Consumidores latino-americanos: como eles usam os buscadores on-line?v

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Pesquisa mostra que a primeira página é essencial para atraí-los.

As ferramentas de busca na internet são cada vez mais importantes tanto para as pessoas quanto para as empresas, que conseguem chamar a atenção para seus produtos e serviços pelo Google, por exemplo. Esse mercado é tão vasto que existe, inclusive, agência de SEO para criar e promover estratégias para isso.

Entretanto, o comportamento do consumidor quanto a essas ferramentas de busca também muda de região para região, uma vez que a maneira de pesquisar e, principalmente, lidar com os resultados, depende de inúmeros outros hábitos de consumo.

Uma pesquisa sobre o cenário de SEO na América Latina, encomendada pela Sherlock Communications e realizada pela Toluna, mostra exatamente isso: as particularidades que a população latino-americana tem ao lidar com os mecanismos de busca em comparação a outras localidades. Mas as diferenças também ocorrem dentro da própria região. Acompanhe!

Primeira página

De acordo com a pesquisa, a principal marca de comportamento latino-americano é a importância da primeira página de resultados. Segundo os dados 45% dos latino-americanos não clicam além da primeira página quando pesquisam ou compram algo pela internet. E mais, 64% disseram que nunca nem passariam da terceira página, não importa o que estejam procurando.

Quando o item tem valor significativo, as chances de as pessoas buscarem resultados nas páginas seguintes é maior, mas mesmo assim não é algo relevante para a maior parte das pessoas. Isso mostra novamente a importância de estar na primeira página.

Três primeiros resultados

E se, além de estar na primeira página, a posição dos resultados também aumentar ainda mais essa disputa? A pesquisa também mostra que 18% dos entrevistados latino-americanos focam apenas nos três primeiros resultados mostrados, vendo o resto apenas se esses primeiros não atingirem suas expectativas.

Assim, a competição fica ainda mais acirrada, já que mesmo estando na primeira página, nem todo mundo irá olhá-la por completo, parando ali nos primeiros resultados. Vale lembrar que a pesquisa foi feita desconsiderando os anúncios pagos, que ficam no topo da página, dessa forma, os três primeiros resultados orgânicos são os que chamam mais atenção.

Posição zero do Google

Desejada por todos, a posição clique-zero do Google, é realmente vista como principal para algumas pessoas. Cerca de 42% das pessoas que participaram da pesquisa, de todos os países da América Latina, dizem aceitar a resposta dada pelo Google na posição zero.

Argentinos e brasileiros são as populações com maior taxa de aceitação desse conteúdo, com 47% e 45%, respectivamente. Chilenos também tendem a aceitar os resultados, mas 12% dizem que nunca aceitariam de prontidão o que é mostrado. De acordo com a pesquisa, eles têm a tendência de clicar no link para verificar a informação e, depois, ainda visitar outros sites.

Confiança no conteúdo

Como foi possível ver pelos dados, cada população tem um comportamento quando o assunto é confiança nos resultados. Os peruanos têm a maior taxa, cerca de 76%, e os chilenos são os que menos confiam, cerca de 60% sempre abrem links e procuram outras informações.

Outro ponto apresentado pela pesquisa é que sites de review tendem a ter mais confiança dos leitores, principalmente os brasileiros. Entretanto, não confiam tanto em blogs com essa temática, preferindo sites especializados.

Principais pontos sobre o Brasil

O Brasil foi o país mais populoso que participou da pesquisa, além de ser a região com maior crescimento de vendas online durante a pandemia, sendo que praticamente todos que passaram a comprar pela internet continuarão a fazer isso no futuro (cerca de 98% das pessoas entrevistadas).

Por isso, vale ficar de olho nas tendências da população:

  • 45% aceitam os primeiros resultados e 26% também visitam outros links depois;
  • 37% olham páginas depois da primeira quando o item tem valor mais alto;
  • Quando se trata de compra de passagem aéreas ou viagens, 28% olham apenas a primeira página e 29% vão para as próximas;
  • 33% olham apenas a primeira página para tomar decisões rápidas;
  • As fontes de informação com maiores taxas de confiança do brasileiro são sites de review (39%), sites oficiais da empresa (38%) e publicações de tecnologia (25%).

Fonte: Redação

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em. Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies