Gisnei

Gisnei

Pra que serve a frequência cardíaca? Ou, por que ela serviria para alguma coisa? Para entender isso, precisamos entender débito cardíaco. Débito cardíaco é a quantidade de sangue empurrado para o corpo a cada minuto. O cálculo é feito multiplicando a frequência cardíaca pelo volume de sangue empurrado a cada batimento.

Se vamos considerar que a quantidade de sangue a cada batimento aumenta com a vasodilatação do corpo, como a que acontece no calor do exercício, entendemos que com o aumento da frequência cardíaca conseguimos aumentar ainda mais a circulação do sangue. Com isso, levamos oxigênio ao corpo e "lavamos" o ácido lático (que provoca dor muscular) e impurezas dos tecidos do corpo ainda mais do que quando estamos parados.

Durante o exercício a elevação da frequência cardíaca acontece de forma gradual, progressiva, até um teto, que é diferente para cada pessoa. Dá para calcular que o teto é mais ou menos estimado pela formula 220 subtraindo-se a idade. Por exemplo, se tenho 20 anos, o ?teto? da minha frequência cardíaca é 200 batimentos por minuto, ou bpm.

A redução da frequência cardíaca quando acaba o exercício é súbita. Algumas pessoas, inclusive, podem sentir tonturas ao término do exercício, justamente por esta redução ser abrupta. Isso está relacionado ao sistema nervoso autônomo, que serve tanto para acelerar (sistema nervoso simpático) quanto para cortar o efeito do anterior (sistema nervoso parassimpático).

A aceleração muito rápida ou desaceleração que não acontece mesmo depois que o exercício acabou é um problema. Um motivo para a aceleração mais íngreme é a falta de condicionamento físico. Um motivo para a ausência de desaceleração pode significar arritmia cardíaca (problema no ritmo cardíaco).

Por estas e outras razões, antes de iniciar qualquer tipo de atividade física, é importante buscar avaliação de um profissional da área, que verificará como está a sua função cardiorrespiratória e indicará os exercícios que você está apto para fazer no momento.
Dr. Bruno Valdigem/Cardiologia-CRM 118535/SP ESPECIALISTA MINHA VIDA

Pistas em formato de “X” sobre uma plataforma para que o público tenha visão de pelo menos duas das quatro disputas simultâneas, a partir de qualquer cadeira da Arena Carioca 3, no Parque Olímpico da Barra. Essa disposição inédita é parte das avaliações a serem feitas pelo Comitê Rio 2016 durante o Grand Prix de Espada Feminina e de Espada Masculina, que será seguido do Mundial por Equipes de Sabre Masculino e Florete Feminino, com encerramento na quarta-feira (27).
Para o Grand Prix, foram 94 inscritas para a espada feminina e 130 para a espada masculina, de 45 países, segundo Arno Perillier, gerente de Esgrima do Comitê Rio 2016. As preliminares foram realizadas na Escola de Educação Física do Exército (EsEFEx), na Urca.
Neste sábado (23), a Arena Carioca 3 recebe as disputas femininas, com o chaveamento de 64 atletas, a partir das 9h, com semifinais às 18h e final às 19h15. No domingo (24), os horários são os mesmos, para as disputas masculinas. A competição é aberta apenas para convidados.

Os melhores do ranking no Rio
Depois dos Grand Prix de Doha, no Catar, e Budapeste, na Hungria, a temporada de esgrima chega ao Rio de Janeiro com os três primeiros colocados do ranking internacional – que são, pela ordem, no feminino, Anqi Xu, da China; Rossella Fiamingo, da Itália, e Sarra Besbes, da Tunísia. No masculino, Gauthier Grumier, da França; Enrico Garozzo, da Itália, e Gabor Boczko, da Hungria.Todos estão inscritos para o GP do Rio de Janeiro. Líder do ranking, o francês Grumier treinou na praia...
Mais pontos aqui, mais chances nos Jogos
A etapa carioca da Copa do Mundo assume importância ainda maior porque vale pontos para o ranking internacional. E somar o maior número de pontos possível é o objetivo dos esgrimistas: com mais pontos, são beneficiados no chaveamento das disputas dos Jogos Olímpicos – escapam de enfrentar os melhores logo “de cara”.
Membro do Comitê de Promoção e Publicidade da Federação Internacional de Esgrima (FIE), Hilary Philbin está no Rio de Janeiro também como delegada-técnica do Grand Prix e do Mundial. Para ela, a nova disposição das pistas, implantada na Carioca 3, ficou “impressionante”, em uma instalação que considerou “muito boa”.
“O formato em ‘X’ permite ao espectador acompanhar duas das quatro disputas simultâneas, de qualquer lugar na arena”
Hilary Philbin, delegada-técnica da FIE

