Gisnei

Gisnei


O acordo sanitário entre o Brasil e o Uruguai foi o tema da reunião da Comissão do Mercosul e Assuntos Internacionais, da Assembleia Legislativa, na manhã desta quarta-feira (8/7). O governador Eduardo Leite e o ministro da Saúde do Uruguai, Daniel Salinas, participaram da encontro feito por videoconferência.

Assinado no dia 26 de junho, é o primeiro convênio entre países latino-americanos para o enfrentamento ao coronavírus. O acordo prevê ações envolvendo os planos sanitário e epidemiológico na área de abrangência da fronteira entre os municípios de Santana do Livramento e Rivera, no Uruguai. O plano foi apresentado pela Secretaria da Saúde do Estado(SES).

Durante a reunião, a secretária da Saúde, Arita Bergmann, informou que já está em avaliação pelo Ministério da Saúde a solicitação de mais 10 respiradores para a Santa Casa de Santana do Livramento. Segundo ela, "essa aproximação já tem resultados concretos". Arita colocou a equipe da Saúde do Estado à disposição para todas as reuniões sobre este tema que forem necessárias. "Para que a saúde da nossa população e a saúde dos nossos irmãos, vizinhos, esteja protegida com cuidados e adoção de protocolos comuns entre as cidades de Rivera e Santana do Livramento", salientou.

O governador reiterou a disposição do Estado em seguir trabalhando em parceria no combate ao coronavírus. “A doença não reconhece fronteiras estabelecidas em papel, e a vida das pessoas que vivem praticamente na mesma cidade, com interações diárias nas rotinas, tampouco reconhece essa divisão. Temos a responsabilidade coletiva de enfrentarmos e vencermos a situação, melhorando a eficácia do controle do coronavírus na fronteira”, detalhou.

Um exemplo prático do convênio é a ampliação da testagem dos gaúchos. O governo uruguaio fornecerá insumos para a realização de exames RT-PCR parceria com universidades do Rio Grande do Sul. "Isso mostra que podemos cooperar, mesmo em tempos de tanta radicalização", apontou Leite.

O líder do governo na Assembleia e presidente da Comissão do Mercosul, deputado Frederico Antunes, presidiu o encontro, que também contou com a participação do presidente da Assembleia, deputado Ernani Polo.

O ministro da Saúde do Uruguai, Daniel Salinas, reforçou a importância do acordo. “É um intercâmbio muito frutífero e o início de um caminho de cooperação e de irmandade. Sempre tivemos esse espírito com nossos hermanos no Brasil, mas essa é a oportunidade de fazermos algo no sentido mais pragmático. De nossa parte, faremos tudo que for possível para ajudar”, garantiu.

Salinas elencou algumas das ações tomadas pelo país uruguaio, como o sequenciamento de DNA do coronavírus e o estudo dos residuais das águas para detectar restos e fragmentos de vírus.

O planejamento de enfrentamento conjunto ao coronavírus começou no final de maio, quando o governador conversou com o presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou. Além de oferecer apoio técnico ao presidente do país vizinho, Leite elencou a importância de ações de preservação à vida nos municípios fronteiriços: Santana do Livramento e Rivera, Chuí e Chuy, Aceguá e Aceguá, Quaraí e Artigas, Barra do Quaraí e Bella Unión e Jaguarão e Rio Branco.

Também participaram da videoconferência o embaixador do Brasil no Uruguai, Antonio Simões; o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni; o diretor de Assuntos Internacionais do Ministério da Saúde do Brasil, Flavio Werneck; a secretária de Relações Federativas e Internacionais do RS, Ana Amélia Lemos; o senador uruguaio Tabaré Viera; o presidente da Comissão de Assuntos Internacionais da Câmara do Uruguai, deputado Marne Osório; o prefeito de Santana do Livramento, Ico Charopen; e a intendente de Rivera, Alma Gallup.


Texto: Suzy Scarton
Edição: Vitor Necchi/Secom/Ascom/SES

Os clubes brasileiros de vôlei feminino ainda não sabem quando voltarão a jogar. Muitos deles não sabem nem quando retornarão aos treinos. Mas, mesmo assim, alguns já estão anunciando contratações e parcerias. É o caso de dois dos principais times do cenário nacional, que nesta quarta (8) fizeram importantes divulgações. Com o slogan “O jogo continua. A bola não vai parar”, o Vôlei Bauru confirmou nas redes sociais a renovação do acordo com o Sesi, parceria iniciada em 2018.

Em contato com a Agência Brasil, o presidente do clube, Reinaldo Mandaliti, salientou que o acerto é vital para a manutenção de uma equipe forte. “A renovação é vital. Estamos vivendo um momento muito difícil e sem precedentes no Brasil e no mundo. Sem a parceria do Sesi, nada seria possível”, comentou o dirigente.

Em relação ao elenco, o time, que foi o melhor paulista na temporada passada (com 13 vitórias em 22 jogos, quando a Superliga foi encerrada pela pandemia), mantém negociações para renovar com a oposta Rahimova e pretende contratar a central Mara, a ponteira Mari Casemiro e “repatriar” a levantadora Carol Leite e a líbero Brenda Castillo. “Todas elas interessam. São excelentes atletas. Mas nenhuma delas está confirmada. Estamos trabalhando e teremos novidades nos próximos dias. O que posso garantir é que não temos negociações com a ponteira Mari Paraíba e com a central Fabiana”, informou o presidente Reinaldo.

Outro time paulista que apresentou novidades hoje (8) foi o Osasco, cinco vezes campeão brasileiro. O time da grande São Paulo confirmou a chegada da oposta Tandara, uma das principais jogadoras do vôlei brasileiro, que defendeu o Sesc/Rio de Janeiro na última Superliga. “É a cidade do meu coração. Sempre fui muito bem tratada. Pesou muita coisa para essa volta, minha vida, minha filha, o trabalho do meu marido. Com certeza, o pensamento de todo o time é de que será uma temporada maravilhosa, com muita garra dentro de quadra”, declarou em live promovida pelo time paulista. Ela retorna ao clube após dois anos para a quarta passagem pelo clube.

Além da oposta campeã olímpica em Londres 2012, o Osasco confirmou a renovação da líbero Camila Brait. Será a 13ª temporada da jogadora pela equipe. “Cheguei em 2008, o Luizomar [de Moura, técnico] foi o primeiro cara que acreditou em mim. Sou muito grata. Aqui conheci meu marido, tive minha filha, tenho identificação com a torcida e é onde quero estar”, disse a atleta, que também participou da live.

A edição 2019/2020 da Superliga foi encerrada após o término da primeira fase, por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Segundo Luizomar, o ginásio José Liberatti e a academia na qual o elenco trabalha foram desinfectados na última terça (7). O técnico também revelou que terá uma reunião com dois infectologistas ainda nesta quarta. “Sei da expectativa da torcida apaixonada. Todos querem saber quando retornamos. Começamos nosso protocolo, com todos os cuidados”, afirmou o treinador.

O primeiro torneio das duas equipes deve ser o Campeonato Paulista. Existe uma previsão de que o torneio comece na primeira semana de setembro. Mas, para ser confirmada, ainda depende de protocolos sanitários e acordos entre as órgãos responsáveis.

Edição: Fábio Lisboa

Em três meses de vigência, o auxílio emergencial de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras) elevou o padrão de vida em mais de 23 milhões de lares brasileiros, revelou relatório divulgado, hoje (8), pela Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia. Nos domicílios mais pobres, mais de 93% da renda vem do benefício social.

A secretaria publicou nota informativa em que usa dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD – Covid-19) para analisar a abrangência, a focalização e o efeito sobre a distribuição de renda do auxílio emergencial.

De acordo com o texto, a medida conseguiu atender aos objetivos ao se concentrar nos trabalhadores informais e nos indivíduos, tanto os que estão sem ocupação como fora da força de trabalho, em especial, nas faixas mais baixas da distribuição de renda.

Segundo a análise, a medida é fortemente concentrada nos 30% mais pobres da população brasileira, apesar de denúncias apuradas pela Controladoria-Geral da União (CGU) de que pessoas que não teriam direito ao auxílio recebem o benefício. Nos cerca de 23 milhões de domicílios com elevação do padrão de vida, informou o relatório, o auxílio emergencial permitiu que os moradores saíssem do nível habitual de renda a padrões que superam os limites de extrema pobreza e de pobreza.

“O auxílio emergencial conseguiu atingir plenamente os seus objetivos. O foco na população mais pobre e nos trabalhadores informais merece destaque. Muitas famílias tiveram sua vida melhorada pelo auxílio, permitindo a adoção de práticas voltadas à prevenção contra a Covid-19 e a elevação do seu padrão de consumo”, informou o Ministério da Economia em comunicado.

Edição: Fernando Fraga

O Ministério da Educação anunciou hoje as novas datas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O exame, que teve a aplicação adiada por causa da pandemia do novo coronavírus, será realizado nos dias 17 e 24 de janeiro de 2021. Já a prova do Enem digital ocorrerá nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro de 2021, informou o Ministério da Educação (MEC).

Os resultados finais das provas serão divulgados a partir do dia 29 de março de 2021.

O evento ocorreu no Ministério da Educação (MEC) e contou com a presença do secretário-executivo da pasta, Paulo Vogel, e o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes.

Segundo o levantamento feito pelo Inep, para 49,7% dos estudantes, o Enem impresso deveria ser aplicado em 2 e 9 de maio de 2021 e o Enem digital em 16 e 23 de maio. As provas estavam originalmente marcadas para ocorrer em novembro.

Seleção Unificada

As inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) estão abertas até o dia 10 de julho. Serão oferecidas mais de 51 mil vagas em instituições de ensino superior do país. 

Pela primeira vez, além dos cursos de graduação presenciais, o Sisu 2020.2 vai ofertar vagas na modalidade a distância (EaD). Além de ter feito o Enem de 2019, os interessados não podem ter zerado a redação. Estudantes que fizeram o exame na condição de treineiros também não podem participar.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

O Tesouro do Estado quitou nesta quarta-feira (8/7) os salários em aberto referente à folha de maio dos servidores do Poder Executivo. O depósito para 4% dos vínculos (acima de R$ 10,5 mil líquidos) que ainda não tinham o salário integralizado já está disponível nas contas.

Como já anunciado, o governo do Estado inicia o pagamento referente à folha de junho na sexta-feira (10/7), quitando o grupo de servidores que recebem líquido até R$ 1,5 mil (23% dos vínculos)

tabela junho
Folha salarial de junho do Executiva começa a ser paga no dia 13 de julho - Foto: Sefaz

Texto: Ascom Sefaz
Edição: Secom

Recentemente a Prefeitura Municipal, através das secretarias de Obras e Trânsito realizou algumas alterações na rótula localizada na Avenida João Pessoa, em frente ao Edifício Panorama.

Dentre os trabalhos, as equipes fizeram a redução da rótula, a qual antes possuía 6 metros, agora com a mudança passa a ter 4 metros de diâmetro, facilitando assim as manobras dos motoristas no local. Além da modificação na estrutura, as equipes fizeram a manutenção do local.

 

O presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, afirmou nesta terça (7), em entrevista à rádio espanhola RAC-1, que a contratação do atacante brasileiro Neymar é muito pouco provável no atual momento, no qual os times de futebol têm de lidar com prejuízos provenientes da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

“É pouco provável uma negociação assim, pois a situação de todos os times na Europa é muito difícil (…). Todos estão vendo como se reestruturar após a pandemia”, declarou o dirigente ao ser perguntado sobre um possível retorno do atacante brasileiro, que atualmente está no PSG.

Durante a conversa, Bartomeu também comentou os rumores de que o craque argentino Lionel Messi poderia deixar a equipe catalã, pois ainda não renovou o seu contrato, que expira no dia 30 de junho de 2021.

“Vejo Messi querendo continuar. Ele sempre disse que deseja se aposentar no Barça, e estou convencido de que isso acontecerá”, declarou o dirigente.

Edição: Fábio Lisboa

O presidente Jair Bolsonaro informou hoje (7) que testou positivo para o novo coronavírus (covid-19). O resultado do exame realizado ontem (6) saiu nesta terça-feira por volta das 11h. Bolsonaro disse que, depois de um mal-estar, já sente que está bem. Ele informou ainda que está adotando o tratamento com hidroxicloroquina e azitromicina.

Bolsonaro contou que os sintomas tiveram início no domingo (5). "Começou no domingo com uma certa indisposição e se agravou durante a segunda-feira com mal-estar, cansaço, um pouco de dor muscular e a febre no final da tarde chegou a bater 38 graus”, disse em entrevista transmitida pela TV Brasil e outras emissoras. Com o médico da Presidência apontando para possibilidade de contaminação por covid-19, Bolsonaro passou por uma tomografia no Hospital da Forças Armadas, em Brasília, e, segundo ele, os pulmões estavam limpos.

“Mas, dados os sintomas, a equipe médica resolveu aplicar a hidroxicloroquina. Eu tomei ontem por volta das 17h o primeiro comprimido. Também a azitromicina, todo aquele composto foi ministrado e confesso, como acordo muito durante a noite, depois da meia-noite consegui sentir alguma melhora. Às 5h, tomei a segunda dose e confesso a vocês que estou perfeitamente bem”, disse.

Para ele, o pronto atendimento médico e a forma como administraram essas medicações levaram à rápida melhora. “Reforço aqui o que os médicos têm dito, que [com] a hidroxicloroquina na fase inicial a chance de sucesso chega a quase 100%”, disse. Bolsonaro sempre defendeu esse protocolo, do uso de hidroxicloroquina na fase inicial de sintomas. Assim como essa droga, outros medicamentos vem sendo testados, mas ainda não há remédio ou vacina com eficácia comprovada contra a covid-19.

O presidente cancelou as viagens previstas para a Bahia e Minas Gerais nesta semana. Nos próximos dias, Bolsonaro vai despachar por videoconferência e, em caso de necessidade, pessoalmente do Palácio da Alvorada, sua residência oficial. Segundo o presidente, ele deve repetir o exame na semana que vem. “As medidas protocolares que estou tomando é para evitar contaminação a terceiros, isso cabe a todo cidadão brasileiro, seja cidadão comum ou o presidente da República”, disse.

Bolsonaro disse ainda que imagina que já tivesse contraído a doença, sem manifestar sintomas, “em vista da minha atividade muito dinâmica perante a população”. Nos últimos meses, o presidente compareceu a manifestações de apoio a seu governo, andou pelo comércio da capital federal e cumprimentou apoiadores.

“Tendo em vista esse meu contato bastante intenso nos últimos meses, eu achava até que tivesse contraído e não percebido, como a maioria da população brasileiro contrai o vírus e não percebe problema nenhum”, disse. “As pessoas abaixo de 40 anos, a não ser que tenha problema de saúde, a chance é quase zero a sofrer, ter consequência maior da contaminação”, completou.

O presidente voltou a defender que apenas idosos e pessoas com comorbidades devem se submeter ao isolamento social. Para ele, as atividades no país devem ser retomadas. “A vida continua, o Brasil precisa produzir, você tem que colocar a economia para rodar. A vida, eu sei que ninguém recupera, mas a economia não funcionando leva a outras causas de mortes e óbitos no Brasil”, disse, citando problemas como depressão e suicídios.

A Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom) também divulgou nota sobre o resultado do exame do presidente. “O resultado do teste de covid-19 feito pelo presidente Jair Bolsonaro na noite dessa segunda-feira, 6, e disponibilizado na manhã de hoje, 7, apresentou diagnóstico positivo. O presidente mantém bom estado de saúde e está, nesse momento, no Palácio da Alvorada", diz o texto.

Novo ministro

Na entrevista, Bolsonaro também falou sobre a escolha do novo ministro da Educação. Segundo ele, há excelentes currículos sobre a mesa, mas quando os cotados “veem o problema, alguns declinam outros pedem tempo para pensar”. “Ninguém quer chegar lá dando murro em ponta de faca, mas uma grande realidade que devemos ter na cabeça é que [a educação] não está dando certo”, disse Bolsonaro.

O cargo está vago desde 18 de junho, quando Abraham Weintraub anunciou a sua saída. O presidente chegou a nomear Carlos Decotelli, mas a posse não se concretizou.

De acordo com Bolsonaro, um dos nomes cotados é o do líder do governo na Câmara, deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO). “Seria uma pessoa excepcional, mas vão cair em cima dele por ser major do Exército, acham que tem militar demais no governo”, disse.

Ao enaltecer a capacidade do deputado para a área da educação, Bolsonaro citou o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, que é general do Exército. “Como criticam o Pazuello por não ser médico, mas é excelente como gestor na saúde. Precisava de alguém com esse perfil lá”, disse, explicando que o general está completando três meses como ministro interino, mas “não vai ficar para sempre”.

or Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil 

As dificuldades de micro e pequenas empresas em conseguir acesso ao crédito oferecido pelos bancos, a partir da pandemia do novo coronavírus, foi exposta nesta terça-feira (7) por entidades à comissão mista do Congresso que analisa as ações do governo no enfrentamento da covid-19.

Segundo presidente da Confederação Nacional das Micro e Pequenas Empresas e dos Empreendedores individuas (Conampe), Ercílio Santinone, cerca de 50% desse público não têm conta bancária em nome da entidade ou da empresa. “Eles trabalham com a sua conta bancária pessoal. E outros nem pessoalmente têm conta bancária porque, em função de qualquer contratempo, perderam o seu crédito, foram negativados e ficaram sem condições de operar qualquer atividade bancária – às vezes, uma caderneta de poupança, e, às vezes, ainda, essa poupança está em nome da esposa ou de um filho para que não seja bloqueado o pouco de recursos que consegue colocar nessa conta bancária em função de tributos que nem sempre conseguiram pagar.”

