“A quebra poderá, também, não ser tão acentuada como alguns analistas acreditavam, porque choveu e recuperou pelo menos a soja plantada mais tarde. Na Argentina, a BCR fala em 52MT e a BCBA em 53MT. O Paraguai terá 8,84MT, segundo a Prograin”, complementa o analista da T&F Luiz Fernando Pacheco.

A segunda definição está começando a se desenhar com o provável acordo entre a China e os EUA. “A informação que movimentou os mercados financeiros e de commodities nesta sexta-feira foi de que chegou a consenso com os Estados Unidos em pontos importantes da disputa comercial”, revela Pacheco. 

O terceiro fator é o Dólar, que se manteve na faixa entre R$ 3,70 e R$ 3,75 nos últimos quatro meses. No entanto, ressalva o especialista, o início dos trabalhos parlamentares em Brasília vai deflagrar uma fase de bastante instabilidade na economia – que se refletirá sobre a moeda norte-americana. 

“Como já dissemos aqui, tudo vai depender mais da oposição do que do governo. Se ela for forte e conseguir paralisar serviços essenciais, o Dólar sobe muito. Se ao contrário ela for fraca e desarticulada, como tem sido até agora, ele tenderá a permanecer onde está. Se o governo conseguir aprovar todas as reformas, o Dólar tenderá a ir para seu leito natural, ao redor de R$ 3,50 (embora nenhum economista, dos mais de 100 consultados semanalmente pelo Banco Central, acredita que isto ocorra neste ano, nem em 2020)”, conclui Pacheco.

Por: AGROLINK -Leonardo Gottems

Durante a manhã de sexta-feira (15), o Secretário de Desenvolvimento, Calico Grisolia, recebeu do Chefe de Ensino Pesquisa e Extensão do IFSUL, Prof. Miguel Dinis, o convite para representar o Governo Municipal em uma avaliação que será realizada referente ao ensino técnico pelo Mercosul Educacional, especialmente os cursos binacionais.

Na oportunidade, dialogaram sobre as atividades do IFSUL e os atuais projetos de extensão do Campus Sant’Ana do Livramento, que atualmente conta com 100% dos cursos binacionais em parceria com UTU e UTEC.

Ainda este ano o IFSUL decidiu aplicar diversos cursos EAD, ultrapassando as 500 inscrições e totalizando, com os presenciais, mais de 1400 alunos e 40 professores, 90% destes com mestrado e/ou doutorado!

Efeito bronzeado sem expor a pele ao sol: essa é uma missão para o autobronzeador! Já é fã do produto? Nunca ouviu falar? Não tem problema. Continue com a gente para tornar-se expert nesta matéria - e garimpar ainda mais dicas para aproveitá-lo ao máximo.

O que é autobronzeador?

Autobronzeador é um cosmético que "tinge" a pele gradualmente, entregando um bronzeado que dispensa a necessidade de exposição solar. "A mágica acontece graças à uma substância presente na fórmula chamada dihidroxiacetona, molécula atóxica e não cancerígena que interage com aminoácidos da camada superficial da pele e produz melanoidina, responsável pela cor que simula o efeito bronzeado", explica Mariana Kessel, médica cirurgiã dermatológica (RJ).

Para que serve o autobronzeador?

Como comentamos logo acima, a função desse cosmético é estimular a pigmentação da pele para dar cor a ela, sem o risco de danos cumulativos causados pelo sol. O autobronzeador é o produto ideal para você nos seguintes casos:

  • Seu desejo é começar o verão já com uma corzinha
  • Você quer manter a pele bronzeada mesmo no inverno
  • Falta tempo para tomar um solzinho no dia a dia (precisa ser com muita moderação e protetor solar, antes das 10h e após as 16h, vale lembrar!)
  • Ou você prefere garantir um bronze de forma 100% saudável, sem jamais expor sua pele aos raios solares (ela agradece, inclusive!)
  • Você quer realçar seu tom de pele natural.

Tipos de autobronzeador

Os autobronzeadores estão disponíveis em diversas texturas, como spray, loção e gel. O que conta na hora de decidir o certo é a habilidade para aplicar, tipo de pele e área do corpo que receberá o produto.

"Quem tem a cútis ressecada deve optar por produtos mais cremosos que contenham agentes umectantes como óleos e glicerina. Esse tipo também costuma ter absorção e efeito um pouco mais lentos, o que é interessante para quem não tem experiência com esse cosmético", afirma Mariana Kessel.

Já peles oleosas, principalmente no rosto, lidam bem com géis - assim como as mistas. Formulações em spray, por sua vez, são indicadas apenas para o corpo (devem ser evitadas na face) e absorvidas com mais rapidez, algo que deve ser levado em consideração quando não se conhece bem o produto e seu efeito.

"Com sprays, também é preciso ter um pouco mais de cuidado para ter a certeza de que o 'jato' de produto tingiu o corpo todo e não faltaram algumas partes", ressalta Luis Eduardo Vila Pascoal, dermatologista da Clínica Mais Excelência Médica (SP). Mas, acima de tudo isso, ler o rótulo e entender as indicações e especificidades de cada autobronzeador é sempre muito válido.

Como aplicar o autobronzeador?

Para que o produto crie um efeito bonito e natural na pele - sem manchas e cor alaranjada -, alguns cuidados (antes mesmo da aplicação) são necessários. Depois de testar o tom em uma área escondida do seu corpo e tirar todos os acessórios e bijuterias, siga o passo a passo para não ter dúvidas:

1 - Prepare a pele para receber o autobronzeador com uma esfoliação feita com bucha vegetal durante o banho. "Isso remove as células mortas e ajuda a garantir um bronzeado mais uniforme", comenta o dermatologista Luis Eduardo Vila Pascoal. Esfoliantes químicos devem ser dispensados pois podem conter agentes que prejudicam a absorção homogênea do produto.

2 - Seque bem o corpo todo com sua toalha e não passe nenhum creme para também não interferir na homogeneidade do autobronzeador que virá a seguir.

3 - Vista luvas de plástico para não manchar as palmas das mãos.

4 - Todo(a)s pronto(a)s? Inicie a aplicação na região posterior das pernas e no bumbum com movimentos delicados e ascendentes. "Em seguida, vá para a parte da frente e passe o produto nas coxas e em toda a extensão das pernas, sempre evitando múltiplas passagens pela mesma área do corpo e espalhando muito bem", ensina Mariana Kessel. Pés e joelhos devem receber uma camada mais fina de produto, combinado? Por serem regiões ressecadas, acumulam maior quantidade de pigmento e ficam mais escurecidas.

5 - Nos braços, aplique o produto em maior quantidade na região externa. Depois, concentre-se no lado interno, com o cuidado de também passar uma camada mais fina nas axilas e nos cotovelos. Siga, então, para os ombros.

6 - Se necessário, peça a ajuda de alguém para aplicar o autobronzeador nas costas. E não se esqueça de toda a região do pescoço!

7 - Passe uma boa quantidade de produto para cobrir o abdome e toda a área da barriga e suba para a região do decote. Quer ficar com marquinha de biquíni, como se tivesse ido à praia? A dica é vestir um biquíni velho (existe o risco do autobronzeador manchá-lo) antes de começar o procedimento.

8 - Quando chegar no rosto, não espalhe o produto diretamente nele. "Coloque uma pequena quantidade nas mãos e aplique delicadamente sobre testa, maçãs, dorso do nariz, queixo e orelhas", orienta Mariana Kessel.

9 - Certifique-se de que cada centímetro do corpo foi coberto. Atenção especial para lateral de braços e pernas, orelhas, entre os dedos dos pés, posterior dos joelhos, linha que divide o cabelo e a testa etc.

10 - Espere o autobronzeador secar (demora 15 a 20 minutos, em média - e nem pensar em vestir roupa nenhuma antes disso!), tire uma das luvas e, com a mão coberta, aplique uma camada fina de autobronzeador no dorso, dedos e região entre os dedos da outra. Aguarde o tempo de secagem e troque a luva de mão, repetindo o procedimento.

A pigmentação começa a surgir duas a três horas depois, atingindo seu auge em 24 horas. "Mas vale lembrar que tomar banho e praticar exercícios físicos só estão liberados pelo menos oito horas após a aplicação do autobronzeador", completa Mariana Kessel.

Quanto tempo dura o efeito do autobronzeador?

A cor desbota gradualmente com o passar dos dias e tende a desaparecer dentro de uma semana, em média, dependendo da concentração do autobronzeador.

Manutenção da cor

Se a primeira aplicação não foi suficiente para atingir a cor desejada, passe novamente o produto a cada dois ou três dias até chegar lá. Depois, aumente o intervalo para cinco ou sete dias até decidir suspender o uso.

Mas, mesmo que já esteja satisfeita com o resultado, vale repetir a dose 48 horas após a primeira aplicação para garantir melhor fixação e durabilidade do bronze.

"Durante esse período, evite água quente (que contribui para a remoção do produto) e hidrate muito bem a pele com cremes ou óleos - assim você garante não só a cor, mas aquele brilho de pele saudável", aconselha Luis Eduardo Vila Pascoal.

 

Como remover o autobronzeador da pele?

Se você deseja tirar o produto antes de ele perder o efeito naturalmente, recomendamos cautela e paciência! Segundo Priscila Alves Pereira, dermatologista da Acne Clin (SP), uma esfoliação bem leve ajuda a acelerar o retorno da pele à sua coloração normal - mas exagerar no esfrega-esfrega na tentativa de remover o produto instantaneamente só a agride.

O dermatologista Luis Eduardo Vila Pascoal completa: "Também não adianta lançar mão de receitas de misturinhas que vemos na internet para tirar a cor; elas só prejudicam a pele. O ideal é continuar hidratando-a após o banho para deixá-la saudável, até a cor sair completamente", acredita.

Existem riscos e/ou contraindicações para o uso do autobronzeador?

A dihihidroxiacetona (DHA) presente nos autobronzeadores é considerada segura e aprovada pelo FDA (Food and Drug Administration) para aplicação na pele. "No entanto, recomenda-se cuidado para não inalar essa substância e não aplicar o produto nas membranas mucosas como olhos e nariz porque os riscos são desconhecidos", alerta Priscila Alves Pereira. Apesar de não ser comum, quadros de dermatite de contato podem ocorrer em alguns casos.

No mais, os autobronzeadores não são recomendados para crianças e contraindicados para pessoas que apresentem alergia aos seus componentes. "As gestantes também devem ter atenção ao maior risco de desenvolver alergias nessa fase", frisa Priscila Alves Pereira.

Autobronzeador x tonalizante: qual é a diferença?

A primeira categoria, como já explicamos, contém dihidroaxicetona, substância que reage quimicamente com a queratina da pele, produzindo um pigmento escuro que confere um efeito bronzeado duradouro na cútis. "Já os tonalizantes funcionam como uma maquiagem, proporcionando uma cor imediata que pode ser facilmente retirada com água e sabonete, pois não ocorre uma reação química na pele", fala Priscila Alves Pereira. Vale optar por esse tipo de produto se você busca um efeito que dure apenas algumas horas, por exemplo.

Atenção: autobronzeador NÃO dispensa o uso do protetor solar

A maioria dos autobronzeadores não tem FPS na sua composição, e mesmo os que possuem oferecem uma proteção bastante inferior - uma vez que sua principal função é dar cor para a pele. Somente o protetor solar é capaz de formar uma barreira efetiva contra os raios UVA e UVB. Portanto, seu uso e reaplicação ao longo do dia continua sendo indispensável.

Escrito por Monique Garcia
Redação Minha Vida

O soldado da Brigada Militar Emanuel Araújo venceu o Brazil National Pro de Parajiu-Jitsu nesse domingo (17), em Curitiba, no Paraná. O título garantiu vaga para o Mundial, que será disputado em abril. Este é o segundo título nacional do servidor que está há duas temporadas como líder do ranking na categoria. Araújo, que é bicampeão mundial na modalidade, agora defenderá o tricampeonato, o segundo competindo pela Federação dos Emirados Árabes Unidos.

A trajetória do servidor

Araújo entrou para a Brigada Militar em 2006, quando realizou o curso de formação pelo então Batalhão de Operações Especiais (hoje Batalhão de Polícia de Choque). O atleta é faixa-preta em 
Jiu-jitsu, modalidade que pratica desde 2007.

Morador de Charqueadas, ele sofreu em 2014 um grave acidente de trânsito em Porto Alegre quando voltava de um treinamento. Araújo foi atropelado por um ônibus e passou cerca de 30 dias na UTI. O servidor perdeu os movimentos do braço esquerdo e passou quase dois anos em recuperação.

Determinado, voltou a competir como paratleta em 2016, quando venceu seu primeiro título na modalidade. “Em novembro ganhei o primeiro título mundial. Em seguida conheci outra federação que realiza diversas competições pelo mundo, então competi em Florianópolis, Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo conquistando a vaga para o Mundial nos Emirados Árabes em 2018”, lembra.

Araújo acumula mais de dez conquistas como atleta e paratleta de Jiu-jitsu.

Próximos desafios

Atualmente, o Policial Militar busca auxílio para financiar as despesas para competir no Mundial em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. Entre custos com passagem e estadia, o servidor necessita de aproximadamente 13 mil reais. Para arrecadar os recursos, ele iniciou um financiamento coletivo no site Vakinha. Quem se interessar em contribuir pode acessar o link para o financiamento.

Texto: Lurdenir Matos/SSP
Edição: André Malinoski/Secom

Os contemplados no sorteio 72 do programa Nota Fiscal Gaúcha (NFG), realizado no dia 29 de novembro de 2018, precisam agilizar o resgate dos prêmios em dinheiro. Ao todo, são 154 contemplados que ainda não resgataram os prêmios e o valor acumulado é de R$ 124,5 mil.

Pelo regulamento do programa, o prazo é de 90 dias para providenciar o pedido de saque após a homologação de cada rodada. Os contemplados são comunicados por e-mail, telefonema ou pelo cadastro no site da NFG. Depois de homologado o resultado do sorteio, a coordenação encaminha em média quatro e-mails para os endereços eletrônicos que constam no cadastro, assim como busca estabelecer contato por telefone.

Por esse motivo, é importante que os contribuintes mantenham suas informações pessoais atualizadas. Para solicitar o resgate do prêmio, basta acessar o cadastro da NFG.

A lista com os nomes de quem ainda não fez o resgate está aqui.

O programa

Desde sua criação, a NFG já creditou mais de R$ 61 milhões para as instituições sociais. O programa gera pontos que são acumulados sempre que o consumidor solicitar a inclusão do seu CPF no documento fiscal. São mais de 1,6 milhão de pessoas que já integram esta rede de solidariedade.

O pedido deve ser feito no momento da compra em estabelecimentos participantes. Além de concorrer a prêmios em dinheiro a cada mês e auxiliar entidades, a NFG gera ainda descontos de 1,3 ou 5% no IPVA.

Texto: Cristine Fogliati Nunes, com supervisão de Angela Bortolotto/Sefaz
Edição: André Malinoski/Secom

Há poucos dias, a equipe da ESF Flavio Remedi, do bairro Simon Bolívar, promoveu mais um encontro do grupo “Simon Jovem”. Desta vez o encontro contou com a participação de servidores do Serviço de Atendimento Especializado (SAE) que prestaram orientações ao grupo sobre prevenções de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), tuberculose e gravidez na adolescência.

O grupo Simon Jovem realiza encontros mensais, atendendo jovens dos 12 aos 17 anos, moradores do bairro Simon Bolívar, priorizando o tema da prevenção ao uso de drogas.

http://www.sdolivramento.com.br

O Grêmio confirma oficialmente a contratação em definitivo do atacante Diego Tardelli, que encerrou seu contrato com o Shandong Luneng, da China. Desejo antigo do técnico Renato Portaluppi, Tardelli chegará nesta quarta-feira em Porto Alegre para realizar exames médicos e assinar contrato de três anos com o Tricolor.

Experiente, o atacante iniciou sua carreira profissional no São Paulo, em 2003. No Brasil, o artilheiro ainda passou por São Caetano, Flamengo e Atlético-MG. No exterior, atuou no Real Betis, da Espanha, no PSV Eindhoven, da Holanda, no Anzhi Makhachkala, da Rússia e no Al-Gharafa, do Catar, além do futebol chinês, onde esteve nas últimas cinco temporadas.

Entre os títulos conquistados em sua carreira estão o Mundial de Clubes (2005), duas Libertadores da América (2005 e 2013), uma Copa do Brasil e uma Recopa Sul-Americana (ambas em 2014).

FICHA TÉCNICA

Nome: Diego Tardelli Martins
Nascimento: 10/05/1985 (33 anos)
Naturalidade: Santa Bárbara do Oeste/SP
Clubes: São Paulo, Real Betis (ESP), São Caetano, PSV Eindhoven (HOL), Flamengo, Atlético-MG, Anzhi Makhachkala (RUS), Al Gharafa (QAT) e Shandong Luneng (CHI)

O Ibovespa, principal indicador do desempenho das ações mais negociadas na B3, antiga BM&F Bovespa, encerrou o pregão desta terça-feira (12) em alta de 1,86%, aos 96.168 pontos. O recorde do índice, de 98.588 pontos, foi registrado no último dia 4.

Dentre as ações que compõem o Ibovespa, os papéis que mais valorizaram foram Banco do Brasil ON (6,16%), Vale ON (5,43%) e Bradespar ON (4,89%).

As ações que mais caíram foram Lojas Americanas (3,16%), Suzano (2,87%) e Klabin (2,83%). Os papéis mais negociados foram os do Banco do Brasil ON (6,16%), da Vale ON (5,43%) e da Petrobras (3,54%).

O dólar comercial fechou o dia em baixa de 1,3%, cotado a R$ 3,71. O euro também se desvalorizou, caindo 0,59% e encerrando o dia cotado a R$ 4,21.

Edição: Nádia Franco

 

Os resultados financeiros do Banrisul de 2018 mostram evolução nos principais indicadores financeiros. O banco público gaúcho obteve aumento de 20,3% no lucro líquido recorrente – que chegou a R$ 1,09 bilhão, maior valor em 90 anos de história. Os números foram divulgados nesta terça-feira (12).

No lucro líquido recorrente, a instituição teve desempenho percentual superior a alguns dos principais players privados nacionais: a expansão no Bradesco foi de 13,4% e a do Itaú Unibanco, 3,4%. Segundo o presidente do Banrisul, Luiz Gonzaga Veras Mota, há “apetite para financiar investimentos no Rio Grande do Sul”.

“Temos mais de R$ 2 bilhões no BNDES em linhas para repasse no estado. Há uma confiança para a retomada da economia, e o banco está preparado para este momento. Estamos prospectando operações, à disposição para quem quer se desenvolver aqui”, disse.

Ao longo de 2018, a carteira de crédito do banco cresceu 8,6%, impulsionada 
pela alta liquidez. É um aumento percentual superior ao registrado por Bradesco (7,8%) e Itaú (7,9%). Também foi um crescimento superior ao mercado de crédito em todo o Brasil – que subiu 5,5%, conforme documento divulgado pelo Banco Central na última sexta-feira (8). O crédito comercial – financiamento das famílias e capital de giro das empresas – cresceu em linha com o mercado nacional: 11,2%.