Assistir a filmes e séries no Netflix, ver vídeos no Youtube, ouvir músicas online, baixar jogos de videogames. Tudo isso faz parte do dia a dia de quem utiliza a internet, mas os usuários vão ter que começar a prestar atenção nos dados que consomem se as operadoras decidirem adotar a franquia de dados para a internet fixa, assim como já acontece na internet móvel (3G e 4G).

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) entende que as empresas podem estabelecer limites para a navegação, mas proibiu ontem (22) as operadoras de oferecer planos com franquia, por tempo indeterminado, até que a questão seja analisada “com base nas manifestações recebidas pelo órgão”.

Segundo levantamento feito pela Proteste Associação de Consumidores, um jogo de videogame gasta cerca de 44 GB para ser baixado. Assistir a uma hora de Netflix em ultradefinição custa 7 GB e um vídeo de uma hora no Youtube pode consumir até 120 MB. (veja tabela abaixo)

“A pessoa vai ter um limite de dados e vai usar esses dados conforme achar mais adequado. Essa é uma mudança bastante significativa para a vida dos usuários, porque o usuário padrão não está acostumado a fazer esse tipo de raciocínio sobre a quantidade de dados que está utilizando, ele simplesmente navega”, avalia o especialista em propriedade intelectual e direito digital Maurício Brum Esteves.

Uma família de três pessoas que usa a internet de forma moderada, assistindo por exemplo a duas horas de Netflix por dia, trinta minutos de Youtube uma hora e meia de uso do Whatsapp e do Facebook, além de ouvir música por streaming, baixar um jogo de videogame e acessar páginas da internet, gastaria cerca de 240 GB por mês, também segundo levantamento da Proteste. Se o uso da família for intenso, com três horas de Netflix, por exemplo, o consumo poderá passar para 388 GB por mês.

Assistir a vídeos de alta definição e games é a atividade que gasta mais dados. “Se você assiste a uma série por semana, vai gastar 12 GB. Se assistir a uma por dia, vai gastar 90 GB. Aí você vai se encaixar em um plano conforme a cota”, explicou o presidente da consultoria Teleco, Eduardo Tude.

Tabela Proteste - Serviços de internet 


Sabrina Craide - Repórter da Agência Brasil

O fotógrafo Eduardo Rocha chega a Santana do Livramento nos dias 13, 14 e 15 de maio para ministrar seu curso de fotografia, desenvolvido especialmente para os amantes do campo, da natureza e de belas imagens. O evento é organizado e promovido pela Cerro Verdes Pousada e Turismo Rural e a fotógrafa Patrícia Obrakat, e já está em sua VI edição.

A atividade apresenta teoria e prática da fotografia aplicada, em especial para produção de imagens da natureza, passando também por técnicas básicas de fotos em estúdio e edição. “É uma oportunidade para quem tem interesse desenvolver seus conhecimentos e técnicas para aprofundar suas experiências e ferramentas”, revela Rocha. Os alunos poderão conferir parte do trabalho desenvolvido pelo fotógrafo em viagens em locais como Atacama, Patagônia, África do Sul, entre outros.

A Estância Cerros Verdes apresenta a paisagem típica do pampa gaúcho, tornando-se o ambiente ideal para a atividade rodeado por pequenas montanhas, trilhas e cachoeira que proporcionam total integração com a natureza.

Rocha é um dos nomes de destaque na área, referência nos registros da cultura e arte regional, assim como fotografias do campo e com temática rural. Em 2016, celebra dez anos de atividades.

As inscrições custam R$ 700,00, incluindo apostila, certificado e as refeições de sexta a domingo, e devem ser feitas através do email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou telefone: 55 8115 9785

 

Saiba Mais

 

Eduardo Rocha

Nasceu na cidade de Dom Pedrito, interior do Rio Grande do Sul, fronteira com o Uruguai. Filho de pais uruguaios, cresceu cruzando a “linha” imaginária que divide os países. Em 2000 mudou-se para Porto Alegre onde estudou marketing e fotografia. Em 2008 fundou a Eduardo Rocha – Fotografia, especializando-se em registros da cultura e da arte regional. Eduardo já percorreu países como Argentina, Chile, Uruguai, Peru, Canadá, África do Sul e Mongólia, sempre buscando elementos do cotidiano e da cultura local. Sua área de atuação está distribuída em produção de banco de imagens, cobertura fotográfica, fine art, cursos e expedições.

facebook.com/eduardorochafotografia

http://eduardorocha.fot.br/site/

 

Cerros Verdes – www.estanciacerrosverdes.com.br

A Estância Cerros Verdes apresenta a paisagem típica do pampa gaúcho. O ambiente ideal para vivenciar o clima da região da Campanha, com tranquilidade e aconchego. A Estância com quase 200 anos oferece um serviço de hospedagem e turismo rural, em um amplo espaço rodeado por pequenas montanhas, trilhas e cachoeira que proporcionam total integração com a natureza.

 

PROGRAMAÇÃO:

Sexta-feira, 13 de Maio

20h - Apresentação da turma e abertura da Oficina;

- Noções básicas da fotografia e aprendendo a conhecer o seu equipamento.

21h30 - Jantar

 

Sábado, 14 de Maio

6h - Saída opcional. Fotografia com baixas luzes e princípios da composição fotográfica

8h - Encontro com o grupo e revisão básica

Café da manhã e início das aulas teóricas: Princípios básicos da Fotografia (Abertura do Diafragma, Velocidade do Obturador, ISO, Balanço de Branco, regra dos terços, composição básica), introdução aos programas de gestão de imagens (Ligthroom)

10h - Intervalo

12h - Almoço

14h30 - Saída fotográfica

16h - Intervalo

17h - Técnicas de ajustes para contra-luz e composição fotográfica

20h30 - Jantar

Opcional: Princípios de fotografia noturna, em aula prática.

Domingo, 15 de Maio

6h - Opcional saída fotográfica

8h - Café da manhã

8h30 - Adobe Lightroom (catálogo, importação, gestão de imagens, revelação e exportação)

10h - Intervalo

11h - Apresentação das imagens produzidas e selecionadas pelos participantes

12h - Almoço e entrega de certificados.

14h - Deslocamento até o centro da cidade

Observação: as atividades podem ter seus horários alterados em virtudes climáticas. Qualquer alteração será comunicada e deliberada com o grupo.

Investimento:

Oficina fotográfica: R$ 700,00 incluído o serviço de jantar na sexta-feira, café da manhã, almoço e jantar no sábado, café da manhã e almoço no domingo

Hospedagem: R$ 70,00 diária para alunos e R$ 200,00 diária para acompanhante

Pagamento: 50% na inscrição | 50% no check in

Inscrições Patricia Obrakat, Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. | 55 8115 9785

O basquete é um esporte inventado no final do século XIX, nos Estados Unidos, como alternativa "indoor" (em local fechado) para os períodos de inverno que tornam o esporte ao ar livre impossível. Ágil e vibrante, caiu nas graças dos praticantes e se difundiu pelo mundo. Não demorou muito para desembarcar no Brasil por sua praticidade e por ser esporte de quadra que não exige grandes áreas, disputado em ambientes fechados, como nos ginásios poliesportivos.

É mais um esporte (olímpico) jogado com as mãos. A posição da cesta a 3 metros (e mais 5 centímetros!) como seu principal objetivo, favorece aos atletas altos e com boa impulsão, ou seja, fortes, velozes e saltadores. Já podemos imaginar o que esse conjunto pode significar à luz do trauma esportivo.
Embora seja um esporte que pune os contatos físicos como faltas, os choques entre adversários e os traumas causados pela bola são frequentes. Ocorrem na maioria das vezes nas disputas pela bola em rebotes, no bloqueio aos arremessos ("toco") e na tentativa de interromper a trajetória do jogador durante os saltos e projeções do corpo à frente para o arremesso em direção à cesta ou mesmo na intenção do passe.


Esse mecanismo é o principal para as lesões traumáticas agudas, instantâneas. E a conseqüência dos choques são principalmente as contusões, lesões freqüentes em todos os esportes que causa dano tecidual proporcional à força empregada. As contusões que atingem os músculos ("paulistinha" ou "tostão") podem acarretar rupturas desse tecido e meses de inatividade até sua total recuperação.

As fraturas e luxações dos dedos também não são raras e, quando ocorrem, devem ser encaradas com a seriedade que merecem. Todos que gostam dos esportes já presenciaram ao vivo ou pela TV a imagem de um dedo "torto", deslocado, luxado. Alguns já viram também um companheiro (e as vezes o próprio atleta) puxando esse dedo para "colocar no lugar". Atitude intempestiva que pode terminar em tragédia.

Por menor que seja e mais simples que pareça, as luxações são emergências ortopédicas que merecem tratamento nobre e imediato, mas não sem a segurança que norteia todo tratamento médico. O correto para essa ocorrência é a imediata transferência para um pronto atendimento onde exames complementares avaliam a gravidade da lesão para um tratamento preciso, correto, sem dano ao atleta e com breve retorno às quadras.

Existem métodos que previnem essas lesões, como as proteções com bandagens flexíveis e rígidas. Se optar pelo uso, garanta que ela não traga risco de machucar a você, seu companheiro ou seu adversário.

Como tudo nos esportes, e aqui não há de ser diferente, treino constante com aprimoramento da forma física e habilidades funcionam muito bem, embora a imprudência seja a companheira dos incautos.

Outra ocorrência de natureza traumática e aguda no basquete é o entorse de tornozelo. Você consegue imaginar a cena em que um atleta de 2 metros de altura, salta mais 1 metro e pousa sobre o pé de um outro atleta? Se sim, siga essa coluna e descubra o que pode acontecer com esse tornozelo aqui.
Dr. Ricardo Munir Nahas/MEDICINA ESPORTIVA - CRM 34914/SP
Fonte: www.minhavida.com.br

O Brasil teve a maior perda de vagas formais para meses de março em 25 anos, segundo dados divulgados hoje (22) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. No mês passado, o país fechou 118.776 postos de trabalho com carteira assinada.

Nos últimos 12 meses, já foram suprimidas 1.853.076 vagas formais. Os números levam em conta a diferença entre demissões e contratações. Quase todos os setores da economia demitiram mais do que contrataram. A exceção foi a administração pública, com 4,3 mil vagas a mais no mês.

Maioria

O comércio e a indústria de transformação fecharam o maior número de vagas, respectivamente, 41.978 e 24.856. Em terceiro lugar, vem a construção civil, com supressão de 24.184 vagas.

Os estados que mais fecharam postos de trabalho em fevereiro foram São Paulo (-32.616 vagas), Rio de Janeiro (-13.741) e Pernambuco (-11.383). Apenas quatro estados contrataram mais que demitiram: Rio Grande do Sul (4.803 vagas criadas), Goiás (3.331), Roraima (220) e Mato Grosso do Sul (187 postos criados).

Divulgado desde 1992, o Caged registra as contratações e as demissões em empregos com carteira assinada com base em declarações enviadas pelos empregadores ao Ministério do Trabalho.

