Gisnei

Gisnei

Caxumba é uma infecção causada pelo vírus Paramyxovírus, transmitido por saliva ou perdigotos de pessoas infectadas. A doença afeta justamente as glândulas parótidas, responsáveis pela produção de saliva.

O ser humano é o único hospedeiro natural da caxumba. Sendo assim, só é possível contraí-la pelo contato com outra pessoa infectada.

Sintomas

 Algumas pessoas podem ter caxumba sem apresentar qualquer sintoma, ou então sinais muito brandos da doença. Quando os sintomas se desenvolvem, eles usualmente aparecem após duas ou três semanas do contato com o vírus.

O primeiro e mais importante sintoma é o inchaço das glândulas salivares. 

A semana na Câmara dos Deputados vai começar com a expectativa de o plenário iniciar a discussão sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 6/19) da reforma da Previdência nesta terça-feira (9).

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), acredita que o texto poderá ser votado em dois turnos antes do recesso parlamentar, que começa em 18 de julho.

 

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, após reunião na residência oficial da presidência da Câmara.
Para Rodrigo Maia, texto da reforma da Previdência poderá ser votado em dois turnos na Câmara antes do recesso parlamentar, que começa dia 18 - Marcelo Camargo/Arquivo/Agência Brasil

O parecer do relator Samuel Moreira (PSDB-SP) na comissão especial que tratou do tema foi aprovado na quinta-feira (4), e os destaques ao texto-base terminaram de ser apreciados pelos integrantes do colegiado na madrugada de sexta-feira (5).

Para o texto começar a ser debatido no plenário, o regimento da Câmara estabelece um prazo de duas sessões após a conclusão da votação na comissão especial.

Maia avalia que já tem votos necessários para aprovar a reforma no plenário. A expectativa do parlamentar é que a medida seja aprovada por pouco mais de 325 deputados.

Com a aprovação na comissão especial, a proposta seguiu para o plenário da Câmara. Por se tratar de uma PEC, o texto precisa ser aprovado por três quintos dos deputados, o correspondente a 308 votos favoráveis, em dois turnos de votação.

Aprovada pelos deputados, a matéria segue para apreciação do Senado, onde também deve ser apreciada em dois turnos e depende da aprovação de, pelo menos, 49 em um universo de 81 senadores.

Destaques

Após 16 horas de debates, a comissão especial concluiu, na madrugada da sexta-feira (5), a votação dos destaques com sugestões de mudanças no relatório.

Foram derrubados, em bloco, 99 destaques individuais e analisados, um a um, 17 destaques de bancadas – a maioria rejeitada.

Apenas dois destaques foram aprovados. Um deles, do bloco PP, PTB e MDB, retirou dois temas do relatório. O primeiro é a limitação para renegociação de dívidas junto ao estado em até 60 meses. Atualmente, os programas não têm limitação de prazo.

O segundo ponto excluído do parecer trata da cobrança de contribuições previdenciárias sobre a exportação do agronegócio. Com essa renúncia fiscal, o governo projeta uma redução da economia prevista com a reforma em R$ 83 bilhões nos próximos dez anos.

O outro destaque aprovado, do DEM, retira policiais militares e bombeiros do texto da PEC.

Os deputados aprovaram, por unanimidade, a retirada da aplicação a policiais militares e bombeiros das regras de transferência para inatividade e pensão por morte dos integrantes das Forças Armadas, até que uma lei complementar local defina essas regras.

O texto exclui ainda a possibilidade de que lei estadual estabeleça alíquota e base de cálculo de contribuição previdenciária para policiais e bombeiros militares.

Agentes de segurança e professores

A comissão especial rejeitou mudanças nas regras de aposentadoria para policiaisque servem à União. Pelo texto aprovado na comissão especial, policiais federais e legislativos se aposentarão aos 55 anos de idade, com 30 anos de contribuição e 25 anos de exercício efetivo na carreira, independentemente de distinção de sexo. http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2019-07/comissao-rejeita-regras-especiais-de-aposentadoria-para-policiais

Por 30 votos a 18, a comissão rejeitou mudança nas regras de aposentadoria de professores. O destaque buscava manter as atuais regras de aposentadoria para professores, com 25 anos de contribuição para mulheres e 30 anos para homens, sem exigência de idade mínima.

Pelo texto do relator, as professoras poderão se aposentar com 57 anos de idade e 25 de contribuição; e os professores, com 60 de idade e 30 de contribuição. Os profissionais do magistério terão de comprovar efetivo exercício na educação infantil ou nos ensinos médio e fundamental.

 

Edição: Kleber Sampaio
 
Por Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil

Deu a lógica do futebol na final entre Brasil e Peru, com a Seleção Canarinho sagrando-se campeã da Copa América, vencendo por 3 x 1. A partida, neste domingo (7), foi emocionante desde os primeiros minutos de jogo, com as seleções brasileira e peruana duelando em pé de igualdade, com superioridades técnica e individual do Brasil recebendo combate com garra e disposição por parte do Peru.

A partida iniciou após um minuto de silêncio em homenagem ao músico João Gilberto, falecido ontem. Logo no início, aos 2 minutos de jogo, o juiz marcou uma falta para o Peru, batida por Cueva com perigo, no canto inferior direito de Alisson, com a bola indo para fora. Aos 5 minutos, um ataque do Peru foi parado com falta em cima de Guerrero. A tática peruana foi partir para cima do Brasil, tentando manter os brasileiros em sua defesa. Mas a estratégia abriu espaço para o Brasil, que foi acertou passes e levou perigo ao goleiro Gallese.

A partir dos 12 minutos, o domínio passou a ser brasileiro, invertendo o jogo e mantendo o Peru em seu campo de defesa e forçando ao erro o time de Ricardo Gareca. Até que aos 14 minutos, um passe de Gabriel Jesus encontrou Everton Cebolinha, que colocou nas redes, sem chances para Gallese.

O gol brasileiro desestabilizou o time peruano, que passou a errar passes e demonstrar nervosismo em campo. Aos 24 minutos, Coutinho recebeu de Firmino e chutou com perigo, com a bola passando próxima à trave. Aos 30, Gabriel Jesus fez falta de ataque e recebeu cartão amarelo. Aos 34, passe de Firmino cabeceou por cima do gol, mas o assistente já havia marcado impedimento.

A partir dos 36, o time peruano conseguiu se reorganizar em campo e passou a atacar o gol de Alisson, mas sem maior perigo. Até que aos 41, a bola toca o braço esquerdo de Thiago Silva dentro da área e o juiz marca pênalti, após conferir o VAR (árbitro de vídeo). Guerrero bateu colocado no canto esquerdo de Alisson, que pulou para o lado errado.

Mas a alegria peruana só durou até os 47 minutos, com gol de Gabriel Jesus recebendo de Arthur e tocando rasteiro no canto direito de Gallese.

Segundo tempo

Logo a 1 minuto da segunda etapa, o Brasil começou atacando e conseguiu um escanteio, sem levar perigo ao gol peruano. Aos 3 minutos, Tapia parou ataque do Brasil fazendo carga contra Coutinho e levando cartão amarelo. Aos 7 minutos, Thiago Silva fez falta sobre Cueva e também levou cartão amarelo. Aos 9 minutos, tabela entre Gabriel Jesus e Firmino levou perigo ao gol peruano, mas não foi aproveitada.

Aos 11, Everton Cebolinha fez vários dribles em cima da zaga peruana e cruzou na cabeça de Firmino, que não aproveitou e jogou para fora. A pressão brasileira continuou, mas não intimidou o Peru, que optou por não se fechar, mesmo sem levar perigo para Alisson.

Aos 22 minutos, Zambrano fez falta violenta em Gabriel Jesus e levou cartão amarelo. Aos 24, Gabriel Jesus fez falta, levou o segundo cartão amarelo e acabou expulso, saindo inconformado de campo, empurrando e quase derrubando a cabine do VAR . A expulsão motivou os peruanos que partiram para cima. Tite tirou Firmino e colocou Richarlison. Em seguida, tirou Coutinho e colocou Éder Militão.

Aos 32, o técnico Gareca tirou Yotún e colocou Ruidiaz. Aos 38, Advincula fez falta forte em cima de Everton Cebolinha, parando o ataque brasileiro. Aos 40, saiu Carrillo para a entrada de Polo. Em seguida, aos 41, Everton Cebolinha foi trombado por Zambrano na grande área e o juiz marcou pênalti, após consultar o VAR. A cobrança coube a Richarlison, que chutou à direita de Gallese, que ainda foi na bola, mas não alcançou, chegando aos 3 x 1, levantando a torcida aos gritos de “É campeão”.

Tite ainda fez mais uma substituição, colocando Allan no lugar de Everton Cebolinha. O Peru ainda tentou uma reação, mas não havia mais tempo, com a partida terminando aos 51 minutos.

 

Brasil é campeão da Copa América
Brasil é campeão da Copa América - Reuters/Ricardo Moraes/Direitos Reservados

Festa e Bolsonaro

A taça foi erguida pelo capitão Daniel Alves, que a recebeu das mãos de Alejandro Domingues, presidente da Conmebol, consagrando a festa brasileira no campo e nas arquibancadas. O presidente Jair Bolsonaro participou da comemoração. Antes, logo no início da partida, ele tomou lugar na tribuna de honra. Bolsonaro estava acompanhado dos ministros da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, da Economia, Paulo Guedes, da Cidadania, Osmar Terra, das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno. O senador Flávio Bolsonaro, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, e o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, também estavam presentes.

Antes da partida

Para a festa de encerramento, o campo foi coberto com uma lona colorida e um palco com o formato da América do Sul foi montado no centro do estádio. A cantora Anitta se apresentou e cantou ao lado do porto-riquenho Pedro Capó. Ao final do show, ela homenageou o cantor e compositor João Gilberto, chamando-o de mestre. 

Escalação

O Brasil jogou com: Alisson, Dani Alves, Marquinhos, Thiago Silva, Alex Sandro, Arthur, Casemiro, Philippe Coutinho (Éder Militão), Gabriel Jesus, Roberto Firmino (Richarlison) e Everton (Allan).

O Peru jogou com: Pedro Gallese, Luis Advíncula, Carlos Zambrano, Luis Abram, Miguel Trauco, Renato Tapia (Gonzales), Yoshimar Yotún (Ruidiaz), André Carrillo (Polo), Christian Cueva, Edison Flores e Paolo Guerrero.

Árbitro: Roberto Vargas (Chile). Assistentes: Christian Alonso (Chile) e Claudio Ortiz (Chile).

Renda: R$ 38.769.850

Pagantes: 58.504.

Edição: Nathália Mendes

Por Vinícius Lisbôa, Vladimir Platonow, Nathália Mendes e Edgard Matsuki - Repórteres da Agência Brasil  Rio de Janeiro e Brasília

 

Foto: Reuters/Ricardo Moraes/Direitos Reservados

Chocolate com grilo, hot dog de banana e comida sustentável. Esses são alguns dos sabores da gastronomia do futuro, que foram apresentados durante o evento Taste Tomorrow Brasil, realizado em São Paulo nesta semana. O evento mostrou também diferentes sabores da Ásia, Oriente Médio e de lugares desconhecidos da América do Sul.

Além das comidas, o evento apresentou uma pesquisa com as tendências gastronômicas do Brasil e do mundo. O estudo foi encomendado por uma multinacional do setor de panificação, confeitaria e chocolate e foi feito pelo Instituto de Pesquisa Ipsos. O levantamento mediu o que as pessoas esperam desse setor em 2030. De acordo com os dados, 73% dos brasileiros gostam de provar novas texturas alimentares, 59% buscam “pratos bonitos aos olhos” e 57% buscam pelo sabor. As perguntas foram feitas para mais de 17 mil consumidores, em 40 países. No Brasil a pesquisa foi feita com 1,2 mil pessoas.

Nas regiões da Ásia, Oriente Médio e América do Sul os consumidores estão mais otimistas que a comida ficará mais saborosa no futuro – em 2030. No Brasil, 39% dos entrevistados opinam que a comida ficará mais saborosa, 45% dizem que será a mesma coisa e 16% afirmam que a comida ficará menos saborosa.

Ainda sobre o sabor dos alimentos, a pesquisa mostra que ele continua entre os três principais quesitos de escolha de um produto nos segmentos de panificação, confeitaria e chocolate. O preço ficou na segunda posição como um dos fatores decisivos no momento da compra. O cheiro também é um fator que encoraja os consumidores a comprarem e provarem o pão. Além disso, a pesquisa aponta que comidas com texturas diferentes são mais atraentes. Assim, a textura se tornou um componente chave quando o assunto é sabor, pois proporciona uma nova experiência ao consumidor.

A pesquisa mostra ainda que 87% dos brasileiros entrevistados concordam que o aroma faz com que as pessoas queiram comprar ou experimentar pães; 73% dos brasileiros entrevistados gostam de provar comida com texturas diferentes e 59% dos brasileiros acreditam que a comida ‘bonita aos olhos’ é também saborosa.

Comida saudável

Globalmente, os consumidores acreditam que a comida ficará mais saudável no futuro. Consumidores da Ásia e do Pacífico são os mais otimistas se comparados a outras regiões. No Brasil, 36% dos entrevistados disseram que a comida será mais saudável no futuro, número maior que a expectativa global, que ficou em 34%. Ainda no Brasil, 33% das pessoas acham que será a mesma coisa e 30% acreditam que a comida será menos saudável.

Segundo a pesquisa, muitos consumidores estão procurando triar alguns ingredientes de seus alimentos, como o açúcar, em busca de saúde. Da mesma forma, esses mesmos consumidores estão incluindo ingredientes que acreditam ser mais saudáveis em seus cardápios, como proteína e fibras.

O levantamento mostra que 80% dos entrevistados no Brasil acreditam que diminuir o açúcar é benéfico para a saúde; 83% dos brasileiros entrevistados concordam que fibra tem um efeito positivo na digestão; 74% dos brasileiros concordam que adicionar ingredientes na panificação – como proteínas e fibras – é algo bom para saúde e 76% dos brasileiros acreditam que remover gordura é saudável.

Comida fresca

De acordo com a pesquisa, entre as regiões analisadas existe uma grande diferença nas expectativas sobre o frescor dos alimentos. Enquanto na Ásia e Pacífico 47% dos consumidores acreditam que a comida será mais fresca em 2030, na Europa apenas 19% dos entrevistados pensam assim. No Brasil, 32%, opinam que a comida será mais fresca no futuro, 34% acham que será a mesma coisa e 34% acham que a comida será menos fresca em 2030.

Comidas frescas mantém a percepção de mais qualidade se comparada a comidas embaladas. No Brasil, 81% dos entrevistados acreditam que a comida que você mesmo faz é mais fresca que a comprada, mas 62% concordam que hoje em dia é mais fácil comprar comida fresca.    

Edição: Denise Griesinger
 
Por Ludmilla Souza – Repórter da Agência Brasil
 
 
Foto: André Bezerra/Apex-Brasil/Divulgação

O cantor, compositor e violonista baiano João Gilberto, considerado um dos pais da Bossa Nova, morreu hoje (6) aos 88 anos, na cidade do Rio de Janeiro. A informação foi confirmada pelo filho do artista Marcelo Gilberto, que também é músico, em seu perfil na rede social Facebook. A causa da morte não foi divulgada

João Gilberto, Morte
João Gilberto se apresentou pela última vez em 2008 MEC/Divulgação

O artista, conhecido por sua reclusão e perfeccionismo, cimentou as bases da Bossa Nova com os discos Chega de Saudade (1959), O Amor, o Sorriso e a Flor (1960) e João Gilberto (1961). Chega de Saudade, de autoria de Vinícius de Moraes e Tom Jobim, é uma das músicas mais famosas tocadas por João Gilberto. O álbum jazz e bossa nova Getz/Gilberto (1964), uma parceria com o saxofonista estadunidense Stan Getz, foi premiado com o Grammy. Ele também fez composições próprias, como Bim-Bom e Oba-la-la.

A última vez em que João Gilberto pisou nos palcos foi em 2008, por ocasião das comemorações dos 50 anos da Bossa Nova. Houve uma expectativa de que ele voltasse aos palcos em novembro de 2011, em uma turnê nacional com o show João Gilberto 80 anos - Uma Vida Bossa Nova. Mas a primeira apresentação que seria realizada na capital paulista foi cancelada por motivos de saúde do músico e a turnê acabou não acontecendo.

O compositor foi visto cantando e tocando violão pela última vez em 2015: ele aparece em vídeos postados na rede social Facebook por Claudia Faissol, mãe de Luisa, filha caçula do cantor. João estava de pijama e tocava e cantava Garota de Ipanema ao lado da filha.

Devido a problemas financeiros e de saúde do cantor, a filha dele Bebel Gilberto conseguiu a interdição do músico no último dia 15 de novembro. O processo corre em segredo de justiça na 5ª Vara de Órfãos e Sucessões do Rio de Janeiro.

Edição: Denise Griesinger

Por Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil

 

Adenor Gondin/Governo do Estado da Bahia

O frio intenso da Serra Catarinense será o próximo desafio que navegador de Santana do Livramento, Marcelo Ritter, vai enfrentar no rally de velocidade. A prova do Rally Caminhos da Neve, que acontece entre os dias 5 e 7 de julho na cidade de São Joaquim (SC), promete neve e uma temperatura mínima que pode chegar a -8°C na região. Marcelo disputa a categoria Super Production entre os UTVs ao lado do piloto de Santa Cruz do Sul, Roberto Keller. A prova é válida pelo Campeonato Brasileiro de Cross Country, competição que a dupla já garantiu um ótimo resultado quando venceu a etapa do RN 1500 realizada no mês de abril.

Além de UTVs, a edição de 2019 do Rally Caminhos da Neve reúne motos, quadriciclos, carros e camionetes. No total, serão 300 quilômetros de percurso passando por quatro municípios da Serra Catarinense. Além de São Joaquim, a prova também conta com as cidades de Urupema, Painel, Urubici e Bom Jardim da Serra em seu trajeto. Na região, os competidores vão enfrentar estradas de chão estreitas e sinuosas feitas principalmente de pedras, característica que deixa o caminho ainda mais emocionante para pilotos e navegadores.

Considerada uma das provas mais duras do Campeonato Brasileiro e a última antes do famoso Rally dos Sertões, o Rally Caminhos da Neve é percorrido em meio às florestas de araucárias congeladas pela geada das frias manhãs serranas de Santa Catarina. “Esse rally será muito desafiador! A organização do evento é fantástica, estamos indo com uma grande expectativa de voltar com outro troféu no Cross Country, prova que neste ano será a nossa segunda no rally velocidade. A previsão lá é de muito frio e isso também será um grande desafio para pilotos e navegadores, mas vamos focados para voltar com o lugar mais alto do pódio”, comenta Marcelo.

Roberto faz parte da equipe Trancos & Barrancos e Marcelo representa a Comunicação 4x4. Os dois estão liderando as principais competições de rally regularidade no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, mas o rally de velocidade tem uma emoção toda especial pelas etapas fazerem parte do Campeonato Brasileiro de Cross Country. “Estamos em busca de patrocínio para seguirmos em busca do título brasileiro nos UTVs. O rally é uma paixão, mas que demanda custos para participarmos das provas, então estamos buscando empresas parceiras que queiram apoiar o esporte e levar a sua marca para competir nessas aventuras junto com a gente”, afirma Roberto.

Quem tiver interesse em conhecer a dupla e apoiar a equipe nas próximas competições pode entrar em contato direto com o piloto pelo telefone (51) 9.9911.8116. Depois do Rally Caminhos da Neve, a competição ainda conta com mais três etapas, sendo que duas acontecem dentro do Rally dos Sertões e a final no Rio Grande do Sul.

Texto: Aline Ben da Costa/Comunicação 4x4

No dia 22 de junho, Uruguaiana sediou o terceiro e último encontro de coordenadores de núcleo da Sicredi Pampa Gaúcho para realização do primeiro módulo de uma série de nove que serão desenvolvidos em uma Formação Continuada que tem como objetivo qualificar os representantes dos mais de 64 mil associados da Cooperativa. 

Na oportunidade, reuniram-se coordenadores de núcleo de Uruguaiana, Maçambara e Itaqui. No decorrer do mês já haviam sido realizados outros dois encontros com os demais coordenadores de núcleo da Cooperativa. 

Agora o próximo passo é a realização do segundo módulo, que deverá ser desenvolvido em mais três encontros nos municípios de Rosário do Sul, Alegrete e Uruguaiana, abordando o tema Governança. O segundo módulo está confirmado para o mês de agosto. 

O presidente da Cooperativa apresentou esse primeiro módulo. José Antônio Menezes falou com muita propriedade sobre o tema. Como nos encontros anteriores, representantes da Escola Marilia Sanchotene Felice, integrante do Programa A União Faz a Vida no município, contaram um pouco de como ele é desenvolvido em Uruguaiana. 

Para encerrar o módulo, o diretor Executivo, Henrique de Assis, reforçou a importância deste momento de conhecimento para credencia-los, cada vez mais, a representar os associados na definição dos rumos a serem tomados pela Sicredi Pampa Gaúcho. 

O programa Qualificar para Transformar será desenvolvido até junho de 2021 e abordará temas como Ética e Sustentabilidade, Finanças Pessoais, Relações Humanas, Ciclo de Crédito, Marketing e Programas Sociais.

 

Mônica Freitas Valle Corrêa

Assessora de Comunicação e Marketing

Área de Relacionamento

No dia 03/07 foi realizado uma sessão de cinema com os alunos da Escola Municipal Pedro Alencastro, escola da zona rural de Santana do Livramento.

Na oportunidade os pequenos puderam conhecer o nosso kit de cinema de rua, o qual transformou a Sala Cultural em um verdadeiro cinema.

Essa atividade faz parte da programação do Festival Internacional de enogastronomia.

O cronograma de todas as sessões estão nas imagens abaixo.

#sesclivramento #sescrs #cinema #culturaportodaparte #VemProSesc#TôNoSesc

Enquanto as noites de Porto Alegre ficam mais frias, os moradores em situação de rua da Capital contarão com um novo alento. Em ação inédita, o Sport Club Internacional abrirá as portas do ginásio Gigantinho na madrugada desta sexta-feira (05/07) para dar um abrigo a quem mais precisa. Cobertores, colchonetes e até mesmo um sopão preparado pelas torcidas organizadas do Clube serão oferecidos no local. A iniciativa faz parte das ações da Campanha do Agasalho Esquenta Porto Alegre.

"O Clube do Povo tem espírito solidário, essa é nossa essência. O Clube, desde sua origem, está de portas abertas a todos, sempre olhando pelas minorias e os mais necessitados", destaca Marcelo Medeiros, presidente colorado, agradecendo o apoio da iniciativa por parte da Prefeitura de Porto Alegre e da torcida. O projeto, destaque-se, foi idealizado pelo Internacional em parceria com a gestão municipal. "Como diz a nossa Campanha do Agasalho Esquenta Porto Alegre, tem gente que não dá bola pro frio, juntos, nós damos. Vai ser um golaço para quem mais precisa", ressalta o vice-prefeito Gustavo Paim. A ação conta com o apoio dos Cozinheiros do Bem.

O Gigantinho estará aberto das 19h às 21h de sexta-feira para receber os acolhidos. Inicialmente, haverá capacidade para 300 pessoas, praticamente dobrando as vagas oferecidas hoje na Capital, que totalizam 355. No Gigantinho, haverá coleta de donativos, especialmente colchões e cobertores para ampliar as vagas disponíveis, inclusive com recebimento e distribuição no próprio local. As doações podem ser realizadas no portão 1 do ginásio.

A inspiração para a iniciativa veio do clube argentino River Plate, que fez ação semelhante nos últimos dias. Para abrigar as pessoas com segurança, o Inter obteve a liberação de todos os alvarás necessários. O Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI) do ginásio também está em dia. Contamos com o apoio da sociedade gaúcha nesta causa tão importante!

Fonte: http://www.internacional.com.br

O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1), que calcula a variação de preços da cesta de compras de famílias com renda até 2,5 salários mínimos, registrou inflação de 0,07% em junho deste ano. A taxa ficou abaixo do 0,26% de maio. Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), o indicador acumula taxas de 2,72% no ano e de 3,85% nos últimos 12 meses.

Apesar da queda de maio para junho, o IPC-C1 de junho ficou acima do Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-BR), que mede a inflação para todas as faixas de renda. O IPC-BR teve deflação (queda de preços) de 0,02% em junho. Em 12 meses, o IPC-BR acumula inflação de 3,73%.

Em junho, quatro das oito classes de despesas que compõem o IPC-C1 tiveram queda da taxa de maio para junho: habitação (de 0,79% em maio para -0,24% em junho), transportes (de 0,28% para -0,38%), saúde e cuidados pessoais (de 0,75% para 0,31%) e despesas diversas (de 0,08% para -0,23%).

Por outro lado, tiveram alta de maio para junho os grupos educação, leitura e recreação (de 0,03% para 0,78%), alimentação (de -0,26% para -0,16%), vestuário (de 0,13% para 0,60%) e comunicação (de -0,12% para 0,07%).

Saiba mais

Edição: Aline Leal
Por Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil
 
Marcello Casal jr/Agência Brasil
Página 3 de 350
Topo