Ainda segundo presidente da Conampe, a pandemia do novo coronavírus mostrou “as mazelas do segmento, como a evidência de que falta tradição em operações bancárias". “Estamos vendo ainda que toda essa linha de crédito não conseguiu chegar à microempresa ou ao MEI [microempreendedor individual]. Ela pega sempre a pequena empresa ou a que tem um pouco mais de faturamento, que tem tradição bancária, em que nenhum dos sócios está negativo. Então, foi feita uma seleção de pequenas empresas que já operavam com o banco e essas conseguiram acessar o crédito. Aquelas que não operavam com o banco ou que não tinham tradição, não tinham feito empréstimos, não tinham limite pré-aprovado, essas não têm conseguido os recursos”, disse Santinoni.

Crédito nas cooperativas

Pelas cooperativas, Ênio Meinen, da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), destacou que na comparação do intervalo de abril a junho deste ano, período agudo da pandemia, com o mesmo intervalo de 2019, a carteira de crédito das cooperativas para esse público teve uma expansão próxima de 30%. “A explicação basicamente tem a ver com o fato de os empresários reunirem uma dupla condição: eles são clientes e donos ao mesmo tempo das cooperativas. Essa circunstância, além de facilitar o acesso ao crédito – conforme eu já falei –, também desonera substancialmente esses associados, donos dos empreendimentos, com relação a custos de abertura de crédito, custos com seguros e tarifas”, destacou.

Apesar disso, o representante da OCB lamentou que apenas 10% dos empreendedores têm batido às portas das cooperativas para procurar crédito nesse período. As cooperativas, afirmou, respondem hoje por 10% do crédito total destinado ao pequeno negócio no Brasil e há um potencial evidentemente de expandir essa representatividade.

“É fundamental, dado especialmente o tempo que as instituições levaram para colocar no ar, enfim, fazer adaptação dos seus sistemas operacionais e seus sistemas tecnológicos, que haja prorrogação do Pese [Programa Emergencial de Suporte a Empregos], é uma proposta que já está em discussão no âmbito da conversão em lei da Medida Provisória”, lembrou Menien.

Outro lado

O diretor de Fiscalização do Banco Central, Paulo Sérgio Neves de Souza, garantiu que o crédito vai começar a chegar para as micro e pequenas empresas brasileiras a partir da segunda quinzena de julho. “Os bancos privados têm todo o interesse em emprestar. Com os programas de risco compartilhado, a sociedade vai perceber o crédito chegando a partir da segunda quinzena de julho”.

Souza disse ainda que os bancos demonstraram “aversão” à concessão de empréstimos para microempresas a partir do mês de maio e, por isso, o incentivo ao crédito passou a depender da atuação do estado. “Esse arrefecimento é natural e decorre da ampliação da aversão ao risco por parte das instituições financeiras. Diante desse quadro, o novo impulso ao crédito passa a depender de um esforço fiscal por parte do estado, assumindo ou compartilhando o risco com as instituições financeiras”, destacou.

O diretor do Banco Central avaliou que a partir deste mês os Programas Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) e o Emergencial de Acesso ao Crédito – conhecido como FGI – devem ganhar força e começar a trazer mais resultados.

O diretor também comparou a crise econômica provocada pela covid-19 à enfrentada pelo mundo em 2008. De acordo com ele, todas as medidas tomadas pelo Banco Central para garantir a liquidez já impulsionaram em R$ 175 bilhões o mercado de crédito. “Os esforços das medidas de liquidez e de crédito são compatíveis com a severidade da atual crise. Em três meses já implementamos o total do realizado na crise financeira internacional de 2008. Nosso esforço monetário e fiscal é incomparável com o de outros países emergentes e supera grande parte do de países avançados”, disse.

Edição: Aline Leal

Por Karine Melo - Repórter da Agência Brasil 

Na última semana, a Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Saúde, realizou a entrega de um respirador para a Santa Casa de Misericórdia.

O novo equipamento é um ventilador pulmonar eletrônico neonatal, pediátrico adulto, composto de monitor e respirador, e que será utilizado na UTI do hospital.

O ato de entrega do novo equipamento contou com a presença do secretário de Saúde, Eder Fialho, do diretor geral do hospital, Sérgio Oliveira e do diretor administrativo Luiz Arrieta.

Página 1 de 430
Topo