Gisnei

Gisnei

Com 400 pessoas em cena, 100 músicos e muita tecnologia, a cerimônia de abertura da Copa América vai mostrar o sonho de 12 crianças, cada uma representando um dos países que participarão da competição. Segundo os organizadores da Copa, a história das crianças será contada em duas partes: a primeira, no início, e a segunda, no encerramento da cerimônia, que terá início as 21h10 de sexta-feira (14), no estádio do Morumbi, em São Paulo.

“É a primeira vez, em grandes eventos, que a gente conta [uma história] neste formato [dividida em duas partes]. Desta vez, o Brasil, como anfitrião, convida toda a América do Sul para contar uma história juntos. Os protagonistas serão os 12 países juntos, com os dois convidados [Japão e Catar]”, disse o diretor artístico da cerimônia, Edson Erdmann. “A plateia do estádio vai participar e vai contar a história junto”, ressaltou.

Erdmann lembrou que os espetáculos que abriram a Copa do Mundo, em 2014, e os Jogos Olímpicos, em 2016, contaram a história do Brasil. "Agora teremos ancestrais de todos os países convidados e vamos contar a história da América do Sul”, afirmou.

Durante a cerimônia será cantada a música-tema da Copa América deste ano, Vibra Continente, escrita por Rafinha RSQ, Léo Santana, Karol G e Ovy On the Drums. A canção, que será interpretada por Léo Santana e pela colombiana Karol G, mistura o swing latino e o funk.

A organização ainda não sabe quantos chefes de Estado vão participar do jogo de abertura da Copa América, entre Brasil e Bolívia. Até este momento, apenas o presidente Jair Bolsonaro e o emir do Qatar, Tamim bin Hamad al Thani, confirmaram presença.

Das 12 seleções que vão participar do evento, oito já estão no Brasil, e duas chegam hoje (12): Peru e Japão. As equipes do Paraguai e do Uruguai chegam amanhã (13).

Fachada do Estádio do Morumbi, na zona oeste de São Paulo.
Estádio do Morumbi, palco da cerimônia de abertura da Copa América 2019 - Rovena Rosa/Agência Brasil

Os portões do Morumbi serão abertos quatro horas antes do início do jogo entre Brasil e Bolívia, marcado para as 21h30. A dica é que as pessoas usem o transporte público e cheguem cedo ao estádio, já que será proibido circular de carro dentro da área de segurança estabelecida ao redor de cada um dos estádios.

Ingressos

O diretor-geral do Comitê Organizador Local, Segundo Agberto Guimarães, informou que torcedores de mais de 117 países adquiriram ingressos para a Copa América no Brasil. Segundo Guimarães, té este momento, mais de 65% dos ingressos foram vendidos, mas a expectativa é de aumento do volume de vendas com o início da competição.

Greve geral

Quanto à greve geral, convocada para esta sexta-feira, dia de abertura da Copa América, Agberto Guimarães, informou que a organização do evento acompanhará de a possível paralisação. “O que posso dizer é que nossas áreas de operação e segurança têm trabalhado em parceria com as instituições governamentais. As ações que devem ser tomadas, devem ser tomadas pelos entes públicos. Não temos autoridade para impedir nada disso. Vamos acompanhar de perto, em parceria. E esperar que tudo aconteça de forma pacífica, sem nenhum problema.”

Competição

A 46ª Copa América, que reúne 12 seleções, será disputada em cinco cidades: Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

O Brasil está no Grupo A e enfrentará as seleções da Bolívia, Venezuela e Peru. O Grupo B é formado pelas equipes da Argentina, da Colômbia, do Paraguai e do Catar. Fazem parte do Grupo C o Uruguai, o Equador, o Chile e o Japão.

O atual campeão é o Chile. O Brasil obteve seu último título na Copa América em 2007, na Agentina.

Mascote

A mascote da competição é uma capivara, Zizito, cujo nome recebeu 65% dos votos em uma consulta nas redes sociais. A outra opção de nome, Capibi, ficou com 35% da preferência dos internautas.

Nesta quarta-feira, os artistas Léo Santana e Karol G, que interpretarão a música-tema da Copa América na cerimônia de abertura, e o ex-lateral da Seleção Brasileira Cafu, posaram no Morumbi, com a mascote, cujo nome homenageia o maior artilheiro da história da competição, Zizinho, que fez 17 gols e divide a liderança com o argentino Norberto Méndez.

 

Edição: Nádia Franco
 
Por Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil
 
 
Rovena Rosa/Agência Brasil

Sicredi cria Consórcio Fidelidade para estimular novas aquisições do produto 

Com taxas de administração mais atrativas, novo benefício é voltado aos associados que já quitaram suas cotas de consórcios 

O Sicredi está lançando o Consórcio Fidelidade, um benefício que oferece condições especiais para quem já quitou a cota de consórcio e pretende investir em uma nova oportunidade de negócio. Agora, os associados que concluírem o pagamento terão direito a aderir a qualquer outro produto de consórcios do Sicredi com taxas de administração até 20% mais atrativas do que os planos tradicionais. 

Segundo o Sicredi, somente neste ano, mais de 40 mil consorciados da instituição devem quitar suas cotas e estarão aptos a contratarem o Consórcio Fidelidade. Além de oferecer condições especiais, a estratégia da instituição de manter negócios com os consorciados também tem como propósito estimular o habito de guardar dinheiro. “Financeiramente saudável, esse hábito ainda não é muito comum na vida dos brasileiros, mas os consórcios são uma forma de despertar a consciência sobre finanças pessoais e o crescimento do setor mostra que os consumidores estão cada vez mais interessados nesse tipo de investimento”, explica Jocimar Martins, gerente da Administradora de Consórcios Sicredi. Martins reforça ainda: “Uma nova cota de consórcio significa continuar investindo no patrimônio e na realização dos sonhos, viabilizando novas conquistas”. 

O Consórcio Fidelidade do Sicredi é voltado para pessoas físicas ou jurídicas e o direito de adesão é valido para os associados durante o período de 180 dias após a quitação de uma cota de consórcio. Hoje, o Sicredi oferece consórcios para carros de passeio, veículos pesados, tratores, motos, imóveis, serviços, bens náuticos, equipamentos sustentáveis e móveis planejados. Os planos possuem prazos de duração entre 36 e 200 meses, de acordo com as características de cada produto. 

Sicredi no Top 5 do Banco Central

O Banco Central do Brasil (BCB) divulgou na última sexta-feira, dia 7 de junho, o Top 5 Mensal relativo a maio com as principais instituições financeiras em relação às expectativas de mercado. Na categoria "IPCA no Curto Prazo", a liderança ficou para o Sicredi, que obteve o menor erro de previsão nos últimos seis meses. A instituição financeira cooperativa, que tem mais de 4 milhões de associados e atua em 22 estados e no Distrito Federal, também figura nas categorias "Taxa de Juros Selic" em curto e médio prazo.

Mônica Freitas Valle Corrêa

Assessora de Comunicação e Marketing

Área de Relacionamento

Conteúdos e experiências educativas inovadoras sobre temas Educação, Sustentabilidade, Envelhecimento Humano, Esporte e Lazer são o foco da 3ª Revista EducaSesc, que está recebendo materiais até o dia 31 de julho. Podem ser inscritos relatos de experiências ou artigos que ofereçam a ampliação do conhecimento e saberes e promovam a educação como eficaz e fundamental para a transformação da sociedade. O envio dos trabalhos deve ser feito para o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Mais informações sobre as regras para a submissão estão disponíveis no site www.sesc-rs.com.br/educacao/revistaeducasesc.

A Revista EducaSesc é uma iniciativa da Gerência de Educação e Ação Social do Sesc/RS, que busca promover a educação como um meio eficaz e fundamental para a transformação de uma sociedade. Por isso, os conteúdos selecionados devem possibilitar a ampliação de conhecimentos e saberes nas referidas áreas temáticas.

Sobre o Sesc/RS – Com sete décadas de atuação no Brasil e no Rio Grande do Sul, a Instituição pertencente ao Sistema Fecomércio-RS realiza ações em 100% dos municípios gaúchos, promovendo o bem-estar social de trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e de toda a comunidade. O propósito do Sesc/RS é o de cuidar, emocionar e fazer pessoas felizes, e todas as 497 cidades gaúchas recebem atividades sistemáticas em áreas como a saúde, esporte, lazer, cultura, cidadania, turismo e educação. Atualmente, a estrutura da Instituição conta com 43 Unidades Operacionais Sesc e 21 Unidades Sesc/Senac. Saiba mais em www.sesc-rs.com.br.

 

3ª Revista EducaSesc

Submissão de trabalhos: até 31 de julho, pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Mais informações: https://www.sesc-rs.com.br/educacao/revistaeducasesc/.

Passados três meses da missão mais difícil de suas vidas, os labradores Guapo, Bono, Logan e Barão, a perita Cristina Barazetti Barbieri e os bombeiros Gerson Meireles dos Santos, Alex Sandro Teixeira Brum, Vagner Charão Lago e Juliano Soares Sodré foram oficialmente reconhecidos nesta sexta-feira (7/6).

Ao lado de equipes de todo o país, servidores e cães foram designados pelo governador Eduardo Leite para representar os gaúchos na tentativa de amenizar as perdas e o sofrimento causado pelo rompimento da barragem de Brumadinho (MG). 

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 06/06/2019 - Governador Eduardo Leite participa da solenidade de outorga da medalha da Defesa Civil a servidores que atuaram na Missão de Brumadinho. Fotos: Gustavo Mansur / Palácio Piratini
Governador entregou medalhas para quatro cães de salvamento dos bombeiros - Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

“Ao mesmo em que recordamos esse triste momento da história nacional, é uma oportunidade de demonstrarmos o melhor sentimento humano, que é a solidariedade. O trabalho desses bravos homens e cachorros muito nos orgulha, porque serviu para amenizar a dor de muitas famílias no auge do sofrimento”, destacou Leite, um dos responsáveis por condecorar os seis servidores e os quatro cães de salvamento com a medalha da Defesa Civil do RS.

Embalada pelo acordes da banda da Brigada Militar, a homenagem ocorreu nesta tarde nos jardins do Palácio Piratini, com presença de autoridades civis e militares. Vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior também participou da condecoração. “Como operador da segurança como vocês, quero dizer que estou muito orgulhoso deste trabalho e dizer que vocês representaram todos os colegas militares e civis que doam as próprias vidas para salvar a de todos os gaúchos”, afirmou Ranolfo.

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 06/06/2019 - Governador Eduardo Leite participa da solenidade de outorga da medalha da Defesa Civil a servidores que atuaram na Missão de Brumadinho. Fotos: Gustavo Mansur / Palácio Piratini
Vice Ranolfo entregou medalha a um dos bombeiros que participou da operação em Minas Gerais - Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

Histórico

A equipe gaúcha foi enviada para a missão no dia 1º de março deste ano, pouco mais de um mês depois de a lama dizimar casas, vegetação, animais e pelo menos 246 vidas – outras 24 pessoas seguem desaparecidas, conforme os dados atualizados nesta quinta-feira (6/6).

“Diante daquele cenário difícil e antagônico, o trabalho em equipe, atuando sempre com profundo sentimento humano e solidário, foi fundamental e, me apropriando das palavras da perita Cristina, foi ‘mais forte até do que a força das águas’”, destacou o chefe da Casa Militar e coordenador estadual de Proteção e Defesa Civil, coronel Júlio César Rocha Lopes.

Treinados para identificar odor cadavérico (com certificação nacional), os cachorros, ao lado de suas respectivas duplas de bombeiros, tiveram de se adaptar ao terreno movediço para realizar buscas às vítimas. Já a perita do Instituto-Geral de Perícias foi a única integrante de um órgão estadual na força-tarefa que coletou as amostras usadas para a investigação de crime ambiental na região, definindo os pontos para a coleta e a retirada de amostras de lama e rejeitos para fins de análise.

A ação foi exitosa, conforme o chefe da operação gaúcha, tanto que a estadia, que era para ser de 10 dias, passou para 24.

Preocupação com barragens do RS

Reforçando que tragédias como a de Brumadinho não podem se repetir, o governador divulgou um balanço das vistorias realizadas nas barragens do RS. Iniciado em abril a pedido de Leite, o trabalho coordenado pela Secretaria de Meio Ambiente e Infraestrutura visa minimizar riscos de acidentes no Estado, prevenir impactos ambientais e econômicos, além de melhorar a gestão das barragens.

Em dois meses, foram realizadas 41 vistorias em barragens. Dentre elas, todas as 31 barragens com nível 1 de prioridade, quando a segurança não está comprometida a curto prazo, mas há indicação de que sejam monitoradas e sob controle. As outras vistorias foram em barragens classificadas no nível 2, onde estão inclusas aquelas em situação de alerta, em que os técnicos indicam as providências a serem tomadas.

Para o mês de junho estão planejadas vistorias de mais 15 barragens. A meta é, até agosto deste ano, fiscalizar todas as barragens dos níveis 1 e 2 no RS, um total de 94 locais.

Texto: Vanessa Kannenberg
Edição: Patrícia Specht/Secom

O Senado vai analisar nesta semana a proposta de emenda à Constituição (PEC) 10/11, que altera o rito de votação de medidas provisórias. A PEC está prevista para ir a plenário na próxima quarta-feira (12). A matéria foi aprovada na Câmara dos Deputados na última semana e volta para o Senado após quase oito anos parada na Câmara.

O projeto original, do então senador José Sarney, passou no Senado e foi para a Câmara em 2011, ficando por lá todo esse tempo. Na última semana, a PEC foi incluída na pauta da Câmara a pedido dos senadores, que demonstraram irritação com o fato de várias medidas provisórias (MPs), que têm 120 dias de tramitação, só chegarem à Casa na semana ou até no último dia de prazo para votação antes de perder a validade.

Isso ocorreu no início deste mês, com a chegada das MPs 871 e 872. As matérias foram votadas no Senado, não sem antes os senadores demonstrarem sua insatisfação na tribuna da Casa. Ao criticar o pouco tempo para apreciação das MPs, vários senadores afirmaram que não são “carimbadores” das decisões vindas da Câmara.

O Senado deverá analisar novamente a PEC porque o texto sofreu alterações na Câmara. Propostas de emenda à Constituição só são promulgadas se o texto aprovado em uma Casa for idêntico ao aprovado na outra. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), agradeceu à Câmara por dar andamento à proposta.

“A matéria está processada, estará incluída semana que vem, para nós, em definitivo, resolvermos esse problema de prazos em relação às medidas provisórias. Divido com o Plenário essa grande conquista para a Casa da Federação, que é o Senado. Obrigado aos senadores pela confiança e à Câmara dos Deputados por votar essa matéria”, disse Alcolumbre assim que o Senado recebeu a PEC.

Regras

Pela proposta aprovada pelos deputados, a análise das MPs no Congresso Nacional será dividida em três etapas: 40 dias para comissão mista, 40 para a Câmara, 30 para o Senado e 10 a mais para a Câmara, no caso de senadores fazerem alterações no projeto aprovado pelos deputados.

O texto também estabelece prazos de validade para as medidas provisórias. Segundo a proposta, as MPs perdem a validade se não forem analisadas em até 40 dias pela comissão mista, contados do segundo dia útil após sua edição; se não forem analisadas pela Câmara dos Deputados em 40 dias, a partir do segundo dia útil do recebimento do parecer da comissão mista; se não forem analisadas pelo Senado em 30 dias, a partir do segundo dia útil da aprovação pela Câmara; ou se a Câmara não analisar as eventuais modificações do Senado em 10 dias, contados do segundo dia útil da aprovação pelos senadores.

Caso a Câmara não analise a proposta em 30 dias, a proposição passa a trancar a pauta, entrando em regime de urgência. No Senado, a proposta tranca a pauta após 20 dias se não houver manifestação pela Casa.

Se a Câmara e o Senado não se manifestarem, respectivamente, no prazo de 30 e 20 dias, a MP passa a tramitar em regime de urgência, tendo preferência na fila da pauta.

Pela proposta aprovada, não podem ser incluídos no texto os chamados jabutis, temas que não têm nada a ver com o assunto original da medida provisória.

*Com informações da Agência Senado

Edição: Nádia Franco
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Cristiane foi o grande nome da seleção brasileira na partida de estreia contra a Jamaica, na Copa do Mundo, realizada no Estádio dos Alpes, em Grenoble, na França. A camisa 11 marcou três gols, além de jogadas de velocidade que confundiram as defensoras jamaicanas.

O treinador Vadão, durante entrevista no gramado após o jogo, disse que ficou satisfeito com o desempenho da equipe, reconheceu alguns erros e lamentou alguns gols perdidos. Ele não confirmou a presença de Marta para a próxima partida da seleção contra a Austrália, na quinta-feira (13), às 13h, em Montpellier.

Copa do Mundo Feminina 2019: Segundo gol de Cristiane do Brasil contra a Jamaica
Copa do Mundo Feminina 2019: Segundo gol de Cristiane do Brasil contra a Jamaica - Reuters/Emmanuel Foudrot/Direitos reservados

O jogo

O jogo começou com a seleção brasileira pressionando a defesa da Jamaica, em ações de Tamires, Debinha e Cristiane. Aos seis minutos, em uma jogada pela esquerda, Cristiane cruzou para o gol e surpreendendo a goleira Schneider, com a passando perigosamente pela frente do gol. Logo depois, as jamaicanas vão para o ataque, após um lançamento longo para a atacante Matthews. A goleira Bárbara se antecipa e afasta o perigo.

Aos sete minutos, Debinha recebe um lançamento nas costas da zaga, avança livre e tenta driblar a goleira Schneider, que desvia a bola com a mão.

Com o time recuado, esperando que o Brasil oferecesse o contra-ataque, as jamaicanas, posicionadas na defesa, lutavam por uma bola, mas a pressão das brasileiras impedia os lançamentos para Matthews.

Foi na pressão que Andressa, aos 15 minutos, cruza pela esquerda do ataque brasileiro e encontra Cristiane livre na área, que só teve o trabalho de cabecear no canto esquerdo de Schneider, que nada pôde fazer: Brasil 1 a 0.

Após o gol, o time brasileiro passou a jogar com mais tranquilidade, mas sempre mantendo a marcação alta, em cima da zaga da Jamaica que, a todo momento, se confundia, errando os passes e devolvendo a bola de graça para as brasileiras.

A grande jogada da Jamaica só aconteceu aos 27 minutos do primeiro tempo. Um lançamento para o lado esquerda defensivo do Brasil encontrou Bond-Flasza, que colocou a bola na frente, venceu na corrida a lateral Tamires e, da entrada da área, bateu forte no canto esquerdo alto da goleira Bárbara, que fez uma grande defesa.

Aos 36 minutos, em uma jogada pela direita, Andressa recebe na entrada da área, espera a passagem de Letícia e passa a bola. A lateral recebe, tenta o cruzamento, a bola toca no braço de Swaby. O pênalti é marcado, mas Andressa desperdiça chutando fraco no lado direito de Schneider, que defendeu sem dificuldade.

O pênalti perdido diminuiu um pouco o ânimo das brasileiras, que recuaram um pouco e passaram a tocar a bola mais no meio de campo à espera de uma brecha na defesa da Jamaica, a fim de enfiar uma bola para Cristiane ou Debinha. O jogo permaneceu assim até que a árbitra apitasse o fim do jogo na primeira fase.

Segundo tempo

O Brasil voltou para o segundo tempo sem nenhuma alteração na equipe. O treinador Vadão manteve o mesmo esquema tático do primeiro tempo, com as jogadoras pressionando a defesa jamaicana. E foi em uma jogada de pressão, aos quatro minutos, que a defensora da Jamaica deu um chute para a frente, a bola sobrou para Formiga. A volante brasileira escorou para Debinha, que cedeu para Andressa. Ela cruza para a pequena, onde Cristiane escora para o gol. A jamaicana Plummer tenta salvar, mas a bola cruza a linha de gol: 2 a 0 para o Brasil.

Copa do Mundo Feminina 2019: Segundo gol de Cristiane do Brasil contra a Jamaica
Copa do Mundo Feminina 2019: Segundo gol de Cristiane do Brasil contra a Jamaica - Reuters/Emmanuel Foudrot/Direitos reservados

O segundo gol brasileiro, o segundo de Cristiane no jogo, deu mais tranquilidade para as brasileiras, que passaram a buscar jogadas de contra-ataque pelos lados do campo, com lançamentos longos em profundidade. Em uma dessas jogadas, Cristiane recebeu na entrada da área e, quando tentou o passar pela zagueira da Jamaica, foi derrubada. Na cobrança da falta, aos 17 minutos, a camisa 11 do Brasil fez o seu terceiro gol no jogo.

Logo após o gol, o treinador Vadão substituiu Cristiane, colocando em campo Ludmila. Em seguida, ele tirou também a atacante Bia Zaneratto e colocou Geise. Na Jamaica, o treinador Hue Menzie trocou Mathews por Brown. Pouco tempo depois, ele subsitui Carter por Cameron.

Aos 30 minutos, Vadão fez outra mudança no time brasileiro. Ele trocou Kathellen por Daiane. As substituições mudaram o ritmo do jogo, com as brasileiras tocando a bola no meio de campo, esperando por uma falha na defesa da Jamaica. Aos 33 minutos, após uma cobrança de escanteio, a bola sobra para Thaísa, a camisa 5 chuta forte por cima do gol de Schneider.

O Brasil tem mais uma chance de fazer o quarto gol aos 34 minutos: a zaga da Jamaica falha, Geyse rouba a bola de Plummer, cruza na área, Ludmila chega, mas bate para fora.

Depois deste lance, as brasileiras passaram a segurar a bola, fazendo o tempo passar até a árbitra apitar fim da partida aos 49 minutos.

Liderança do grupo

A vitória do Brasil garante a liderança do grupo C. A seleção soma três pontos e três gols de saldo, ficando à frente da Itália, que venceu a Austrália por 2 a 1, fazendo também três pontos, mas saldo de apenas um gol. Austrália e Jamaica ainda não marcaram pontos.

Ficha técnica do jogo

Árbitro: Riem Hussein (Alemanha).
Assistentes: Kylie Cockburn (Escócia), Mihaela Tepusa (Romênia) e Kateryna Monzul (Ucrânia).
Cartões amarelos: Plummer (Jamaica), Formiga e Daiane (Brasil).

Time do Brasil:: Bárbara, Leticia Santos, Kathellen (Daiane), Mônica e Tamires; Thaisa, Formiga e Andressa Alves; Debinha, Bia Zaneratto (Geyse) e Cristiane (Ludmila).
Treinador: Vadão.

Time da Jamaica: Sydney Schneider, Bond-Flasza, Plummer, Allyson Swaby e Blackwood; Matthews (Brown), Solaun e Chantelle Swaby; Sweatman, Carter (Cameron) e Shaw.
Treinador: Hue Menzies.

 

Texto alterado às 15h47 para corrigir informações

Edição: Aécio Amado

Passados três meses da missão mais difícil de suas vidas, os labradores Guapo, Bono, Logan e Barão, a perita Cristina Barazetti Barbieri e os bombeiros Gerson Meireles dos Santos, Alex Sandro Teixeira Brum, Vagner Charão Lago e Juliano Soares Sodré foram oficialmente reconhecidos nesta sexta-feira (7/6).

Ao lado de equipes de todo o país, servidores e cães foram designados pelo governador Eduardo Leite para representar os gaúchos na tentativa de amenizar as perdas e o sofrimento causado pelo rompimento da barragem de Brumadinho (MG). 

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 06/06/2019 - Governador Eduardo Leite participa da solenidade de outorga da medalha da Defesa Civil a servidores que atuaram na Missão de Brumadinho. Fotos: Gustavo Mansur / Palácio Piratini
Governador entregou medalhas para quatro cães de salvamento dos bombeiros - Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

“Ao mesmo em que recordamos esse triste momento da história nacional, é uma oportunidade de demonstrarmos o melhor sentimento humano, que é a solidariedade. O trabalho desses bravos homens e cachorros muito nos orgulha, porque serviu para amenizar a dor de muitas famílias no auge do sofrimento”, destacou Leite, um dos responsáveis por condecorar os seis servidores e os quatro cães de salvamento com a medalha da Defesa Civil do RS.

Embalada pelo acordes da banda da Brigada Militar, a homenagem ocorreu nesta tarde nos jardins do Palácio Piratini, com presença de autoridades civis e militares. Vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior também participou da condecoração. “Como operador da segurança como vocês, quero dizer que estou muito orgulhoso deste trabalho e dizer que vocês representaram todos os colegas militares e civis que doam as próprias vidas para salvar a de todos os gaúchos”, afirmou Ranolfo.

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 06/06/2019 - Governador Eduardo Leite participa da solenidade de outorga da medalha da Defesa Civil a servidores que atuaram na Missão de Brumadinho. Fotos: Gustavo Mansur / Palácio Piratini
Vice Ranolfo entregou medalha a um dos bombeiros que participou da operação em Minas Gerais - Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

Histórico

A equipe gaúcha foi enviada para a missão no dia 1º de março deste ano, pouco mais de um mês depois de a lama dizimar casas, vegetação, animais e pelo menos 246 vidas – outras 24 pessoas seguem desaparecidas, conforme os dados atualizados nesta quinta-feira (6/6).

“Diante daquele cenário difícil e antagônico, o trabalho em equipe, atuando sempre com profundo sentimento humano e solidário, foi fundamental e, me apropriando das palavras da perita Cristina, foi ‘mais forte até do que a força das águas’”, destacou o chefe da Casa Militar e coordenador estadual de Proteção e Defesa Civil, coronel Júlio César Rocha Lopes.

Treinados para identificar odor cadavérico (com certificação nacional), os cachorros, ao lado de suas respectivas duplas de bombeiros, tiveram de se adaptar ao terreno movediço para realizar buscas às vítimas. Já a perita do Instituto-Geral de Perícias foi a única integrante de um órgão estadual na força-tarefa que coletou as amostras usadas para a investigação de crime ambiental na região, definindo os pontos para a coleta e a retirada de amostras de lama e rejeitos para fins de análise.

A ação foi exitosa, conforme o chefe da operação gaúcha, tanto que a estadia, que era para ser de 10 dias, passou para 24.

Preocupação com barragens do RS

Reforçando que tragédias como a de Brumadinho não podem se repetir, o governador divulgou um balanço das vistorias realizadas nas barragens do RS. Iniciado em abril a pedido de Leite, o trabalho coordenado pela Secretaria de Meio Ambiente e Infraestrutura visa minimizar riscos de acidentes no Estado, prevenir impactos ambientais e econômicos, além de melhorar a gestão das barragens.

Em dois meses, foram realizadas 41 vistorias em barragens. Dentre elas, todas as 31 barragens com nível 1 de prioridade, quando a segurança não está comprometida a curto prazo, mas há indicação de que sejam monitoradas e sob controle. As outras vistorias foram em barragens classificadas no nível 2, onde estão inclusas aquelas em situação de alerta, em que os técnicos indicam as providências a serem tomadas.

Para o mês de junho estão planejadas vistorias de mais 15 barragens. A meta é, até agosto deste ano, fiscalizar todas as barragens dos níveis 1 e 2 no RS, um total de 94 locais.

 

Texto: Vanessa Kannenberg
Edição: Patrícia Specht/Secom

Junho começou quente no Citadino de Futsal. A cada rodada a primeira fase vai se aproximando do seu desfecho para as categorias Sub 13, Sub 18 e Força Livre, Série Prata. Nesta quinta-feira mais um capitulo desta fase foi escrito, sendo de recuperação para a equipe do Carolina. A equipe venceu seus jogos na Sub 13 e Sub 18. Já na Prata, Atlântico e Portugal protagonizaram um confronto entre times classificadas, mas com 20 gols.
Sub 13
O Carolina ainda não havia vencido na Sub 13 e tinha apenas um ponto ganho. O mesmo ocorrida com a União ASM/Centauro, lanterna da chave A. O confronto entre as equipes, portanto tinha ingredientes de reação de um deles. O Carolina abriu o placar com Karlison, mas Maike virou para a ASM/Centauro. Karlison empatou no minuto final do primeiro tempo. Na segunda etapa o Carolina tratou de forçar o jogo e virou com Kauã, e fez o segundo com Karlison. Lucas descontou para a ASM/Centauro. Depois disso do deu Carolina, que voltou a marcar dois gols com o artilheiro Karlison e fez o 7 x 3 com Douglas. Uma ASM/Centauro já sem forças viu o Wesley e Felipe fecharem o placar em 9 x 3, levando o Carolina a primeira vitória.
Nova vitória
Carolina e Centauro seguiram em quadra, mas o confronto desta vez foi pela Sub 18. Nesta categoria o Carolina também não havia vencido na chave A e o Centauro era vice líder da B. Mas com a bola rolando o Carolina começou pressionando. Após a blitz o Centauro escapou num contra ataque e fez 1 x 0 com Arlen. O Carolina seguiu criando e parava no goleiro Gabriel. Já o Centauro fez 2 x 0 no contra ataque com Feijão. Depois de muita insistência, o Carolina enfim marcou seu gol com Gabriel. Adrian logo empatou, mas Feijão fez o 3 x 2. Leo empatou e Lucas ,nos segundos finais, virou o jogo para o Carolina. No segundo tempo Lucas fez o quinto gol no Carolina no primeiro minuto de jogo e Gabriel aumentou a vantagem do Carolina. Matheus descontou e Arlen voltou a marcar para o Centauro. O jogo voltou a ficar equilibrado e muito disputado. O Centauro então perdeu Arlen e depois Feijão machucados. O Carolina, por sua vez partiu para cima definir o jogo e no embalo da grande torcida que foi ao ginásio voltou a marcar com Lucas, craque da rodada, Adrian, duas vezes e Lucas, em duas novas oportunidade. O Centauro se perdeu e com Eliel expulso, ficou sem chances para reagir. Brian e Vinicius descontaram, mas o Carolina venceu por 11 x 7.
Empate com chuva de gols
Atlântico e Portugal entraram em quadra classificados na Série Prata, mas fizeram um jogo muito disputado e com muitos gols. Num jogo franco Jadson e Allif abriram o placar para o Atlântico. Portugal reagiu diminuiu com Duka e empatou com Carlos Henrique, o Duka. Allif voltou a marcar e colocar o Atlântico na frente, e Pablo fez o quarto gol. Luis Mario diminuiu para Portugal e Duka voltou a empatar e depois virou para 5 x 4, Portugal. Dailon, porém marcou um golaço e empatou em 5 x 5 para o Atlântico. O segundo tempo começou na mesma levada. Carlos Henrique fez o sexto para Portugal, mas o Atlântico virou com Marcelo e Pablo. Carlos Henrique empatou novamente e Duka virou para 8 x 7. Portugal ainda ampliou para 9 x 7 com Henrique. O Atlântico correu atrás e em grande estilo chegou a nova virada. Allif marcou duas vezes e Jadson fez o 10 x 9. Portugal perdeu Duka expulso e parecia fadado a perder pois o jogo entrava no minuto final. A 30seg do final, Adriano bateu e Pablo cortou com o braço dentro da área. Pênalti. Adriano bateu e empatou o jogo em 10 x 10. Adriano ainda foi expulso antes do jogo acabar num empate de 20 gols.
O CFL 2019 é patrocinado por, Movilcor, CFC Santanense, Gato e Sapato e Zapatodos, CHS – Centro Hospitalar Santanense, Unimed Fronteira, Posto Larratea, Uniagro / Erva Mate Charme, Provedor A Plateia, Transportes Thomaz, Casa dos Troféus e apoiado por, Óptica Foco, ML 3 Football e Comdica-Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente.

Página 9 de 350
Topo