Gisnei

Gisnei

Em menos de um ano, o Brasil registrou 1.157 casos de febre amarela e 342 mortes decorrentes da doença. Os números são do Ministério da Saúde e contabilizam os registros feitos entre os dias 1º julho de 2017 e 17 de abril deste ano. No mesmo período do ano passado, foram 733 casos e 241 mortes confirmados. Os números apontam um crescimento de 41,9% no número de mortes e 57% no total de casos.

Os estados com maior número de notificações no período são: São Paulo (2.558), Minas Gerais (1.444), Rio de Janeiro (453) e Paraná (110). Quanto aos óbitos, praticamente todos estão concentrados em Minas Gerais (156), São Paulo (120) e Rio de Janeiro (64), à exceção de uma morte ocorrida no Distrito Federal e outra no Espírito Santo.

Segundo o Ministério da Saúde, a preocupação em relação à doença decorre não só do aumento do número de registros em relação ao ano passado, mas devido ao fato do vírus estar circulando em regiões metropolitanas com maior contingente populacional, o que pode gerar mais infecções, inclusive em áreas que nunca tiveram recomendação de vacina.

Sintomas e prevenção

A febre amarela é uma doença viral que causa dores no corpo, mal-estar, náuseas, vômitos e, principalmente, febre. Os sintomas duram em média três dias. Em alguns pacientes, o vírus da febre amarela ataca o fígado. São as complicações hepáticas que levam as pessoas infectadas a ficar com uma cor amarelada, daí o nome febre amarela. Segundo o Ministério da Saúde, estima-se que em torno de 30% das pessoas que contraem a doença podem morrer, se não forem diagnosticadas precocemente.

Caso tenha tais sintomas, a recomendação é a de que o paciente busque imediatamente atendimento adequado nas unidades de saúde. Já a prevenção ocorre principalmente por meio da vacinação. Desde o fim de março, o Ministério da Saúde ampliou para todo o território nacional a recomendação para a vacina contra febre amarela.

Edição: Amanda Cieglinski
 
Por Helena Martins - Repórter da Agência Brasil  Brasília

A Medida Provisória (MP) enviada pelo presidente Michel Temer alterando pontos da reforma trabalhista não foi apreciada pelo Congresso Nacional e perde sua validade na próxima segunda-feira (23). Com isso, o governo precisa buscar outra forma de manter vigentes as alterações propostas na MP e estuda a edição de um decreto.

O assunto está na Casa Civil, órgão responsável pela formulação de propostas legislativas do Executivo. A área técnica está analisando quais pontos da MP podem ser regulamentados via decreto. Está prevista uma reunião na próxima semana para tratar no assunto entre as áreas técnica, jurídica e legislativa. Segundo a assessoria da Casa Civil, não há um prazo para finalização desse texto.

A MP foi enviada ao Congresso em 14 de novembro do ano passado como parte de um acordo firmado pelo presidente Michel Temer com os senadores para que acatassem o texto da reforma aprovado na Câmara dos Deputados.

Saiba quais foram as mudanças introduzidas pela MP, que expira na próxima segunda-feira:

Gestantes

Gestantes serão afastadas do trabalho em locais com qualquer grau de insalubridade, excluído o pagamento de adicional de insalubridade. No caso de locais considerados de grau médio ou mínimo, ele poderá retornar somente se apresentar, voluntariamente, atestado de médico de confiança autorizando-a. Em grau máximo, fica impedida de exercer atividades nesses locais.

Jornada de 12 por 36 horas

Empregador e funcionários poderão estabelecer a jornada de 12 horas de trabalho com 36 horas de descanso apenas por meio de convenção coletiva ou acordo coletivo de trabalho. O acordo individual por escrito fica restrito aos profissionais e empresas do setor de saúde.

Trabalho intermitente

Estabelece o direito de aviso prévio para a modalidade de contratação.

Danos morais

O valores para indenização serão calculados com base no limite dos benefícios da Previdência Social, deixam de ser calculados pelo último salário contratual do ofendido. Ofensas à etnia, idade, nacionalidade, orientação sexual e gênero passam a fazer parte da lista de danos que podem originar pedidos de indenizações extrapatrimoniais.

Autônomo

Proíbe o contrato de exclusividade; o autônomo poderá prestar serviços para diversos contratantes e poderá recusar a realização de atividades demandadas pelo contratante. Motorista, corretor de imóvel, representante comercial e outras categorias poderão ser contratados como autônomos.

Representação

A comissão de empregados não substitui a função dos sindicatos na defesa dos interesses da categoria.

Edição: Amanda Cieglinski

Por Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil Brasília

Após trabalhar apenas na academia nesta quinta-feira, depois do retorno da viagem ao Paraguai, o plantel principal do Tricolor voltou a treinar com bola. Na manhã desta sexta, o treinador Renato Portaluppi comandou um treino técnico no gramado do CT Luiz Carvalho, visando o duelo diante do Atlético Paranaense, domingo, 19h, na Arena, válido pela segunda rodada do Brasileirão.

No trabalho de hoje, o grupo foi dividido em três times que se enfrentavam alternadamente, em campo reduzido e com apenas três toques na bola. O treino exigia raciocínio rápido, movimentação para encontrar os espaços e qualidade de passe. Durante a disputa, o lateral Madson, titular contra o Cerro Porteño, sentiu um problema no pé direito. Ele foi atendido pelo médico Márcio Dornelles e deixou o campo mais cedo.

A boa novidade foi o retorno de Luan. Fora dos últimos dois jogos, o atacante treinou normalmente e vai enfrentar o Atlético PR. Em compensação, o volante Arthur e o zagueiro Kannemann foram ausências nesta movimentação. Kannemann até apareceu no campo, mas trabalhou em separado. Arthur está gripado, e foi poupado do trabalho.

O meia Douglas, retornando de cirurgia, trabalhou forte, em separado, sob as orientações do preparador físico, Rogério Dias.


Ao término do treinamento, o técnico Renato Portaluppi concedeu entrevista coletiva. Ele projetou o jogo contra o Atlético, domingo, e analisou o sorteio da Copa do Brasil que apontou o Goiás como adversário gremista nas oitavas de final da competição.


O Grêmio volta a trabalhar na manhã deste sábado. A primeira parte do treino será fechada à imprensa. O jogo será domingo, às 19h, na Arena.

Fotos: Lucas Uebel

Em Santana do Livramento foram injetados diretamente na economia local mais de R$ 482 mil

No Sicredi, os resultados financeiros voltam para os associados, ao final de cada exercício, de acordo com a sua reciprocidade com a Cooperativa. 

Em 2017, a gestão democrática, a educação, a formação e o interesse pela comunidade, que fazem parte dos princípios do cooperativismo, movimentaram a região e geraram resultados para os associados. 

Somente no município de Santana do Livramento, foram colocados no mercado R$ 482.240,09, depositados em dinheiro diretamente em conta corrente, referentes a 30% do resultado distribuído no município, que foi R$ 1.607.466,95. A diferença foi creditada em cota capital, que permanecem no patrimônio da Cooperativa e de seus associados. 

A Sicredi Pampa Gaúcho está entre as maiores cooperativas do país. Seus recursos administrados somam mais de R$ 1,7 milhão. Os resultados gerados no último exercício e que foram destinados a fundo de reserva, FATES e em juros sobre o capital dos associados, creditados em cota capital e conta corrente, somam R$ 52,5 milhões. “Somos a instituição financeira da comunidade, e estamos preocupados com o desenvolvimento da comunidade como um todo”, destaca José Antônio Menezes, presidente da Pampa Gaúcho.

Essa distribuição dos resultados em cota capital e conta corrente aconteceu no dia 20 de abril.

 

O levantamento mensal da Embrapa Suínos e Aves apontou que em março passado o custo de produção do frango atingiu a marca dos R$2,70/kg, aumentando 4,65% em relação ao mês anterior e 11,57% em relação a março de 2017.

Na prática, o custo retornou, aproximadamente, ao valor registrado em dezembro de 2016 (R$2,71/kg), o que significa que atingiu o maior nível dos últimos 15 meses. Além disso, ficou apenas 43 centavos abaixo dos R$3,13/kg registrados em junho de 2016, mês em que o custo de produção do frango atingiu o maior valor de todos os tempos.

Traçando um paralelo entre o custo de produção (relativo a aviário com climatização positiva no estado do Paraná) e a cotação do frango vivo no mercado paulista observa-se que em junho de 2016, quando o setor enfrentou custos até então inimagináveis, o valor então apontado (R$3,13/kg) ficou 11% acima da quantia paga na ocasião pelo frango vivo (R$2,81/kg).

Pois bem: em março passado, a cotação referencial do frango vivo comercializado em São Paulo (referencial, explica-se, porque muitos negócios foram concretizados por valores inferiores) foi de pouco mais de R$2,35/kg. E isso significa que o custo atual se encontra cerca de 15% acima do preço do frango, ou seja, onera mais o produtor que há dois anos atrás.

Por: AVISITE 

Fonte: https://www.agrolink.com.br 

 

 

O Internacional não conseguiu confirmar a classificação às oitavas de final da Copa do Brasil. O time colorado fez um bom primeiro tempo contra o Vitória, em Salvador, mas acabou sofrendo um gol de pênalti na etapa final. O resultado de 1 a 0 levou a decisão da vaga para as penalidades máximas, nas quais os baianos venceram por 4 a 3. Agora, o Colorado concentra todas as suas forças na disputa do Brasileirão. No domingo (22/4), às 16h, enfrentar o Palmeiras, em São Paulo, pela segunda rodada.

O jogo

Com duas alterações em relação à equipe que estreou no Brasileirão - Nico López e Gabriel Dias nos lugares de Rossi (lesionado) e Edenilson (suspenso), o Colorado iniciou o confronto no Barradão sustentando as linhas altas no campo do adversário e criando boas chances no ataque. Aos 2min, D'Alessandro cobrou escanteio e Nico López pegou a sobra, em chute de primeira que passou por cima do travessão. Aos 10min, William Pottker entrou na área pela esquerda e tentou o gol por cobertura, mas Caíque fez a defesa parcial. No rebote, Nico López chutou rasteiro e o goleiro baiano, com os pés, evitou que a bola entrasse.

Precisando reverter o resultado do jogo de ida (derrota por 2 a 1), o Vitória tentava escapar nos contra-ataques em velocidade, mas parava na eficiente marcação do Inter. Os donos da casa conseguiram chegar com força somente aos 34min, quando Denilson concluiu, de dentro da pequena área, e a bola bateu em Rodrigo Moledo antes de sair pela linha de fundo.

A resposta colorada veio aos 37min, em chute de William Pottker, no cantinho direito, que foi defendido por Caíque. Aos 41min, Neilton bateu colocado da entrada da área e a bola saiu à esquerda do gol defendido por Marcelo Lomba. Aos 46min, o Inter teve outra boa chance de abrir o placar no chute de Nico López que raspou o travessão. 

No segundo tempo, como era de se esperar, os baianos se lançaram ao ataque. Aos 6min, Rhayner chutou cruzado e Lomba fez defesa sensacional. Aos 19min, Denilson desviou com o pé o cruzamento que veio da esquerda e acertou a trave colorada. O Inter segurou a pressão até onde conseguiu, no entanto, aos 34min, o árbitro marcou pênalti duvidoso de Iago sobre Denilson. Neilton cobrou e fez 1 a 0. Aos 40min, Camilo, que havia entrado momentos antes no lugar de D'Alessandro, bateu falta e Caíque fez boa defesa, buscando a bola no canto direito.

O resultado se manteve até o apito final e a vaga foi decidida nos pênaltis. Na primeira cobrança, Camilo deixou o Inter na frente. Denilson bateu pelo lado do Vitória e igualou a contagem. Nico López bateu a segunda cobrança e Caíque defendeu. Marcelo Lomba também defendeu o chute de Nickson e manteve a igualdade. Na sequência, Caíque defendeu a cobrança de Gabriel Dias. Uilian Correia converteu e fez 2 a 1 para o Vitória. Fabiano empatou novamente para o Inter e José Welison fez  3 a 2 para os baianos. Na quinta cobrança colorada, Patrick deixou tudo novamente igual. Porém, Neilton converteu e garantiu a vaga para o time de Salvador. Placar final dos pênaltis 4 a 3. 

Ficha técnica:

Vitória (1)(4): Caíque, Rodrigo Andrade (José Welison), Kanu, Ramon e Juninho; Willian Farias (Nickson), Uilian Correia, Yago (Guilherme Costa), Neilton e Rhayner; Denílson. Técnico: Vagner Mancini.

Internacional (0)(3): Marcelo Lomba; Fabiano, Rodrigo Moledo (Klaus), Víctor Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado, Gabriel Dias, Patrick, D'Alessandro (Camilo) e Nico López; William Pottker (Marcinho). Técnico: Odair Hellmann.

Gol: Neilton (V), de pênalti, aos 35min do segundo tempo.

Cartões amarelos: Patrick, William Pottker, D'Alessandro (I); Yago, Uilian Correia, Rhayner (V).

Arbitragem: Rafael Traci, auxiliado por Ivan Carlos Bohn e Pedro Martinelli Christino (trio do Paraná).

Local: Barradão, em Salvador.

http://www.internacional.com.br 

O Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos), vinculado à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), firmou parcerias para produzir medicamentos contra a hepatite C e o HIV. A fabricação nacional desses produtos,  considerados estratégicos para o Sistema Único de Saúde (SUS), deverá ainda gerar economia para os cofres públicos, uma vez que atualmente o país precisa adquiri-los no exterior.
 
Segundo o diretor de Farmanguinhos, Jorge Mendonça, essas parcerias fazem parte de uma política que busca fortalecer a produção nacional e absorver tecnologia para dentro do país. Para Mendonça, a iniciativa permitirá também aumentar o acesso da população ao tratamento e à prevenção de doenças.
 
"O alto custo dos medicamentos pode levar a um problema de abastecimento, e a importância de um laboratório público é justamente esta: fornecer sustentabilidade para o SUS, reduzindo o preço e mantendo a qualidade dos produtos. Estamos propondo um economia média, em cada medicamento, de algo em torno de 40% a 60% do valor atual. Ou seja, o governo gastaria aproximadamente 50% menos do que hoje com esses produtos", calculou.
 
Três dos medicamentos que serão desenvolvidos são antivirais voltados para o combate à hepatite C: Simeprevir, Daclastavir e Sofosbuvir. Este último vem contribuindo para a cura de muitos pacientes e reduzindo a demanda pelo transplante de fígado. "O Sofosbuvir é um medicamento que vem revolucionando o tratamento da hepatite C e substituindo alguns produtos antigos", disse Mendonça.
 
Farmanguinhos também produzirá o imunossupressor Everolimo, usado para evitar a rejeição de órgãos transplantados e considerado essencial em diversos casos. Em novembro do ano passado, um levantamento da Associação Brasileira de Transplantados mostrou que, em sete estados, havia falta de um dos três remédios mais usados após transplantes, entre eles o Everolimo.

PrEP
 
O quinto medicamento que será produzido em Farmanguinhos é a pílula antirretroviral baseada nas substâncias Emtricitabina e Tenofovir. Difundido no mercado sob a marca Truvada, da empresa norte-americana Gilead, o remédio é usado na profilaxia pré-exposição (PrEP) ao HIV. O Brasil foi pioneiro na América Latina ao adotá-lo como política de saúde, com sua distribuição para grupos específicos considerados chave para o combate à Aids a cargo do SUS. Nesses grupos, estão homens que fazem sexo com homens, gays, pessoas trans, profissionais do sexo e casais em que um membro é soropositivo e o outro, não.
 
A prescrição e o uso das pílulas, que deve ocorrer diariamente, depende de acompanhamento médico. Especialistas alertam que o método deve ser usado em combinação com outras medidas e que os usuários da PrEP não devem abrir mão do uso de preservativos.
 
Acordos

As parcerias envolvem tanto empresas da indústria farmacêutica como da indústria farmoquímica, que serão responsáveis pela fabricação e nacionalização do princípio ativo dos medicamentos. Os acordos têm duração de cinco anos e, nos quatro primeiros, a produção fica a cargo dos laboratórios dos parceiros. Em 2022, metade da demanda passa para as instalações de Farmanguinhos, que assumirá a produção integral ao fim dos acordos. As empresas envolvidas são Blanver, CYG, Microbiológica e Libbs.

A expectativa é que, já no segundo semestre deste ano, a produção nacional do Sofosbuvir, do Everolimo e da pílula da PrEP seja distribuída pelo SUS. O Simeprevir e Daclastavir devem estar disponíveis no ano que vem.
 
Edição: Nádia Franco
 
Por Léo Rodrigues – Repórter da Agência Brasil  Rio de Janeiro
 
 

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, disse hoje (19) que o governo deve enviar o projeto de simplificação do PIS/Cofins ao Congresso em maio. A afirmação foi feita em Washington, onde o ministro participa dos Encontros de Primavera do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial. O ministro também destacou a necessidade de apresentar um projeto para a simplificação do ICMS. Segundo ele, mesmo 2018 sendo um ano de eleição, “a relação com o Congresso é boa e são temas de interesse do país”, portanto “haverá espaço para dialogar”.

Segundo ele, mais de 80% dos litígios no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) são relacionados ao ICMS “por conta da complexidade das regras”, o que gera um custo para o setor privado do país e para a administração tributária. O ministro afirmou que o projeto para simplificação do imposto seria um “enorme passo importante na direção certa”.

Esses projetos de reforma tributária fazem parte de uma série de reformas que o ministro cita como centrais para aumentar o PIB (Produto Interno Bruto) potencial no Brasil ao longo dos próximos anos. Segundo Guardia, as expectativas do Ministério da Fazenda para o crescimento brasileiro são de 3% para este ano e o próximo, e de 2,3% a 2,4% em 2020 e 2021, se não foram levadas adiante as reformas econômicas previstas pelo governo. Se as reformas forem feitas, “o crescimento potencial da economia brasileira sai do patamar de 2,5% e vai para algo entre 3,5% a 4%”.

Os números para o crescimento brasileiro previstos pelo ministério são diferentes dos do mercado e do FMI. A previsão dos analistas no Brasil é de crescimento de 2,8% este ano, e a do FMI é de 2,3% este ano e 2,5% no ano que vem. Embora o ministro tenha dito que a “previsão poderá ser alterada ao longo do ano, se julgarmos conveniente”, ele também afirmou que “tradicionalmente, o fundo monetário tem previsões mais conservadoras do que a média do mercado”.

Reformas

Entre as principais reformas que precisam ser feitas para elevar o PIB potencial brasileiro, Guardia citou a reforma da Previdência, a reforma tributária, os projetos de concessões na área de infraestrutura e os processos de atração de investimento (como a capitalização da Eletrobras e leilões para exploração do pré-sal pela Petrobras), que seriam a prioridade para este ano.

Guardia também citou como importantes o Cadastro Positivo (com informações de clientes com histórico de bons pagadores), a duplicata eletrônica (boleto de cobrança e títulos virtuais que suprem a ausência física do título de papel) e a Lei de Recuperação Judicial (que disciplina a recuperação judicial e extrajudicial e a falência de empresários e empresas), além de proposições para aumentar a autonomia operacional do Banco Central, o que, segundo ele, traria um fortalecimento institucional importante para se ter uma redução da taxa de juros.

O ministro afirmou que a capitalização da Eletrobras é prioridade e que o ritmo desse processo dependerá do Congresso, mas também de um parecer que foi enviado ao Tribunal de Contas da União esta semana sobre a privatização das distribuidoras. Ele destacou que o processo de capitalização vai além da questão fiscal, atingindo também a necessidade de fortalecer a infraestrutura do setor elétrico no Brasil.

Edição: Augusto Queiroz

Por Paola De Orte - Correspondente da Agência Brasil  Washington

A saúde em Sant’Ana do Livramento passa a contar com mais um importante serviço: a neurocirurgia, primeira especialidade de alta complexidade da Santa Casa de Misericórdia. O anúncio aconteceu na manhã de hoje (19), na Prefeitura Municipal, durante encontro entre o prefeito Ico Charopen, o secretário de Saúde Sergio Aragon, o adjunto Jose Luis Bermann e os médicos Juan Marcos Mira e Marcelo Martins dos Reis.

“Apesar de todas as dificuldades financeiras e funcionais estamos conseguindo oferecer um serviço de alta complexidade no município”, ressaltou Aragon. Com o serviço, o município torna-se uma referência também na região, com médicos especialistas e equipamentos de qualidade.

Para Ico, o oferecimento do serviço representa uma mudança importante na saúde do município, que demonstra uma alteração do cenário atual. O Prefeito ainda destacou que a administração tem feito o possível para manter o Hospital, mas que também se faz necessário o apoio da comunidade em meio a este cenário de dificuldade.
 
 
FOTO: ÁGUIDO RICARDO/ASCOM
Página 1 de 253
Topo