Por meio de concessão de crédito, o Banrisul injetou R$ 47,2 bilhões na economia gaúcha em 2018. O índice de cobertura, que chegou a 300%, também foi ressaltado: “Para cada real de inadimplência, temos três guardados. Isso nos dá segurança para seguir multiplicando a oferta de crédito”, destacou. Bradesco (245%), Santander (241%) e Itaú (200%) tiveram performances inferiores ao Banrisul no ano passado.

Boa parte dos mais de R$ 34 bilhões em operações destinam-se ao varejo – tanto pessoas físicas como jurídicas. São 73,4% para essa parcela, ou R$ 25 bilhões. O setor imobiliário representa 12,1%, ou R$ 4,1 bilhões. Crédito rural (R$ 2,4 bilhões), câmbio (R$ 1,5 bilhão) e financiamento de longo prazo (R$ 920 milhões) completam a carteira. “No auge da crise, em 2015, houve uma baixa na oferta de crédito. Retomamos definitivamente agora e ainda há muito espaço para crescer”, acrescentou o presidente.

Redução da inadimplência

Um dos grandes destaques da gestão do banco foi a redução da inadimplência. Índice estipulado pelo Banco Central – que considera contas atrasadas em mais de 90 dias – foi de apenas 2,6%. Em apenas dois anos, o percentual foi reduzido praticamente pela metade: era de 5% em 2016. No ano passado, foi o melhor desempenho na comparação com os três principais bancos privados do país: Bradesco e Itaú atingiram 3,5%, e Santander chegou a 3,1%.

Os ativos totais do Banrisul subiram em 5,6%, somando avanço de 30% nos 
últimos quatro anos. E o retorno sobre os ativos (ROA) também animou a diretoria, pois o resultado está em linha com as grandes instituições financeiras nacionais. Com média anual de 1,5%, o percentual ficou em cerca de 1,7% nos últimos dois trimestres – desempenho semelhante a Bradesco (com 1,6%), Itaú (1,6%) e Santander (1,7%).

Adquirência em alta

Houve um aumento de receitas verificado especialmente na operação de adquirência do banco, a Vero. O valor transacionado pela empresa subiu 18,9% no ano, passando de R$ 22,4 bilhões para R$ 26,7 bilhões.

Nos últimos quatro anos, a cifra quase duplicou, atingindo 78,7%. “A Vero está muito bem estruturada. Temos um plano de vendas robusto com todas as modalidades do mercado para o lojista, oferecendo um portfólio moderno com mobile, 3G, wifi, POS fixo e Smart POS”, destacou. Gonzaga adiantou que a partir do segundo semestre, com o acréscimo de bandeiras, as máquinas trabalharão com 99,2% do mercado de cartões do Brasil.

A estratégia para crescimento do produto nos próximos anos vem em duas grandes frentes. No Rio Grande do Sul, segundo o presidente, há caminhos para conquistar os próprios clientes do Banrisul, otimizando ainda mais a relação e apostando no uso de canais digitais. Fora do estado, o plano é utilizar a tecnologia e incrementar os subcredenciadores, que estão concentrados no centro do país.

Atualmente, são 22 – mas a meta é chegar a 50 até o final do ano. “São parceiros de negócio, que atuam em nichos diferentes e que se complementam”, disse Gonzaga.

Com 138 mil adquirentes e 365 mil pontos de venda no RS, a Vero apresentou crescimento de 32% nos últimos quatro anos. No mesmo período, o valor transacionado ultrapassou 78%, sendo 18,9% apenas em 2018. Responsável pela Vero e pelo Banricard – que centraliza as operações de cartões de benefícios e empresariais – a Banrisul Cartões S.A. também teve lucro líquido recorde. O crescimento chegou a 16,6% no ano, atingindo R$ 258,9 milhões e margem Ebitda de 48,7%.

Lucro para a sociedade

O Rio Grande do Sul conta com a atuação do Banrisul em diversas frentes da 
comunidade. Citando discussões travadas em Davos, durante o Fórum Econômico Mundial, Gonzaga pontuou que a instituição – sobretudo por ser pública – “não vive do lucro pelo lucro”. “O banco distribui os ganhos para a sociedade. Compartilhamos com todos esses resultados.”