Edição: Kleber Sampaio
Mariana Branco - Repórter da Agência Brasil

O sábado é de decisão para o Internacional! A partir das 18h30, o time colorado encara o São José-POA, no Passo D'Areia, pelo jogo de volta da semifinal do Gauchão Ipiranga. Como empatou sem gols no Beira-Rio, o Inter joga por vitória simples ou empate com gols para avançar; novo empate sem gols levaria decisão para os pênaltis.

A semana foi de intensa preparação para o duelo com o Zequinha. O técnico Argel comandou trabalhos técnico e táticos no CT do Parque Gigante. Na tarde desta sexta, no último treinamento antes da partida, a bola aérea defensiva e ofensiva e cobranças de faltam foram exercitadas. Os jogadores também praticaram cobranças de pênalti.

Na quinta-feira, Argel comandou um treino de reconhecimento do Estádio Passo D'Areia, com os portões fechados, e encaminhou o time que lutará pela classificação em mais uma final de Gauchão. No entanto, em entrevista coletiva concedida nesta sexta, o técnico revelou que Paulo Cezar será o lateral pela direita e Fabinho atuará no meio-campo. Com isso o Inter deve ir a campo com: Alisson; Paulo Cezar, Paulão, Ernando e Artur; Fernando Bob, Fabinho, Anderson e Andrigo; Sasha e Vitinho.

"Precisamos atacar o adversário, jogar pelos lados. Vamos trabalhar a nossa parte ofensiva para que possamos fazer um bom jogo", projeta Argel.

 

'Ambientado na majestosa paisagem da África do início do século XX, este envolvente romance histórico nos transporta para o mundo exótico e pleno de incríveis aventuras de uma jovem inglesa com espírito livre e selvagem, criada em meio a europeus em uma tribo nativa do Quênia. É na passagem para a vida adulta, no entanto, que Beryl Markham aprende que os prazeres da liberdade têm muitas nuances e, invariavelmente, um preço.

Entre o Céu e a Terra revela mais uma vez o talento inato de Paula McLain de encantar seus leitores com tramas audaciosas e envolventes. Neste livro, McLain relata com maestria a história de Beryl, uma mulher invejavelmente corajosa e independente à frente de seu tempo, que não tinha medo de se lançar com tenacidade e exuberância a todas as suas paixões.'

Literatura Estrangeira

Paula Mclain
Autora americana best-seller do New York Times com o livro "Casados em Paris", um relato romanceado do primeiro casamento de Ernest Hemingway.

Ano: 2016 / Páginas: 288
Idioma: português
Editora: HarperCollins Brasil
Fonte:www.skoob.com.br

Ingredientes:

10 colheres de sopa de farinha de trigo

3 colheres de sopa de chocolate em pó

1 colher de chá de fermento em pó

5 ovos

10 colheres de sopa de açúcar

Farinha de rosca

2 latas de leite condensado

2 colheres de sopa de manteiga

1 colher de sopa rasa de mel

1/4 xícara de café de leite

3 caixas de morangos frescos picados, reserve alguns para decorar

1 caixa pequena de framboesa

1 caixa de amoras
Modo de Preparo:
Prepare a massa peneirando em uma tigela, a farinha de trigo, o chocolate e o fermento. Reserve. Bata as claras em neve e junte as gemas, uma a uma, sem parar de bater. Acrescente o açúcar, aos poucos, e desligue a batedeira. Com um garfo, misture delicadamente os ingredientes peneirados. Coloque em uma forma de 22 cm de diâmetro, untada com manteiga e enfarinhada com a farinha de rosca. Asse no forno, preaquecido, a 200 °C durante 30 minutos ou até que, espetando um palito, ele saia seco. Prepare o recheio em uma panela, misture o leite condensado, a manteiga, o chocolate em pó, o mel e o leite. Leve ao fogo brando, mexendo sem parar até dar ponto de brigadeiro cremoso. Reserve. Desenforme o bolo e corte em três discos. Recheie cada disco com uma camada generosa de brigadeiro e, por cima, espalhe as frutas vermelhas. Para finalizar, cubra com o brigadeiro restante e decore com as frutas reservadas.

Fonte:http://comsaborperfeito.com/

Página 396 de 423
Topo