4 itens que podem prejudicar a Saúde Íntima Feminina

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Se você deseja saber como manter a sua saúde vaginal, confira alguns itens que devem ser evitados, bem como os cuidados necessários.

A saúde íntima depende de inúmeros fatores, como aspectos emocionais, hormonais, cuidados diários de higiene, lingeries e produtos íntimos (desde absorventes até sabonetes e métodos contraceptivos).

Usar calcinhas de materiais sintéticos e roupas muito apertadas, absorventes que agridam a região íntima, ter relações sexuais sem preservativo, ficar sentada por muito tempo, consumir alimentos gordurosos e processados frequentemente são alguns hábitos nocivos à vagina.

Ao prejudicar a saúde da sua vagina, uma mulher se torna mais propensa a contrair infecções e desenvolver doenças ginecológicas. Por isso, cresce a busca por produtos como a calcinha absorvente tecnológica, que garante uma boa absorção do fluxo menstrual e bastante conforto. Veja alguns itens que devem ser evitados para garantir que a sua vagina “respire” corretamente.

Sabonetes e lenços

A fim de manter a sua saúde ginecológica, é recomendado lavar a vagina apenas com sabão neutro e água. Isso evita desequilíbrios na microbiota da região e a proliferação de microrganismos causadores de doenças.

Por isso, é recomendado evitar sabonetes íntimos que alterem o pH dessa área e não sejam testados ginecologicamente. Mesmo encontrando os sabonetes neutros, é recomendado não utilizá-los diariamente, pois o excesso desse produto pode ter um efeito contrário e deixar a região mais vulnerável. Outra recomendação é evitar aplicar sabonetes íntimos diretamente na região íntima e utilizá-los mais para limpar a área externa.

Sabonetes usados no resto do corpo devem ser evitados na região íntima, pois eles causam bastante espuma e possuem pH alcalino, o que acaba retirando a proteção natural da pele.

Outros produtos que devem ser evitados ou usados apenas em situações emergenciais são os lenços umedecidos. Essa recomendação se justifica pelo fato de que, se usados com regularidade, esses lenços podem provocar irritações e secura na vagina, o que altera o pH e a lubrificação vaginal.

Absorventes

A saúde vaginal também pode ser afetada pelo uso recorrente de absorventes. Os internos não devem ser usados durante todo o ciclo, apenas em ocasiões emergenciais. Sobre os absorventes externos, o acúmulo de sangue neles já foi apontado como possível fonte de infecções provocadas por bactérias no canal vaginal.

Além disso, usar absorventes inadequados pode provocar coceiras, assaduras e intensificar o corrimento vaginal. Por isso, é recomendado procurar produtos que permitam uma boa circulação de ar na região íntima e absorvam o fluxo menstrual, como é o caso das calcinhas absorventes.

Roupas e lingeries

Também é preciso ter cuidado ao escolher roupas e lingeries. Quando muito apertadas, essas peças acabam prejudicando a circulação de ar na região vaginal, o que prejudica a saúde ginecológica.

No que se refere às lingeries, é importante dar preferência a tecidos como o algodão, que garante melhor respirabilidade da pele, e evitar tecidos como lycra, microfibra e seda, que dificultam a transpiração dessa área.

Além disso, é recomendado evitar peças como calcinhas fio dental, que costumam facilitar a ocorrência de infecção a partir da passagem de microorganismos entre o ânus e a vagina, além de favorecer a aparição da vaginose bacteriana.

Além disso, não é recomendado usar esse tipo de lingerie com frequência porque ela pode agravar problemas (como hemorroidas) e deixar marcas na pele da vulva e naquela próxima ao reto, o que pode provocar feridas e lesões. Os cuidados com a roupa íntima devem ser ainda mais importantes durante uma gestação.

Depilação

A depilação também impacta a saúde íntima da mulher. A retirada dos pelos favorece o crescimento de microrganismos nocivos associados a infecções. Além disso, quando realizada com gilete, a depilação destrói a camada protetora da pele e reduz a lubrificação natural da vagina.

O recomendado é não usar a gilete mais que uma vez por semana, para não causar irritações e coceiras. Também é importante não se banhar com água quente logo após realizar a depilação, pois isso fragiliza ainda mais a pele.

Fonte: Redação

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em. Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies