TSE divulga campanha de segurança do processo eleitoral

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luis Roberto Barroso, divulgou a campanha de segurança, transparência e auditabilidade do processo eleitoral brasileiro. O objetivo do TSE é responder questionamentos a respeito da confiança em urnas eletrônicas. Durante a divulgação, o ministro destacou que o atual sistema eleitoral do Brasil é seguro. “Historicamente nós tivemos problemas na contagem do voto em urnas que apareciam engravidadas com votos que não haviam sido colocadas pelos eleitores, tivemos problemas pavorosos na contagem dos votos de papel, de modo que o advento das urnas eletrônicas mudou a qualidade da democracia no Brasil”.  O vídeo da campanha foi apresentado pelo presidente do Tribunal. “O Brasil tem, provavelmente, o melhor sistema eleitoral do mundo. Há 25 anos nós adotamos, pioneiramente, um sistema de urnas eletrônicas”. O ministro também anunciou a criação de uma comissão externa, que pode acompanhar as etapas do processo eleitoral, incluindo representantes de universidades e parlamentares do Congresso Nacional. Ele ainda afirmou que desde que as urnas eletrônicas começaram a ser utilizadas, não houve nenhuma fraude comprovada nas eleições brasileiras. Durante a divulgação da campanha, Barroso comentou os pedidos do Governo Federal para a volta dos votos impressos. É que o presidente Jair Bolsonaro acredita que a urna eletrônica pode ser invadida por hackers, mas Barroso assegurou que isso não vai acontecer e que, por enquanto, o voto impresso não vai ser colocado em prática nas eleições brasileiras. “Não é meu papel polemizar com o presidente, ele tem o direito de pensar e se expressar como lhe pareça bem. Nós apenas cuidamos de demonstrar o que é e como funciona. A verdade é que o TSE cumpre a Constituição, a lei e as decisões do STF”.  Barroso ainda ressaltou que o Brasil conta com 500 mil urnas, que durante o transporte têm segurança das Forças Armadas. Ele reforçou os perigos do voto impresso.  “Quando o Supremo declarou a inconstitucionalidade, ele declarou um perigo no voto impresso, que é a quebra do sigilo do voto. É preciso lembrar que esse é um país em que até o painel secreto do Senado foi violado numa votação”.  O vídeo institucional da campanha está disponível nas redes sociais do TSE. E se você receber qualquer notícia duvidosa sobre o processo eleitoral brasileiro, entre no site do Tribunal e cheque as informações direto da fonte.

Por Luis Ricardo Machado
Rede de Notícias Regional /Brasília
Crédito da foto: Fellipe Sampaio /SCO/STF

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em. Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies