Balanço das ações do Programa Sentinela é tema de reunião do Comitê Consultivo

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Mais de 22 mil bovinos vistoriados, 37.402 quilômetros de fronteira percorridos, 141 propriedades vistoriadas, 229 barreiras realizadas, 965 veículos vistoriados, 257 autos de infração e advertência, 121 abates sanitários efetuados e 2.300 pessoas atendidas em ações educativas de julho a dezembro de 2020. Além da fiscalização de 4289 ovinos e 948 equinos.

Os dados fazem parte do Programa Sentinela da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR) e foram apresentados nesta tarde (11) em reunião virtual do Comitê Consultivo do Programa, formado pelas forças de segurança pública, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Fundesa (Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal) e SEAPDR.

“O Programa Sentinela foi criado para reforçar as barreiras de fiscalização nas nossas fronteiras, muito importante no combate ao abigeato. Com a certificação do Estado Livre de Febre Aftosa, este programa também é responsável pela diminuição do risco sanitário”, destaca a secretária Silvana Covatti na abertura do encontro.

No ano de 2021, a fiscalização segue intensa, com aumento significativo de denúncias, flagrantes, apreensões e abates sanitários (286). “Apesar de termos tido neste ano uma diminuição das ações ostensivas, a efetividade tem sido maior, demonstrando uma evolução da atividade, realizada com mais inteligência e com apoio das forças de segurança”, avalia o coordenador do Programa Sentinela, Francisco Lopes.

A Superintendente do Mapa no Rio Grande do Sul, Helena Ruggeri, ressalta que o Programa Sentinela precisa ser cada vez mais fortalecido, com apoio jurídico e das forças de segurança pública.

“Nós esperamos que o Programa se consolide, avance e seja perene. Temos sido um parceiro efetivo do Sentinela em suas ações. Todos somos responsáveis pela defesa sanitária do nosso Estado e precisamos dar o apoio necessário, ainda mais agora que o Rio Grande do Sul está na iminência de ser área livre de aftosa internacionalmente”, destaca Rogério Kerber, presidente do Fundesa.

O Coronel Távora, coordenador do Centro de Operações do Comando Militar do Sul, afirma que “juntos somos mais fortes”. Segundo ele, esta parceria entre as instituições é muito importante para o sucesso das ações e do Programa.

O Programa Sentinela abrange uma área de 72.437 quilômetros quadrados de fronteira, incluindo 59 municípios, 64.842 propriedades e um rebanho estimado em 4.466.144 bovinos.

As reuniões do Comitê devem acontecer de forma periódica. Participaram da reunião do Comitê: SEAPDR, Defesa Civil, Secretaria de Segurança Pública através da Brigada Militar, Comando Rodoviário Estadual e Polícia Civil, Comando Militar do Sul, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e Fundesa (Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal).

Por: Maria Alice Lussani /Ascom SEAPDR

Imagens: Divulgação/SEAPDR

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em. Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies