Gisnei

Gisnei

No Dia Internacional do Câncer na Infância, lembrado neste sábado  (15), o alerta do Instituto Nacional de Câncer (Inca) é para os sinais e sintomas persistentes em crianças e adolescentes, mesmo aqueles que indicam para doenças comuns. De acordo com a chefe da Seção de Oncologia Pediátrica do Inca, Sima Ferman, alguns estudos indicam que mais de três idas ao médico com o mesmo sintoma é uma situação que merece atenção especial.

Os sinais do câncer pediátrico, muitas vezes, são parecidos com os de doenças comuns entre crianças e adolescentes, por isso o diagnóstico é um grande desafio, segundo a especialista. “Não significa que qualquer sinal e sintoma é câncer, mas toda criança precisa ser acompanhada pelo pediatra regularmente, toda queixa da criança precisa ser valorizada tanto pelos pais quanto pelos profissionais de saúde”, explicou.

Alguns sintomas são palidez, manchas roxas, dor na perna, caroços e inchaços indolores, perda de peso inexplicável, inchaço da barriga, alterações nos olhos, dor de cabeça, fadiga, tontura e sonolência. A previsão do Inca, é que em 2020 sejam registrados mais de 8,4 mil novos casos de câncer em crianças e adolescentes.

Diagnosticar precocemente é importante pois não é possível prevenir o câncer infantojuvenil. A especialista explicou à Agência Brasil que, na maioria das vezes, a doença em crianças e adolescente tem causa desconhecida. “No adulto, por exemplo, a pessoa que fuma pode desenvolver câncer de pulmão, então são fatores ambientais e de estilo de vida que muitas vezes são associados ao aparecimento do câncer. Na criança, são fatores intrínsecos do seu próprio corpo. O que nós temos, então, que fazer, para conseguir a maior chance de cura, é um diagnóstico precoce”, disse.

Tratamento especializado

O Dia Internacional do Câncer na Infância, criado em 2002 pela Childhood Cancer International, simboliza uma campanha global para conscientizar sobre o câncer infantil e expressar apoio às crianças e adolescentes e suas famílias. O foco, em 2020, é a redução de fronteiras e o aumento do acesso aos cuidados e à cura.

De acordo com Sima, além da identificação precoce da doença, a grande preocupação é para onde encaminhar os pacientes, já que a maior parte dos centros especializados em oncologia pediátrica estão no Sudeste do Brasil. Existem, atualmente, 317 unidades e centros de assistência habilitados no tratamento do câncer pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas nem todos com atendimento especializado para crianças e adolescentes.

Os tipos mais comuns de câncer infantil são leucemias (câncer dos tecidos produtores de sangue) e tumores no sistema nervoso e linfomas (câncer do sistema linfático). E o tratamento da criança é todo diferenciado. Segundo a médica do Inca, há um esforço tanto do governo quanto de organizações não governamentais de ampliar a rede de centros especializados pelo país para que o paciente não precise migrar para fazer o tratamento, que pode levar de seis meses a dois anos. “Mas isso ainda é perspectiva para o futuro”, disse.

Cura

Em todo o mundo, o câncer representa a primeira causa de morte, 8% do total, por doença entre crianças e adolescentes de 1 a 19 anos de idade. Mas com o diagnóstico precoce e o tratamento especializado, o câncer pediátrico é potencialmente curável.

Nos países de alta renda, a cura chega a 80% dos casos. “No Brasil e outros países de baixa e média rendas existe ainda uma lacuna em relação a esse percentual, principalmente porque, ainda, muitas crianças chegam ao centro de tratamento com a doença avançada”, explicou Sima Ferman. No Brasil a taxa de cura é de 65%.

Segundo ela, há muitas questões socioeconômicas que interferem no resultado do tratamento, pois impedem que o paciente cumpra as idas necessárias ao hospital. “Por essa razão, sempre pensamos que, aqui no nosso país, não é só tratar a doença em si, mas temos que dar condições para os pacientes chegarem ao hospital”, disse, citando entidades que oferecem casas de apoio como o Instituto Ronald McDonald. A assistência social também é fundamental para que o paciente consiga as ajudas possíveis por meio do governo.

A médica do Inca destaca ainda que os pais precisam estar conscientes da importância do tratamento ser feito na totalidade e precisam manter a esperança que o seu filho vai ficar bem. “O câncer hoje em dia não é uma doença que a gente deve temer, mas sim é uma doença que é uma sinônimo de luta pela vida”, disse.

“As crianças são surpreendentes. Muitas vezes os pais querem proteger seus filhos, quando, na verdade, eles dão muita força para seus pais”.

Edição: Fernando Fraga

Por Andreia Verdélio - Repórter da Agência Brasil - Brasília

Tricolor vence o Internacional no clássico 423 e se classifica à final do primeiro turno do Gauchão. Equipe levada a campo teve   proposta mais ofensiva, com   ataque puxado por Alisson, Everton e Diego Souza e um meio campo com maior contenção com três  volantes, Bruno Cortez, Maicon e o garoto Matheus Henrique, que retornou essa semana da vitoriosa seleção olímpica Sub-23.  Partida única para avançar na conquista da Taça Coronel Ewaldo Poeta ocorreu na tarde dessa sábado no  Estádio Beira-Rio, em  momentos de alta intensidade e de muita marcação.

Primeiro tempo teve  três  paradas técnicas, muita instrução do técnico gremista, anulação de dois gols gremistas e expulsão de volante adversário pendurado, por puxar camisa do atacante  Diego Souza.  Equipe gremista manteve boa posse de bola e passes curtos trabalhados no campo de defesa colorada, mas sem efetividade para conversão em gols válidos.

Segundo tempo foi ainda mais acelerado, com muito desarme, saída no contra-ataque, além da estreia de Caio Henrique nos minutos finais da partida. Nos acréscimos do segundo tempo,  Diego Souza abriu o placar, decretando a vitória e classificação do Grêmio à  final do primeiro turno, num cabeceio direto para  o fundo da rede colorada.

Grêmio irá conhecer o adversário da final neste domingo, após partida entre Caxias e Ypiranga. 

Primeiro Tempo

A primeira chance para o Tricolor aos 3’, Everton deixa Alisson na cara do gol, mas o zagueiro Cuesto acabou afastando a bola

Aos 7’, numa  segunda  chance de gol para o Grêmio, Alisson toca para Diego Souza, que acaba chutando  para fora.

Aos 18’, surge a primeira falta a  favor do Grêmio, com Rodinei encima do Everton;  Grêmio bate rápido a falta, Ferraz recebe na direita e cruza na segunda trave, mas o lateral colorado afasta pra fora;

Aos 38’, quando  finalmente Grêmio pareceu  abrir  vantagem com jogada construída por Diego Souza,  Jean Pierre Lima anulou  depois de consultar o VAR por impedimento do atacante no início do passe para Cebolinha

Dez minutos depois, mais um gol anulado pelo árbitro da partida: David Braz toca para Cortez, que  recua bola para   Everton que marca o gol. Mas Jean Pierre  marcou impedimento do lateral gremista

Jogo foi até os 51’, com empate de 0x0.

 

Segundo Tempo

 

Segundo tempo começa eletrizante já nos primeiros segundos de jogo com falta de Maicon sobre o atacante Guerrero. Sobrou cartão amarelo para o capitão

Aos 6’, Alisson pela  esquerda  e bate colocado, mas  Marcelo Lomba acaba defendendo

Em seguida, Grêmio realiza sua primeira troca, substituindo Maicon que recebeu cartão amarelo, por Thiago Neves, apostando em maior ofensividade no meio-campo gremista

Aos 16’,Victor Ferraz aparece livre na direita e cruza  para Thiago Neves que cabeceia a  bola raspando a trave. Jogo segue empatado em 0x0

Grêmio avança procurando infiltração pelo  meio campo  e nas laterais da equipe colorada que se fecha, mantendo jogo no empate sem gols

Nos minutos finais, Caio Henrique estreia em campo

Aos 43’, Grêmio parte para o contra-ataque com dois a mais, mas Pepê não consegue finalizar

Até que, aos 46’,  Diego Souza num cabeceio fulminante, estufa  o fundo das redes do goleiro Marcelo Lomba

Jogo encerra aos 51’ com o Grêmio na  final do primeiro turno do Gauchão

 

Foto:Lucas Uebel

 A Secretaria Municipal de Educação lançou oficialmente na manhã desta quarta-feira (12), o Calendário Escolar do Ano Letivo 2020. A solenidade foi raelizada nas dependências do Clube Caixeiral com a presença dos professores e colaboradores das escolas.
A prefeita Mari Machado junto com a secretária de educação Gislaine Greselle, e de mais autoridades anunciaram boas novas para a educação local. O evento contou com uma palestra da professora Alicéia Ceciliano.  , supervisora da Secretária Municipal de Educação e Desporto de Pelotas, e coordenadora do programa ACT- para educar crianças em ambientes seguros. Ficou definido que as aulas da educação infantil começam nesta quinta-feira dia 13/02/2020 para as escolas infantis, e dia 02/03/2020 para o ensino fundamental.
 
ACT
O programa é uma das apostas do Pacto para reduzir os índices criminais investindo na prevenção da violência. Neste caso, ele volta-se à capacitação de pais, mães e cuidadores, valorizando os bons exemplos e impactando no fortalecimento de vínculos familiares. Técnicas para os cuidadores controlarem a raiva; as consequências do uso excessivo de meios eletrônicos para as crianças; e estilos parentais (como eram os pais que tiveram e quais desejam ser para os filhos) são alguns dos temas abordados nos encontros com as famílias.

 

Foto: Assessoria de Comunicação Social || Fonte: Assessoria de Comunicação Social

No último sábado, 08, aconteceu a primeira reunião preparatória para as Assembleias de 2020. O evento ocorreu no auditório da Superintendência da Sicredi Pampa Gaúcho e contou com a presença dos coordenadores de núcleos e diretoria.

O objetivo da reunião foi apresentar em primeira mão os números da cooperativa e, também discutir as propostas que serão levadas para votação dos associados nas Assembleias de 2020. Na oportunidade, os coordenadores sugeriram para a diretoria uma nova proposta que será estudada e, posteriormente levada para votação nas Assembleias.

A Sicredi Pampa Gaúcho preza pela responsabilidade e transparência ao explanar para o quadro associativo os resultados obtidos pela cooperativa. As Assembleias ocorreram no mês de março, nos munícipios de Manoel Viana, Quaraí, Alegrete, Rosário do Sul, São Gabriel, Cacequi, Santana do Livramento, Itaqui, Uruguaiana e Maçambará, sendo este o principal momento de os associados decidirem os rumos da cooperativa.

Émilly Pons

Analista de Comunicação e Marketing

Superintendência Regional – Alegrete/RS

CLASSIFICADOS! O Inter recebeu, na noite desta terça-feira (11/02), a Universidad de Chile, em confronto que finalizou a segunda fase preliminar da Libertadores. Iniciado às 19h15, o duelo, acompanhado por mais de 41 mil pessoas, foi encerrado com vitória do Clube do Povo pelo placar de 2 a 0, gols de Boschilia e Marcos Guilherme. Com o triunfo, o Colorado avança para a terceira fase preliminar do mais prestigiado torneio do continente, última antes dos grupos. O adversário nesta sairá do vencedor de embate entre Macará e Tolima. 

O Clube do Povo iniciou a partida em ritmo intenso, encurralando os chilenos em seu campo de defesa e não permitindo respiro algum aos visitantes. Antes de serem completados 10 minutos, já eram quatro as boas oportunidades do Colorado, que esbarrou tanto em defesas do goleiro Campos, quanto da zaga - que inclusive chegou a usar a mão, com Moya, em penalidade ignorada pela arbitragem. Para responder, a Universidad abusou da cera e das faltas, assim reduzindo a velocidade ao longo da segunda metade da etapa inicial. Atento e ofensivo, contudo, o Inter não se deixou levar pelo antijogo andino e, decidido a abrir o placar antes do intervalo, conseguiu, após pressão na saída de bola rival, recuperar a posse na intermediária com Boschilia e, dos pés do camisa 21, abrir o placar aos 42. Tento importantíssimo, único marcado no duelo no momento da descida das equipes para o vestiário. 

Apesar da vantagem no placar, o Inter retornou a campo na etapa final disposto a ampliar a diferença no escore. Para tanto, reeditou, nos primeiros 10 minutos, o roteiro do primeiro tempo, criando grandes oportunidades em sequência. Dono da posse, o Colorado, com a entrada de Marcos Guilherme na vaga de D'Alessandro, permitiu-se ao luxo de explorar os espaços que o desesperado time chileno deixava em sua defesa. Exatamente de um destes, aos 30 minutos partiu o camisa 23, que, após deixar dois marcadores no chão, estufou as redes visitantes e garantiu o segundo e último tento alvirrubro no duelo.

O Clube do Povo volta a campo em partida da Libertadores no próximo meio de semana, quando abre, fora de casa, o duelo por vaga nos grupos do torneio. Antes disso, no próximo sábado (15/02) o Beira-Rio será palco de Gre-Nal, confronto único da semifinal do primeiro turno do Gauchão. O clásico já conta com serviço de jogo aberto e Check-In liberado. Confira mais informações aqui! Vamo, Inter!

Confira os melhores momentos do confronto:

Primeiro tempo:

1min - UHHHHHHHHHHHHHHHH!! Grande trama do ataque colorado. D'Alessandro se apresenta na intermediária, recebe e abre na esquerda para Moisés, que tem espaço para progredir. O camisa 6 vai ao fundo e cruza buscando Edenilson, na segunda trave. Antes dele a zaga consegue o corte, mas parcial, que encontra o pé do camisa 10 alvirrubro na altura da intermediária. Ele ajeita para a canhota e solta a bomba, milagrosamente defendida. Pressiona o Inter, empurrado por um Gigante em polvorosa!

4min - Inter roda a bola com paciência. D'Alessandro vai se movimentando muito, sempre se juntando ao meio e lateral do lado em que a bola está para gerar triangulações. Colorado vai encurralando a equipe visitante.

7min - SAAAAAAALVA MOYA! Musto dá lindo lançamento para Moisés, que surge livre nas costas da marcação. O lateral se projeta, domina e busca o cruzamento na segunda trave, onde aparecia, livre, Edenilson. Moya, providencial, corta.

8min - NADA? D'Alessandro, mágico, serve Patrick tirando dois marcadores do lance. O Pantera vai ao fundo e cruza aberto. Edenilson escora para a confusão, mas ela explode na mão do marcador. Árbitro deixou seguir.

9min - UHHHHHHHHHHHHH! SÓ O INTER JOGA! Patrick e D'Alessandro reeditam a dobradinha, agora com virada de jogo perfeita do Pantera. O argentino devolve com o camisa 14, que abre em Moisés. Travado, o cruzamento do lateral sobra para Cuesta, que invade a área, corta a marcação e solta a bomba. Rasteira, a bola tira tinta da trave esquerda chilena.

13min - Com dores, Patrick precisa deixar o campo. Em seu lugar, entra Boschilia.

14min - UHHHHHHHHHHHHH! ELE ACABOU DE ENTRAR E JÁ APRONTOU! Boschilia vai ao fundo e, ao lado da área, pela esquerda, cruza rasteiro. Guerrero invade a área em velocidade e tenta de carrinho, mas Del Pino Magno consegue desviar o chute pela linha de fundo. Escanteio!

16min - MAIS DUAS, ENTREGA OS TACOS! Lindoso cruza da intermediária bola venenosa. Matías Rodríguez tenta afastar, mas manda de rosca, para trás. Novo escanteio para o Clube do Povo!

20min - Por incrível que pareça, transcorridos apenas 20 minutos de jogo já é grande a cera chilena. Cada bola parada em vantagem da equipe visitante tem sua cobrança postergada até o último segundo possível.

21min - QUAAAAAAAAAAAAAASE! Guerrero recebe de Cuesta de frente para a grande área, finge o chute com a direita, corta para fora e solta a bomba de canhota. Campos tenta agarrar, mas ela escapa e, por centímetros, Boschilia não consegue o rebote.

29min - OPA! Matías Rodríguez chega com muita força em Moisés, sem bola. Juiz apita a falta e apresenta o cartão, primeiro da noite.

31min - É na base da cera e da pancada... La U insiste em faltas fortes. Agora, quem sofre é Rodinei, aberto na direita, derrubado por um tostão de Beausejour. Desta vez, árbitro apenas indicou a infração.

37min - D'Alessandro tabela com Edenilson na direita, leva a bola ao fundo e cruza de direita. Beausejour desvia e a bola sai perigosamente em escanteio para o Inter.

37min - UHHHHHHHHHH! Rodinei recebe cobrança curta de D'Ale e cruza muito bem, entre a pequena área e a marca do pênalti. Lindoso sobe mais alto do que todo o resto e desvia. A bola raspa no poste direito de Campos!

40min - É grande (até demais) a tolerância do árbitro com o goleiro Campos, que toma quase um minuto de jogo a cada tiro de meta ou reposição.

42min - GOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL DO INTER! É DO CLUBE DO POVO, DO COLORADO, ALEGRIA DO NOSSO CORAÇÃO! BOSCHILIA! BOSCHILIA! BOSCHILIA! Camisa 21 esbanja estrela. Marcando pressão, o meio-campista toma a bola de Carrasco, dispara em velocidade, invade a área e chuta colocado, rasteiro, deslocando o goleiro Campos. Estamos na frente!

43min - EXPLODE O BEIRA-RIO COM O GOL! DALE DALE EÔ, COLORADO EU SOU...

45min - Mais dois. Vamos a 47. A cera chilena consumiu muito mais tempo do que isso, vale registrar.

47min - Encerrada a primeira etapa!

Segundo tempo:

0min - Universidad volta com duas trocas. Cornejo e Henríquez deixam o campo para as entradas de Espinoza e Lobos, respectivamente.

1min - UHHHHHH! Lindoso abre o jogo com Boschilia, que deixa para Moisés. O lateral deixa a marcação comendo poeira, chega às cercanias da área e cruza rasteiro, buscando Guerrero. Antes do peruano, a zaga consegue o corte, providencial.

4min - Rodinei leva o amarelo por falta em Aránguiz.

6min - NÃO ENTROOOOOOOOOOOOU?! Edenilson dá lançamento cinematográfico para Guerrero, nas costas da marcação. O camisa 9 domina colocando na frente, mas ela escapa um pouco, obrigando-o a fintar o goleiro, que já pressionava o chute. O peruano deixa Campos no chão, enquadra o corpo e rola para D'Alessandro. Antes do camisa 10, que teria gol aberto a sua frente, a zaga consegue desvio providencial!

8min - D'Alessandro reclama pênalti no lance anterior e é punido com amarelo, assim como Carrasco, que tentou intimidar o camisa 10 colorado.

12min - MOLEDÃO! Aránguiz vai ao fundo, pela direita, e cruza bola fechada. Camisa 4 colorado voa lá no alto para afastar o perigo.

13min - LOMBA! Larrivey sai de frente para o goleiro colorado e tenta chute rasteiro, buscando o canto oposto do arqueiro, que, como se jogasse salão, defende com o pé. Na sequência, arbitragem indica impedimento na origem da jogada.

16min - Muda o Inter. Sai D'Alessandro, entra Marcos Guilherme.

19min - SAAAAAALVA A ZAGA! Inter roda a bola com muita tranquilidade. Boschilia recebe de Rodinei, na direita, e aciona Lindoso, por dentro. O meio-campista deixa para Cuesta, que inverte grande bola com Moisés. Do lateral ela chega em Marcos Guilherme, que cruza rasteiro. Providencial o bloqueio da defesa!

20min - A DUPLA ESTÁ AFIADA! Moisés lança Marcos Guilherme, que dispara em velocidade e, já na altura da grande área, devolve no lateral. Ele domina com a canhota e solta o chute de direita, que Campos encaixa no centro do gol.

21min - NADA? Guerrero dá uma meia-lua no marcador logo no domínio de lançamento vindo da defesa. É puxado, mas a arbitragem ignora.

22min - Agora, Beausejour chega atrasado e pega o calcanhar de Edenilson. A falta é marcada, mas o cartão segue guardado.

24min - EL PATRÓN! Beausejour vai ao fundo e cruza da esquerda. Cuesta, mesmo tendo passado do tempo da bola, estica-se todo e, em uma espécie de peixinho ao contrário, afasta o perigo.

29min - CAAAAMPOS! Rodinei cobra o lateral buscando Guerrero, que domina, ganha da marcação no corpo e estica em Marcos Guilherme. O camisa 23 domina, puxa para dentro e manda colocado, de direita. Goleiro chileno se estica todo para defender, sem rebote.

30min - GOLAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAÇO! PINTURA, UMA OBRA DE ARTE, DO INTER, DO CLUBE DO POOOOOVO! MARCOS GUILHERME, O RELÂMPAGO MARQUINHOS É O NOME DA FERA! Camisa 23 dispara em grande velocidade pela direita, recebe lançamento de Moisés, deixa a marcação para trás, invade a área, corta o zagueiro que chegava em carrinho descarrilhado, dribla o goleiro, que também fica no chão, conduz e solta bomba que morre no ângulo da meta chilena. Inter 2 a 0! O Clube do Povo vai passando de fase! é o Coloraaado!

31min - Musto é amarelado.

34min - UHHHHHHHHHHH! Guerrero aciona o relâmpago Marcos Guilherme, que dispara em muita velocidade e só não empurra para as redes pois Campos deixa a área e afasta de carrinho.

35min - VIROU LÍBERO! Ataque colorado em altíssima velocidade. Agora, Cuesta lança Boschilia, que não domina pois Campos, novamente, abandona a área e corta de qualquer maneira.

36min - Cartão amarelo para Guerrero, por reclamação.

37min - Última troca dos visitantes: vem Zacaría, sai Aránguiz.

38min - Cartão para Moya.

39min - No Inter, sai Musto, entra Johnny.

45min - Vamos a 49. Mais quatro!

47min - UHHHH! Inter dispara em velocidade. Boschilia aciona Marcos Guilherme e, dele, a bola chega em Moisés. Forte demais, contudo, o passe não é dominado pelo lateral, e fica com a defesa chilena.

49min - ENCERRADA A PARTIDA! VITÓRIA COLORADA, CLASSIFICAÇÃO DO CLUBE DO POVO! VAMO, INTER!

 

Internacional (2): Marcelo Lomba; Rodinei, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Moisés; Musto (Johnny); Edenilson, Rodrigo Lindoso e Patrick (Boschilia); D'Alessandro (Marcos Guilherme) e Guerrero. Técnico: Eduardo Coudet.

Universidad de Chile (0): Cristóbal Campos; Matías Rodríguez, Carrasco, Del Pino Mago e Beausejour; Cornejo (Espinoza), Moya, Galani e Aránguiz (Zacaría); Larrivey e Henríquez (Lobos). Técnico: Hernán Caputo.

Gols: Boschilia, aos 42 minutos do primeiro tempo, e Marcos Guilherme, aos 30 minutos do segundo tempo (I).

Cartões amarelos: Rodinei, Musto, Guerrero e D'Alessandro (I). Carrasco, Moya e Matías Rodríguez (U).

Arbitragem: Esteban Ostojich, auxiliado por Carlos Barreiro e Horacio Ferreiro. Trio uruguaio.

Local: Beira-Rio.

Público: 41.864. Pagantes: 38.972. Menores: 1.759. Não pagantes: 1.133.

Renda: R$ 1.794.150,00

Fonte: www.tvcidade10.com.br

A prefeita Mari Machado reencaminhou, durante sua agenda em Brasília, na sexta-feira (07), um pedido de municipalização da Av. João Goulart ao DNIT.  A BR como é conhecido o trecho que liga a 158, deverá retornar ao município. “Juntamente com o Renato, assessor do senador Luis Carlos Heinze, estive tratando da municipalização da Av. João Goulart que já tem parecer favorável desde 2018, mas que não teve nenhum encaminhamento necessário a concretização da devolução da área federal ao município, procedimentos que agora serão efetivados pelo nosso governo”. 
 
Outro tema tratado em sua agenda foi o projeto da Travessia Urbana e da regularização das casas localizadas junto à linha férrea.
 
Já na área de Saúde, foram tratados assuntos relativos à saúde básica do município, mais especificamente sobre o CAPS II E CAPS infantil, junto ao Ministério da Saúde. “Fomos recebidos pelo santanense Djadha, pela técnica Luciana e pela Dra. Maria Dilma, da Saúde Mental. Na oportunidade falamos sobre os avanços que podemos realizar na saúde básica do município, bem como sobre o CAPS II E CAPS infantil, que o nosso município já tem capacidade para implantar”. 
 
No Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, Mari tratou da implantação de um ambiente de inovação em Livramento, em parceria com as universidades e o setor empresarial.  “Recebi uma publicação que conta a história da instalação de mais de 100 polos tecnológicos no Brasil, tendo iniciado com o Porto Digital, em Pernambuco, que hoje gera mais de 7 mil empregos. Acredito que esta é uma área que pode gerar oportunidades ao jovem santanense e uma expectativa melhor de futuro”, concluiu a prefeita.

 

 Foto: Assessoria de Comunicação Social || Fonte: Assessoria de Comunicação Social

Em mais um dia de oscilações no câmbio, o dólar subiu novamente e voltou a fechar no maior valor nominal desde a criação do real. Nesta terça-feira (11), o dólar comercial encerrou a sessão vendido a R$ 4,326, com alta de R$ 0,006 (+0,13%).

A divisa, que tinha caído ontem, começou o dia em baixa, mas inverteu a tendência e passou a subir a partir do início da tarde. Na máxima do dia, por volta das 15h30, a cotação chegou a R$ 4,338. Desde o começo do ano, o dólar acumula valorização de 7,81%.

O Banco Central (BC) não tomou novas medidas para segurar a cotação. Hoje, a autoridade monetária leiloou US$ 650 milhões para rolar (renovar) contratos de swap cambial – que equivalem à venda de dólares no mercado futuro – com vencimento em abril. O leilão faz parte da rolagem de US$ 13 bilhões de swap que venceriam daqui a dois meses.

2019-07-25t164242z_34313157_rc1a3f215400_rtrmadp_3_emerging-markets-latam
A bolsa de valores teve uma forte alta de 2,49% e alcançou 115,370 pontos  - REUTERS/Amanda Perobelli/Direitos Reservados

No mercado de ações, o dia foi marcado pela recuperação. Depois três sessões seguidas de queda, o índice Ibovespa, da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), que ontem tinha fechado no menor nível em quase dois meses, voltou a subir. O indicador encerrou esta terça-feira aos 115.370 pontos, com forte alta de 2,49%.

Nos últimos dias, o dólar subiu em nível global, principalmente diante das moedas de países emergentes, depois da divulgação da geração de emprego em janeiro nos Estados Unidos. No mês passado, a maior economia do planeta criou 225 mil vagas de trabalho, número superior à previsão de 158 mil novos postos.

O bom desempenho do mercado de trabalho norte-americano abre espaço para eventuais aumentos de juros pelo Federal Reserve (FED), banco central dos Estados Unidos. Taxas mais altas em economias avançadas estimulam a fuga de capitais de países emergentes, como o Brasil.

Na China, o receio de que o surto de coronavírus traga impactos para a segunda maior economia do planeta continua a afetar o mercado financeiro. O confinamento dos habitantes de diversas cidades afetadas pela doença reduz a produção e o consumo da China. No entanto, o anúncio de um caso de cura em um britânico animou as bolsas de valores em todo o planeta, por causa da perspectiva de que o impacto sobre a economia global seja menor que o esperado.

Entre os fatores domésticos que têm provocado a valorização do dólar, está a decisão recente do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central de reduzir a taxa Selic – juros básicos – para 4,25% ao ano, o menor nível da história. Juros mais baixos desestimulam a entrada de capitais estrangeiros no Brasil, também puxando a cotação para cima.

 
*Com informações da PBS, emissora pública de televisão norte-americana

Edição: Fábio Massalli

Por Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil *

A simplificação das normas de saúde e segurança do trabalho na construção civil resultará em economia de R$ 470 milhões por ano para as empresas do setor, informou a Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia. A revisão da Norma Regulamentadora 18 (NR 18) foi anunciada ontem (10) pela Secretaria de Trabalho e Emprego da pasta.

Segundo a secretaria, a projeção leva em conta o cenário intermediário, considerado o mais provável. A redução anual de custos ficará entre R$ 280 milhões, no cenário mais conservador, e R$ 700 milhões, no mais otimista. As estimativas foram realizadas com base em informações da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e da Pesquisa Anual da Indústria da Construção (PAIC) de 2017.

De acordo com os cálculos, a desburocratização da NR 18 reduzirá em 33% o custo do treinamento básico de segurança, por causa da redução da carga horária de seis para quatro horas. O orçamento das construtoras para saúde, segurança e meio ambiente no trabalho deverá cair em 5% ou 10%, dependendo da atividade. Atualmente, cerca de 3% do valor total das incorporações correspondem a essa rubrica.

Desburocratização

A principal mudança da NR 18 diz respeito à autonomia das empresas para executar as normas de segurança e saúde no trabalho. Antes, a norma descrevia exatamente como seria a estratégia de prevenção de acidentes. Segundo as construtoras, as regras engessavam a tarefa e inibiam o uso de novas tecnologias mais seguras que os equipamentos tradicionais.

Pela nova norma, as construtoras terão de elaborar um programa de gerenciamento de riscos. Para obras com mais de 7 metros de altura e 10 trabalhadores, as normas de prevenção terão de ser assinadas por um engenheiro responsável. Em empreendimentos menores, um técnico em segurança no trabalho pode elaborar as normas.

O programa será único, devendo considerar os riscos de todos os trabalhadores envolvidos na obra. Nas regras antigas, cada empresa que trabalhasse em uma obra precisava elaborar seu próprio plano de segurança, que nem sempre harmonizava com os demais. Embora a obrigação do programa de gerenciamento de riscos caiba às construtoras, os fornecedores terão de produzir um inventário de riscos de atividades para poder entrar no programa.

Segurança

As empresas terão 24 meses para abolir o uso do tubulão com ar comprimido, tarefa considerada de alto risco. As escavações manuais ficarão limitadas a 15 metros de profundidade.

Também se torna obrigatória a climatização em máquinas autopropelidas (com movimento próprio) com mais de 4,5 mil quilogramas e em equipamentos de guindaste. As empresas não poderão adaptar contêineres para áreas de vivência dos trabalhadores, como refeitórios, vestiários ou escritórios de obras. A norma traz novas regras mais seguras para a execução de escavações e para tarefas que envolvem calor, como soldagem e esmerilhamento.

Mais empregos

No evento de lançamento da Norma Regulamentadora 18, ontem (10) em São Paulo, o secretário de Trabalho e Emprego do Ministério da Economia, Bruno Dalcomo, disse que a nova norma é mais simples, objetiva e mais fácil de ser fiscalizada pelas autoridades. “No momento em que a construção civil vem liderando essa retomada do crescimento econômico, é preciso que nós tenhamos normas que, por um lado, sejam mais simples, mais desburocratizadas, mas que, ao mesmo tempo, garantam a saúde e a segurança do trabalhador”, declarou.

Para o presidente da CBIC, José Carlos Martins, a desburocratização aumenta a rapidez nas obras. “A NR 18 agora diz o que deve ser feito, não como deve ser feito. Ou seja, a responsabilidade é do construtor, das pessoas que vão cuidar da saúde e da segurança do trabalho”, disse.

*Colaborou Fernanda Cruz, de São Paulo

Edição: Nádia Franco

Por Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil* 

A claudicação intermitente – ato de mancar – é muito comum entre as pessoas que sofrem com a Doença Arterial Obstrutiva Periférica (DAOP). Em geral, as crises ocorrem durante a prática de exercícios físicos. O paciente sente uma dor parecida com a cãibra, o que acaba gerando grande incômodo na execução dos movimentos.

A DAOP é uma obstrução das artérias da perna, que dificulta a passagem sanguínea, da forma correta, pelo membro. Isso impede que o corpo envie oxigênio para os músculos e pode causar, além da dor, gangrena e úlceras nos locais afetados.

O angiologista e presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV), Bruno Naves, explica que a DAOP nada mais é o que a falta de circulação na perna. “O fator mais importante para que isso aconteça chama-se tabagismo, que vai deteriorando os vasos arteriais. Associado ao cigarro tem a vida sedentária, o colesterol alto, o stress, isso tudo vai deteriorando a parede da artéria, e essa parede vai acumulando gordura e dificultando a chegada de sangue”.

Naves explica que a manifestação maior aparece ao andar. “Para andar o músculo precisa de sangue, de nutrição e oxigênio, com a doença não chega da forma adequada e o corpo sinaliza com dor: a pessoa anda, dói, ela para e melhora, anda de novo, dói, para e melhora. A gente chama isso de claudicação intermitente. Essa dor é uma sinalização que está faltando circulação no músculo, aí a pessoa não consegue andar”.

Exercícios

O administrador aposentado Armado Camillo, de 73 anos, convive com a doença há cerca de 20 anos. Ele contou que no caso dele são determinadas artérias que estão entupidas, com gordura calcificada, e o problema é decorrente do tabagismo, embora já tenha abandonado o vício há 18 anos.

“Quando faço algum esforço, sinto uma fadiga extremamente dolorosa na barriga, que às vezes me impedem inclusive de andar, tenho que parar, esperar um pouco, depois continuar. E uma das soluções é justamente o andar, e o andar provoca a dor, então é um círculo que a gente tem que ficar administrando. Como a doença é progressiva, o andar é a alternativa para que não progrida ainda mais”.

Além das caminhadas, ele faz hidroginástica e exercícios na bicicleta ergométrica. “Estou numa situação estável há quatro anos, isso decorrente dessas atividades que pratico, mas por sofrer da doença aconselho aos jovens, não fume. Vejo a moçada com sua vida de fumante e a gente que foi fumante vê como é perigoso esse hábito maléfico”, recomenda Camillo. 

Cãibras

Segundo o angiologista, a cãibra pode ser também uma manifestação da falta de circulação. “O músculo, às vezes, por falta de irrigação, contrai e causa dor e pode também ser por deficiência de magnésio. O solo do Brasil é pobre em magnésio, mesmo comendo as verduras verde escuras, que são fonte de magnésio, nem sempre é o suficiente para manter esse mineral na quantidade ideal para o nosso corpo. A gente tem que fazer o diagnóstico diferencial para saber se a cãibra é por falta de algum mineral ou se é por falta de circulação”, alertou.  

Para quem sofre com a falta do mineral, é feita a reposição por meio de medicamento. No caso da pessoa com a doença arterial periférica quando está no estágio inicial, o tratamento é motivar o paciente a andar. “Toda vez que ele anda e sente dor, o cérebro recebe uma mensagem assim: ‘olha, não estou dando conta de jogar sangue o suficiente lá na perna, tenho que me virar’. E o nosso organismo é fantástico, ele consegue criar uma circulação colateral que é novinha, fininha, essa circulação colateral consegue refazer a circulação jogar a quantidade necessária de oxigênio novamente, mas para isso acontecer tem que ter motivo”, descreveu Naves.

Ele explica que para todo paciente que tem sintoma de claudicação, e sente dor ao andar, o tratamento é justamente andar. “No começo ele vai andar 100 metros, depois 200m. Quando ele perceber está andando 1km, porque o próprio organismo vai fazer essa melhora. É claro, a melhora acontece aliada à cessação total do tabagismo, controle muito vigoroso do colesterol e da glicose, se ele for diabético, e se estiver obeso, também deve diminuir o peso melhor, porque ele vai andar com mais facilidade”, recomenda o médico.

 

Edição: Nélio de Andrade
 
Por Ludmilla Souza - Repórter da Agência Brasil

Oito cooperativas de pequenos agricultores e duas empresas brasileiras participam da maior feira de produtos orgânicos do planeta – a Biofach 2020, que acontece em Nuremberg, na Alemanha, entre os dias 12 e 15 de fevereiro. 

O Brasil está levando frutos típicos beneficiados e produtos processados da lavoura e do extrativismo como cacau em amêndoas, café orgânico, extratos e polpas de açaí, acerola em pó, caroço de bacuri, fruta seca de cupuaçu e de jambo, geleia orgânica de umbu, guaraná em pó, mel em bisnaga, além de cachaça e cerveja do tipo saison. 

Metade dos expositores brasileiros que vão à Alemanha são da Região Norte (quatro do Pará e um de Rondônia), dois são de Minas Gerais, um da Bahia, um do Piauí e um do Rio Grande do Sul. 

Os expositores foram escolhidos entre 18 inscritos após edital publicado pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil). 

Valor agregado

A feira pode abrir portas para produtos com valor agregado e maior de apelo social. “O mercado [internacional] demanda produtos diferenciados. Alguns nichos valorizam muito produtos com determinadas certificações”, assinala o secretario de Agricultura Familiar e Cooperativismo do Mapa Fernando Henrique Kohlmann Schwanke. 

Segundo ele, a produção orgânica é “uma vertente importante para a agricultura familiar e pequenos agricultores, que acabam em pequena produção agregando bastante valor dos seus produtos através da garantia dessas certificações para o consumidor“.

A agricultura orgânica não utiliza agrotóxicos e nem outros insumos químicos, produtos que podem favorecer o controle de pragas e aumentar a produtividade. A ausência desses componentes é diferencial para alguns consumidores, explica Schwanke. “Tem demanda de mercado por orgânicos que remunera melhor esses produtos. Muitas vezes a produtividade [mais baixa] acaba se compensando pelo preço pago lá na ponta.”

Sete de cada dez trabalhadores agrícolas no Brasil são empregados pela agricultura familiar, um total de 4,5 milhões de famílias campesinas. A produção é especializada em hortifrutigranjeiros.

Edição: Aline Leal
 
Por Gilberto Costa – Repórter da Agência Brasil 
 
 
Rovena Rosa/Agência Brasil
Página 1 de 401
Topo