O presidente mencionou que a estatal é quem mais financia hospitais (cerca de R$ 900 milhões em 2018) e universidades (R$ 200 milhões) no estado. Também é a maior doadora do Funcriança, do Fundo do Idoso e do Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon), apoiando também ações sociais como Projeto Pescar e Menor Aprendiz.

Além de patrocinar o esporte profissional, está no topo do incentivo à prática entre crianças e adolescentes gaúchos pela Lei do Esporte. Na Lei Rouanet, o Banrisul é o maior fomentador do estado. E para patrocínios, em 2019, serão 274 eventos, entre grandes e pequenos, selecionados por edital público de projetos.

Gestão de resultados

Os resultados positivos apresentados pelo Banrisul, segundo Gonzaga, foram formados por uma série de fatores. A efetiva cobrança de crédito inadimplente e a contenção das despesas foram alguns dos pilares citados pelo executivo. Por trás dessa atuação, há uma característica importante na performance do banco: o perfil técnico de sua diretoria.

À frente da estatal desde abril de 2015, a atual gestão é formada essencialmente por quadros internos. No período, investiu em processos de qualificação, diversificou o portfólio de produtos e serviços e apostou na modernização do banco – considerado modelo nacional na área de tecnologia e segurança de dados, sendo criador do Fórum Internacional de Tecnologia de Informação, já na 10ª edição.

Para se preparar ainda mais para o novo momento do sistema bancário, foi criada uma unidade de transformação digital, que integra a área de TI com o setor de negócios. Inteligência artificial, computação cognitiva e internet das coisas já fazem parte da rotina da instituição.

Para os próximos anos, a gestão construiu um planejamento estratégico de 2018 a 2022. Desenhando objetivos, metas e diretrizes orçamentárias, o documento traz um plano de ação integrado entre Conselho de Administração, diretoria e rede de agências. “São iniciativas traçadas para atingir objetivos de médio e longo prazos. Fazemos isso tudo com um trabalho muito forte de governança e gestão de oportunidades”, ressaltou. “O desempenho dos últimos anos reflete decisões estratégicas e o trabalho incansável de todos os colaboradores. Avançamos muito e reafirmamos a vocação como um banco de varejo”, concluiu Gonzaga.

Texto: Ascom/Banrisul
Edição: Marcelo Flach/Secom

 Foto: David Pires / Banrisul

 

Existem muitas formas de doação. O verbo doar sempre que é conjugado na grande maioria das vezes dá razão a uma bela ação. Imagine uma doação de tempo numa atividade que atinge a todos. Foi o que fez o grupo Movimento Cronometragem e Assessoria Esportiva e a VS Nutrição de Rossana Velazquez Schultz. O grupo também composto pelos atletas Nidgie da Silva, Siham e Sameher Baja, Suzen Baja e Ruth Andrea Diaz, resolveu adotar um canteiro do Parque Internacional próximo do monumento A Mãe. As responsáveis comunicaram à Prefeitura da iniciativa e do real propósito da ação, que foi limpá-lo e mantê-lo com a grama cortada para que todos os usuários do Parque Internacional possam usufruir do espaço e colaborar pela manutenção e limpeza do local. O mutirão de limpeza ocorreu na manhã desta sexta-feira e o local ganhou num novo aspecto após a limpeza geral. Depois do trabalho o grupo se reuniu para uma breve confraternização, um almoço coletivo. O local passa a receber limpeza periódica do grupo que vai utiliza-lo para atividade físicas, como exercícios ao ar livre antes e pós treinos, café da manhã coletivo ou simplesmente tirar os calçados e relaxar em contato com o verde da natureza. Ésta ação do Grupo Movimento e VS Nutrição visa compartilhar ações em benefícios de todos os cidadãos que desejam usufruir de espaços públicos mais bem cuidados.

Página 1 de 318
Topo