Gisnei

Gisnei

Mais um importante atendimento oferecido na rede de saúde do Município foi apresentado oficialmente nesta quinta-feira (12): o Serviço de Atendimento à Depressão. Implementado no Centro de Atendimento Especializado da Saúde da Mulher, o serviço está em sua fase piloto, oferecendo atendimento psicológico e atenção especial às mulheres em situação de depressão.
 
A apresentação do serviço contou com a presença da prefeita Mari Machado; do secretário de Saúde, Sergio Aragon; da Vereadora Marcia da Rosa; do diretor da Santa Casa de Misericórdia, Valmir Silveira e da coordenadora do Centro, Aurelia Ribas. A instalação do serviço contara com o apoio de uma emenda parlamentar da Deputada Liziane Bayer, no valor de R$ 300 mil, articulada pela Vereadora Marcia e pela prefeita. Para Mari, a implantação do serviço contempla uma lacuna importante no atendimento da saúde da mulher e jovens.
 
Para utilizar do serviço, basta se dirigir a sua Unidade de Saúde e solicitar encaminhamento para o atendimento psicológico. Os atendimentos já estão sendo realizados pela psicóloga Flávia Calixto Pires e são voltados a dois grupos: adolescentes e mulheres. A intenção é que a iniciativa seja expandida, oferecendo também grupos terapêuticos.
 
Foto: Assessoria de Comunicação Social || Fonte: Assessoria de Comunicação Social

A Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa) divulgou hoje (10) que o faturamento das empresas do setor aumentou 1,4% em 2019, e somou R$ 15,1 bilhões. Apesar do crescimento, houve redução de 1,4% no número de viajantes - foram 6,5 milhões durante o ano.

O presidente da associação, Roberto Nedelciu, avaliou que a contradição entre os números pode ser explicada pela desvalorização do real frente ao dólar. "Apesar de a gente ter um número menor de viajantes por causa da influência do câmbio, as pessoas que viajaram gastaram mais".

O movimento de turistas no ano passado também foi impactado pela menor quantidade de feriados prolongados, o que foi sentido principalmente pelo turismo doméstico. Segundo a pesquisa, houve queda de 2,3% no número de passageiros para destinos nacionais, que chegou a 4,8 milhões. As rotas nacionais atraíram 73,8% do total de viajantes.

Em termos de faturamento, o turismo doméstico gerou R$ 9 bilhões para as operadoras de turismo, com um crescimento de 0,4%. Em relação ao faturamento total do setor, as viagens nacionais representam 59,7%.

1059815-rj_26122016-_dsc7493.jpg
Rio de Janeiro - Em dia de alta temperatura, cariocas e turistas enchem praias da zona sul da cidade. (Tomaz Silva/Agência Brasil) - Tomaz Silva/Agência Brasil

 

As viagens para o exterior geraram 40,3% do faturamento das operadoras de turismo, o que foi resultado de uma alta de 2,8% em 2019. Com 1,7 milhão de turistas, os embarques internacionais renderam R$ 6,1 bilhões às operadoras.

A Braztoa também avalia que, apesar do câmbio, pacotes internacionais foram bastante competitivos em 2019. A diretora da associação, Monica Samia, afirmou que operadoras e companhias aéreas criaram promoções muito eficazes, que fizeram com que turistas selecionassem destinos fora do país em um ano em que houve menos feriados prolongados.

"A partir do momento que o brasileiro já conhece bem o Brasil, o próximo passo é a América do Sul. A América do Sul cresceu e pode ter levado uma parte desses turistas", disse a CEO, que lembrou que a recuperação judicial Avianca Brasil rotas nacionais "comprometidas". "Isso gerou impacto bastante significativo em várias regiões do Brasil".  

O secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo do Ministério do Turismo, William França, acrescentou que a conectividade do Brasil com destinos em países vizinhos aumentou em 2019, inclusive com a entrada de empresas aéreas de baixo custo no país.

"A pessoa tinha que fazer um planejamento maior para visitar um país vizinho. Agora, com a linha direta, isso facilita e é um atrativo".

O principal destino dos brasileiros em viagens internacionais é a América do Sul, que responde por 30,4% dos embarques, contra 28,4% para a Europa e 19,2% para a América do Norte.

Com um custo médio de R$ 4.060,75, as viagens para a Europa correspondem a 32,3% do faturamento, enquanto outros 23% vem dos embarques para a América do Norte, onde o gasto médio com o pacote é de R$ 4.263,82. Já para a América do Sul, o custo médio ficou em um patamar bem inferior, de R$ 2.128,98. O destino foi responsável por 18,2% do faturamento.  

Nas viagens nacionais, o Nordeste é o principal destino, com 51,8% dos embarques e 56,9% do faturamento. O Sudeste recebeu 22,1% das viagens no ano passado e gerou 18,4% do faturamento, enquanto o Sul, 19,2% dos embarques e 19,3% do faturamento. Somadas, as regiões Norte e Centro-Oeste ocuparam uma fatia de 6,9% das viagens e de 5,4% do faturamento.

1059807-rj_26122016-_dsc7402.jpg
Rio de Janeiro - Em dia de alta temperatura, cariocas e turistas enchem praias da zona sul da cidade. (Tomaz Silva/Agência Brasil) - Tomaz Silva/Agência Brasil

 

Coronavírus

Após o lançamento do anuário, o presidente da Braztoa comentou em entrevista que as operadoras do turismo no país já percebem um movimento de solicitação de cancelamento de viagens por causa do avanço do coronavírus em diversas localidades, em especial para a Europa. Roberto Nedelciu disse ainda não ter dados sobre viagens canceladas ou remarcadas, mas afirmou acreditar que o problema é temporário.

"É uma gripe e isso vai passar", disse ele. "Pode ser uma chance de o Brasil se promover e trazer mais visitantes. E de o público interno viajar mais internamente", concluiu.

O diretor executivo do Rio Convention e Visitors Bureau, Philipe Campello, conta que a chegada do vírus à Europa já se reflete em cancelamentos de viagens e adiamentos de eventos no Rio de Janeiro, já que o mercado europeu envia um quarto dos viajantes estrangeiros que chegam à cidade.

"Na Europa, as pessoas não querem entrar nos aviões. E, para vir ao Rio de Janeiro, as pessoas têm que vir de avião. Afeta [o Rio] quando uma companhia aérea cancela uma rota ou quando as pessoas deixam de embarcar. O problema delas não é com a cidade", disse o representante da fundação que reúne empresários do setor turístico do Rio de Janeiro.

Para o secretário de Turismo do Estado do Rio de Janeiro, Otávio Leite, é natural que haja preocupação em relação à viagens. Ele afirma que a estratégia do estado é buscar atrair os turistas que desistiram da viagens internacionais no curto prazo.

"Temos que trabalhar em uma lógica de turismo de proximidade e fomentar o Rio como destino para as pessoas que não irão mais ao exterior. Seja na praia, seja no interior, seja na serra. Essa é a nossa estratégia", disse Leite, que ainda não tem dados sobre possíveis impactos do coronavírus na indústria turística do Rio de Janeiro.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Por Vinícius Lisboa - repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

A Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa) divulgou hoje (10) que o faturamento das empresas do setor aumentou 1,4% em 2019, e somou R$ 15,1 bilhões. Apesar do crescimento, houve redução de 1,4% no número de viajantes - foram 6,5 milhões durante o ano.

O presidente da associação, Roberto Nedelciu, avaliou que a contradição entre os números pode ser explicada pela desvalorização do real frente ao dólar. "Apesar de a gente ter um número menor de viajantes por causa da influência do câmbio, as pessoas que viajaram gastaram mais".

O movimento de turistas no ano passado também foi impactado pela menor quantidade de feriados prolongados, o que foi sentido principalmente pelo turismo doméstico. Segundo a pesquisa, houve queda de 2,3% no número de passageiros para destinos nacionais, que chegou a 4,8 milhões. As rotas nacionais atraíram 73,8% do total de viajantes.

Em termos de faturamento, o turismo doméstico gerou R$ 9 bilhões para as operadoras de turismo, com um crescimento de 0,4%. Em relação ao faturamento total do setor, as viagens nacionais representam 59,7%.

1059815-rj_26122016-_dsc7493.jpg
Rio de Janeiro - Em dia de alta temperatura, cariocas e turistas enchem praias da zona sul da cidade. (Tomaz Silva/Agência Brasil) - Tomaz Silva/Agência Brasil

 

As viagens para o exterior geraram 40,3% do faturamento das operadoras de turismo, o que foi resultado de uma alta de 2,8% em 2019. Com 1,7 milhão de turistas, os embarques internacionais renderam R$ 6,1 bilhões às operadoras.

A Braztoa também avalia que, apesar do câmbio, pacotes internacionais foram bastante competitivos em 2019. A diretora da associação, Monica Samia, afirmou que operadoras e companhias aéreas criaram promoções muito eficazes, que fizeram com que turistas selecionassem destinos fora do país em um ano em que houve menos feriados prolongados.

"A partir do momento que o brasileiro já conhece bem o Brasil, o próximo passo é a América do Sul. A América do Sul cresceu e pode ter levado uma parte desses turistas", disse a CEO, que lembrou que a recuperação judicial Avianca Brasil rotas nacionais "comprometidas". "Isso gerou impacto bastante significativo em várias regiões do Brasil".  

O secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo do Ministério do Turismo, William França, acrescentou que a conectividade do Brasil com destinos em países vizinhos aumentou em 2019, inclusive com a entrada de empresas aéreas de baixo custo no país.

"A pessoa tinha que fazer um planejamento maior para visitar um país vizinho. Agora, com a linha direta, isso facilita e é um atrativo".

O principal destino dos brasileiros em viagens internacionais é a América do Sul, que responde por 30,4% dos embarques, contra 28,4% para a Europa e 19,2% para a América do Norte.

Com um custo médio de R$ 4.060,75, as viagens para a Europa correspondem a 32,3% do faturamento, enquanto outros 23% vem dos embarques para a América do Norte, onde o gasto médio com o pacote é de R$ 4.263,82. Já para a América do Sul, o custo médio ficou em um patamar bem inferior, de R$ 2.128,98. O destino foi responsável por 18,2% do faturamento.  

Nas viagens nacionais, o Nordeste é o principal destino, com 51,8% dos embarques e 56,9% do faturamento. O Sudeste recebeu 22,1% das viagens no ano passado e gerou 18,4% do faturamento, enquanto o Sul, 19,2% dos embarques e 19,3% do faturamento. Somadas, as regiões Norte e Centro-Oeste ocuparam uma fatia de 6,9% das viagens e de 5,4% do faturamento.

1059807-rj_26122016-_dsc7402.jpg
Rio de Janeiro - Em dia de alta temperatura, cariocas e turistas enchem praias da zona sul da cidade. (Tomaz Silva/Agência Brasil) - Tomaz Silva/Agência Brasil

 

Coronavírus

Após o lançamento do anuário, o presidente da Braztoa comentou em entrevista que as operadoras do turismo no país já percebem um movimento de solicitação de cancelamento de viagens por causa do avanço do coronavírus em diversas localidades, em especial para a Europa. Roberto Nedelciu disse ainda não ter dados sobre viagens canceladas ou remarcadas, mas afirmou acreditar que o problema é temporário.

"É uma gripe e isso vai passar", disse ele. "Pode ser uma chance de o Brasil se promover e trazer mais visitantes. E de o público interno viajar mais internamente", concluiu.

O diretor executivo do Rio Convention e Visitors Bureau, Philipe Campello, conta que a chegada do vírus à Europa já se reflete em cancelamentos de viagens e adiamentos de eventos no Rio de Janeiro, já que o mercado europeu envia um quarto dos viajantes estrangeiros que chegam à cidade.

"Na Europa, as pessoas não querem entrar nos aviões. E, para vir ao Rio de Janeiro, as pessoas têm que vir de avião. Afeta [o Rio] quando uma companhia aérea cancela uma rota ou quando as pessoas deixam de embarcar. O problema delas não é com a cidade", disse o representante da fundação que reúne empresários do setor turístico do Rio de Janeiro.

Para o secretário de Turismo do Estado do Rio de Janeiro, Otávio Leite, é natural que haja preocupação em relação à viagens. Ele afirma que a estratégia do estado é buscar atrair os turistas que desistiram da viagens internacionais no curto prazo.

"Temos que trabalhar em uma lógica de turismo de proximidade e fomentar o Rio como destino para as pessoas que não irão mais ao exterior. Seja na praia, seja no interior, seja na serra. Essa é a nossa estratégia", disse Leite, que ainda não tem dados sobre possíveis impactos do coronavírus na indústria turística do Rio de Janeiro.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Por Vinícius Lisboa - repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

Os dias que antecedem o Gre-Nal das Américas são de mistério no que envolve a escalação tricolor para o jogo. Nesta terça-feira, o Grêmio fez o penúltimo treinamento antes do clássico e liberou apenas os 15 primeiros minutos do trabalho para captação de imagens. O técnico Renato Portaluppi e os atletas já têm bem definidas as estratégias e possíveis escalações, mas nada será divulgado antes do tempo previsto em regulamento.

São algumas as possibilidades de formação do Grêmio para o primeiro Gre-Nal da história das Libertadores, a começar pela defesa: o zagueiro Walter Kannemann já realizou alguns trabalhos após a cirurgia no pé esquerdo e pode voltar à equipe. Em caso de ausência, David Braz permanece ao lado de Pedro Geromel. No meio de campo, o sistema com Lucas Silva, Matheus Henrique e Maicon tem a tendência de ser mantido, com alguma chance de Thiago Neves iniciar o jogo. Já Jean Pyerre, que retornou aos campos no último final de semana, fica no banco como alternativa. As táticas de jogo foram trabalhadas com portões fechados após a saída da imprensa e também entram no cardápio de mistérios azul, preto e branco.

Se tratando de clássico Gre-Nal, a rotina dos atletas mudou e o grupo já inicia concentração no hotel Deville esta noite. A última atividade acontece na tarde de quarta-feira, no CT Luiz Carvalho, e também deve ser realizada com portões fechados. Os ingressos para o Gre-Nal das Américas estão esgotados, o que dá a perspectiva de grande público na Arena. 

Antes do treinamento, o goleiro Vanderlei conversou com os jornalistas na entrevista coletiva. A íntegra está disponível abaixo.

Fotos: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

A prefeita Mari Machado recebeu nesta segunda-feira (9), o superintendente do Incra no Rio Grande do Sul, Tarso Teixeira. Entre as pautas abordadas no encontro, a principal foi a situação de emergência em razão da seca que foi decretada na última semana. Também tratou sobre o projeto da cozinha multiuso do Cerro dos Munhoz, solicitando autorização para alteração do projeto, já acordada com os assentados, e prorrogação de prazo. A titulação dos lotes dos assentamentos também foi pauta na reunião. 
 
O projeto de Ovinocultura que deverá se instalar do quarentenário foi abordado, ficando acertado o acompanhamento de uma reunião em Brasília que deverá acontecer nos próximos dias por um técnico da prefeitura. 
 
A reunião foi acompanhada pelo secretário de Agricultura, Pedro Nunes e pela procuradora geral do Município, Carla Saraiva, além de servidores do Departamento Técnico da Agricultura.
 
Fonte: 
Foto: Assessoria de Comunicação Social || Fonte: Assessoria de Comunicação Social
 

Na última segunda-feira (09), a Sicredi Manoel Viana reuniu mais de 250 associados e comunidade em geral no CTG Sentinela das Missões para discutir os rumos da cooperativa Sicredi Pampa Gaúcho, além de prestigiar a entrega dos recursos financeiros entregues para entidades através do Valor “S”.

Na ocasião, o Presidente da Cooperativa Sicredi Pampa Gaúcho, José Antonio Menezes, e a gerente da agência, Alinne Cruz, explanaram aos presentes os números da cooperativa e o desempenho da agência decorrentes de 2019. A partir disso, os associados votaram nas propostas apresentadas de distribuição de resultados e aprovaram as contas da Cooperativa e agência.

A Sicredi Manoel Viana representada pela gerente, realizou a entrega dos recursos financeiros para os projetos aprovados no Valor “S”. A partir do incremento dos associados, a comunidade recebeu aporte financeiro em 4 projetos que contribuirão para o desenvolvimento da comunidade: Juntos somos mais (Associação de Moradores e Pequenos Produtores do Lageado), Geração de renda através de panificados (Comunidade da Barragem do Itú), Corte, Costura e Reparo (Centro de Convivência do Idoso Amigos para Sempre e Manoel Viana Mais Segura (Prefeitura de Manoel Viana).

A Assembleia é o momento de saber o quanto os associados contribuíram para o desenvolvimento econômico e social da sua comunidade, sobre a saúde financeira da Cooperativa, os resultados conquistados em 2019 e as perspectivas para o futuro.

fonte: https://sicredipampagaucho.com.br/

Focado no médio e pequeno agricultor duas tecnologias auxiliam na aplicação direcionada de defensivos. Com preço acessível a ideia é que produtores com propriedades de menor porte possam acessar a agricultura de precisão.

O monitor GFX-350 da Trimble é uma maneira econômica de introduzir o piloto automático. Tem uma tela de 7 polegadas e permite controlar a maioria das operações de campo com apenas alguns toques. Depois que as máquinas, área, implementos e materiais são configurados durante o primeiro uso, eles são salvos e podem ser reutilizados com apenas alguns cliques. Também vem com Wi-Fi e Bluetooth® a bordo, permitindo o compartilhamento contínuo de dados entre o escritório e o campo.

Já como o Weed Seeker 2ª geração é possível fazer a pulverização seletiva onde na dessecação a tecnologia faz a aplicação somente onde há planta daninha, não aplicando onde é  solo, gerando a economia de até 92% e diminuindo os custos de produção com menos defensivo desperdiçado.

Por: AGROLINK -Eliza Maliszewski

Fonte: https://www.agrolink.com.br/

Imagem créditos: Marcel Oliveira

O ex-jogador de futebol Ronaldinho Gaúcho e seu irmão e empresário, Roberto de Assis Moreira, passaram a segunda noite presos em uma cela especial da Agrupação Especializada da Polícia Nacional, em Assunção, Paraguai. O Ministério Público do Paraguai pede ampliação das investigações para saber se o ex-jogador teria cometido outros crimes como lavagem de dinheiro.

Ronaldinho e Assis estão presos em caráter preventivo, a pedido do Ministério Público paraguaio, que temia que os dois deixassem o país antes das autoridades esclareceram porque os dois ingressaram no Paraguai usando documentos paraguaios com dados falsos. Caso não seja revertida, a prisão preventiva pode durar até seis meses.

O ex-atleta e seu irmão chegaram ao Paraguai na manhã da última quarta-feira (4). Embora cidadãos brasileiros possam ingressar no país vizinho apenas apresentando o documento de identidade brasileiro, Ronaldinho e Assis entregaram aos agentes da imigração um passaporte paraguaio preenchido com seus dados pessoais, como se fossem cidadãos naturalizados paraguaios.

Apesar de estranharem o fato, os agentes autorizaram o ingresso da dupla. Horas mais tarde, os dois foram alvos de uma operação que levou promotores do Ministério Público e policiais a vasculharem os quartos do resort em que Ronaldinho e Assis estavam hospedados e apreenderem os passaportes e as cédulas de identidade paraguaias que os dois portavam.

Segundo o promotor Federico Delfino, do MP paraguaio, Ronaldinho e Assis disseram ter viajado a convite do dono do cassino Il Palazzo, o brasileiro Nelson Belotti, e que, já no país, foram procurados por representantes de uma fundação de assistência, a Fraternidade Angelical, para participar de eventos beneficentes. Ainda de acordo com o promotor, os documentos são autênticos, mas foram preenchidos com informações falsas.

Na quinta-feira (5), promotores da Unidade Especializada em Crime Organizado, do MP paraguaio, propuseram que o ex-jogador de futebol e seu empresário fossem liberados por colaborarem com as investigações. Com base nisto, Ronaldinho e Assis prestaram novos depoimentos na sexta-feira (6) à tarde, já preparados a deixar o país. Mas após cerca de seis horas de audiência, o juiz Mirko Valinotti indeferiu o argumento do MP, estabelecendo um prazo de dez dias para que os promotores responsáveis pelo caso reavaliassem a situação.

O MP, então, voltou atrás em sua manifestação. Um novo promotor, Osmar Legal, da Unidade Especializada em Delitos Econômicos, foi designado para o caso, sugerindo que as autoridades locais investigam também a hipótese de lavagem de dinheiro. Ainda na sexta-feira, o MP recomendou que Ronaldinho e Assis fossem presos em caráter preventivo.

Detidos, os dois brasileiros foram conduzidos para a cela especial da Polícia Nacional, onde passaram a noite de sexta para sábado, quando se apresentaram perante a juíza Penal de Garantias, Clara Ruiz Díaz, que manteve a prisão preventiva por considerar graves os fatos investigados. Segundo o MP, a defesa de Ronaldinho e de Assis ainda tentaram converter a medida em prisão domiciliar, mas o pedido foi negado. “Os advogados pediram a prisão domiciliar, mas [Ronaldinho e seu irmão] não tem endereço fixo [no Paraguai]”, comentou o promotor.

Além de Ronaldinho e de Assis, também estão presos por suposto envolvimento no caso o empresário brasileiro Wilmondes Sousa Lira, apontado como representante legal do ex-jogador no Paraguai, e as paraguaias María Isabel Gayoso e Esperanza Apolonia Caballero. O MP pediu também determinou a prisão da empresária Dalia López Troche.

De acordo com informações divulgadas pelo MP paraguaio, Ronaldinho e seu irmão afirmam que após viajarem à convite de Belotti, receberam o convite de Dalia participar de eventos beneficentes. O ex-jogador e seu irmão também afirmam ter recebido os documentos falsificados do empresário Wilmondes Sousa Lira – que, por sua vez, responsabiliza a Dalia.

Já María Isabel e Esperanza Apolonia são investigadas porque, segundo a Polícia Nacional, os documentos encontrados com os brasileiros foram emitidos para as duas, que os solicitaram em janeiro deste ano.

Edição: Liliane Farias

Por Alex Rodrigues - Repórter da Agência Brasil - Brasília

Natália*, 40 anos e Felipe*, 42 anos, são professores, têm formação semelhante e exercem funções semelhantes, mas ao longo de 20 anos de carreira, Natália sempre ganhou menos que o marido. O caso mais marcante foi há dois anos, quando ela fez uma entrevista de emprego para uma escola particular, em São Carlos (SP), e recebeu a proposta salarial de R$ 800 por mês para lecionar seis aulas de 40 minutos cada, por manhã. “Na semana seguinte, a escola conversou com o meu marido e ofereceu R$ 1,7 mil pelo mesmo trabalho”, diz Natália.

O caso de Natália e Felipe não é isolado. Historicamente, no Brasil, homens ganham mais que mulheres. Após sete anos de quedas consecutivas, em 2019, houve um aumento da diferença dos salários de mulheres e homens de 9,2% em relação a 2018.

Em 2011, homens com ensino superior ganhavam, em média, R$ 3.058, enquanto as mulheres com o mesmo nível de formação ganhavam, em média, R$ 1.865, o que representa uma diferença de salário de 63,98%.

Em 2012, essa diferença começou a cair, passando para 61,78%. Em 2018, chegou a ser 44,7%, com homens ganhando, em média, R$ 3.752 e, mulheres, R$ 2.593. Em 2019, a diferença aumentou e passou a ser de 47,24%, com homens ganhando em média R$ 3.946 e, mulheres, R$ 2.680.

Os dados foram compilados para a Agência Brasil pela Quero Bolsa, plataforma de bolsas e vagas para o ensino superior, com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

“Muitas vezes não é só o currículo que conta, a capacidade, o profissionalismo, mas o simples fato de ser mulher. Se é mulher, você não é contratada porque vai dar problema, como já ouvi muitas vezes”, diz Natália. Ela conta que certa vez, uma escola de Jaú (SP) pediu que ela se comprometesse a não engravidar para não comprometer o ano letivo enquanto lecionasse na instituição. Ela recusou a vaga.

Previsão constitucional

A jornalista Clara*, 52 anos, passou por situação semelhante. Enquanto trabalhou na redação de um jornal em São Paulo, ganhou menos que um colega na mesma posição. “Recebi explicações superficiais sobre a diferença de salário. Mesmo mostrando que fazia a mesma coisa, com o mesmo volume de trabalho, a explicação foi de que cada salário era calculado de um jeito”, diz.

Clara, que tem 30 anos de profissão, ressalta que a equiparação salarial está prevista na Lei 1.723/1952, que assegura que sendo idêntica a função, “a todo trabalho de igual valor prestado ao mesmo empregador, na mesma localidade, corresponderá igual salário, sem distinção de sexo, nacionalidade ou idade”.

“Algumas empresas cumprem, outras acham que como a mulher engravida, tem licença maternidade, o custo dela como funcionária é maior. Logo, ela tem que ganhar menos, ou seja, pagar pela licença maternidade. Mas paga muito, muito mais. Não tem fiscalização e, com a crise, infelizmente esse cenário piorou”, diz a jornalista.

Carreiras

Segundo o pesquisador da área de Economia Aplicada do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) Daniel Duque, exista uma desvalorização de profissões que são majoritariamente ocupadas por mulheres. “Mais mulheres são formadas em profissões como licenciatura, pedagogia, enfermagem, odontologia, em relação a homens. E, mais homens são formados em cursos como engenharia. Parte desse diferencial de homens e mulheres é atribuído a essas diferentes escolhas de cursos” diz, e acrescenta, “Provavelmente, o maior fator foi uma maior desigualdade de retorno entre essas profissões”.

Os dados do Caged mostram que, no ano passado, entre as dez carreiras de ensino superior com maior geração de postos de trabalho, as mulheres recebem, em média, salários menores em sete delas. A maior desvantagem foi encontrada no cargo de analista de negócios, com homens ganhando R$ 5.334 e mulheres, R$ 4.303, o equivalente a 80,67% do salário deles.

Segundo Duque, ao pagar menos às mulheres, o Brasil perde economicamente. “Quando se nega a mulheres oportunidades equivalentes às dos homens no mercado, a gente abre mão de cérebros. Estamos deixando de incorporar no mercado de trabalho no Brasil mulheres que seriam extremamente talentosas”, diz. “Estamos perdendo força produtiva por desigualdade entre gêneros e isso vai impactar a produtividade agregada brasileira e nosso desenvolvimento”.

Mulheres estudam mais

Para o diretor de Inteligência Educacional da plataforma Quero Bolsa, Pedro Balerine, o aumento do número de pessoas com ensino superior fez com que as diferenças salariais entre as profissões e entre os gêneros ficasse mais evidente no ano passado.

“A oferta de ensino superior aumentou bastante de 2012 para cá. As pessoas [que se formaram] estão entrando no mercado de trabalho. Infelizmente, o Brasil ainda está aquém em igualdade salarial entre homens e mulheres”, diz Balerine.

Essa discrepância, segundo o diretor, é injusta: “As mulheres estudam mais, fazem mais pós-graduação, mais mestrado, mais doutorado, não faz o menor sentido ter essa discrepância. Ela é injustiça”.

Os dados copilados pela Quero Bolsa mostram que, apesar da maioria das carreiras pagarem salários menores às mulheres, elas são 57% do total de estudantes no ensino superior. São também maioria na iniciação científica, representando 59,71% do total dos pesquisadores. Na pós-graduação, 54% do total de estudantes são mulheres.

Veja as médias salariais de homens e mulheres nas dez carreiras com maior geração de postos de trabalho:  

Analista de negócios: homens ganham R$ 5.334 e mulheres, R$ 4.303

Analista de desenvolvimento de sistemas: homens ganham R$ 5.779 e mulheres, R$ 5.166

Analista de pesquisa de mercado: homens ganham R$ 4.191 e mulheres, R$ 3.624

Biomédicina: homens ganham R$ 2.761 e mulheres, R$ 2.505

Enfermagem: homens ganham R$ 3.417 e mulheres, R$ 3.288

Preparador físico: homens ganham R$ 1.426 e mulheres, R$ 1.326

Nutricionista: homens ganham R$ 2.781 e mulheres, R$ 2.714

Farmacêutico: homens ganham R$ 3.209 e mulheres, R$ 3.221

Fisioterapeuta geral: homens ganham R$ 2.400 e mulheres, R$ 2.422

Avaliador físico: homens ganham R$ 2.107 e mulheres, R$ 2.303

Os nomes foram mudados a pedidos das entrevistadas.

Edição: Denise Griesinger

Por Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil - Brasília

O Grêmio foi a campo na tarde deste domingo, para enfrentar o Pelotas, em mais uma rodada do Campeonato Gaúcho. Devido ao Gre-Nal, que acontece na próxima quinta-feira, pela Libertadores da América, o técnico Renato escalou uma equipe alternativa, que foi bem e venceu o time do sul do estado pelo placar de 1 a 0, com gol assinalado pelo atacante Pepê.

Logo aos 2 minutos de bola rolando, os gremistas foram efetivos e conseguiram abrir o placar. Pepê recebeu um lançamento preciso de Darlan, saiu em velocidade invadiu a área, chutando para o fundo das redes, com confiança, assinalando um golaço. Mas a resposta do time da casa não demorou a sair e veio com uma bomba de Felipe Guedes, que acertou a trave superior da meta defendida por Paulo Victor.

Outra chance do Grêmio veio com um escanteio. Thiago Neves colocou na área, para Rodrigues desviar de cabeça, mas mandou para fora, aos 10’. Já oito minutos depois, Orejuela serviu o camisa 10, que já na área, chutou colocado, mas a defesa fez o corte pela linha de fundo.

O Pelotas também ameaçou na etapa inicial. Aos 22’, após cobrança de lateral, Tadeu dividiu com Rodrigues e pediu pênalti, mas nada foi assinalado. Na sequência do lance, a equipe adversária finalizou a gol, obrigando Paulo Victor a fazer uma boa defesa. Outro momento de perigo para o Tricolor foi aos 35’, quando Hugo Sanches cobrou uma falta da intermediária, fazendo com que Paulo Victor tivesse que fazer uma baita defesa, no reflexo. O Grêmio respondeu com Patrick no minuto seguinte. O meia recebeu dentro da área e chutou, mas o goleiro defendeu, impedindo o segundo gol gremista. Mas na reta final, o Pelotas quase empatou a partida quando Tadeu desviou de cabeça para a meta, mas o arqueiro do Tricolor espalmou a escanteio.

O segundo tempo foi mais disputado, com ambas equipes no ataque. Aos 3’, Thiago Neves fez um lançamento buscando Luciano, o centroavante recebeu e tentou encobrir o arqueiro adversário, mas foi flagrado em posição de impedimento. Com 10’, a resposta do time da casa veio em cobrança de falta. Hugo colocou em curva na área e Paulo Victor caiu para defender com segurança.

Aos 22’, Thaciano fez um bom desarme e acionou Patrick na direita - o meia desceu até a linha de fundo e fez uma bonita jogada sobre a marcação adversária, mas ao jogar na área, a defensiva do Pelotas fez o corte. Seis minutos depois, foi a vez de Luciano arrematar de longe, mas a bola saiu pelo lado esquerdo da meta. Já o time adversário também criou boas oportunidades na segunda etapa. Aos 31’, Hugo Sanches serviu Tadeu na direita, que chutou cruzado, mas Paulo Miranda cortou a escanteio.

Na reta final da partida, o Grêmio ainda tentou com Pepê e Jean Pyerre. Primeiro, o atacante fez uma jogada individual e chutou, mas a zaga cortou e sobrou para o meia, que de longa distância arrematou, mandando por sobre a meta.

Com a vitória por 1 a 0, o Grêmio soma mais três pontos, chegando a seis na tabela de classificação e na liderança do Grupo B.

O próximo confronto será contra o co-irmão, na quinta-feira, na Arena pela Libertadores da América. Pelo estadual, volta a campo no domingo, 15, às 11h, quando encara o São Luiz.


Foto: Lucas Uebel | Grêmio FBPA

Página 5 de 409
Topo