Texto da Reforma Tributária prevê isenção de impostos para mais de 16 milhões de brasileiros

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

A reforma Tributária, em tramitação no Congresso Nacional, promete liberar parte da população brasileira de pagar o imposto de renda para pessoa física, declarado todos os anos. De acordo com o texto apresentado pela equipe econômica do Governo Federal, mais de 16 milhões de contribuintes ficarão isentos de pagar impostos para a Receita Federal. Além disso, a medida, se aprovada no Congresso, vai beneficiar, também, mais de 23 milhões de aposentados e pensionistas do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), que se tornariam isentos. Quem explica a mudança na faixa de isenção proposta pela reforma Tributária é o secretário da Receita Federal do Ministério da Economia, José Barroso Tostes Neto. “Uma promessa do governo, que é a atualização da tabela progressiva mensal do imposto de renda pessoa física. A isenção, hoje, de R$ 1.903,98, passará para R$ 2.500 mil, um reajuste de 31.03%, alcançando 16.3 milhões de declarantes. Dos atuais 31 milhões de declarantes, 16 milhões passarão, então, a estar nesta faixa de isenção. Um aumento expressivo na faixa de isenção, possibilitando uma redução tributária e um aumento de disponibilidade de recursos para uma parte importante da população, que poderá dispor de maior recurso em face da desoneração tributária”, ressalta.Devido a isenção, a arrecadação tributária no país deverá cair, mas o governo já tem outras formas de compensação. O chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Rodrigues Malaquias, explica quais serão os impactos da reforma na arrecadação do país. “Com a atualização da tabela, mais contribuintes se tornaram isentos e tiveram sua incidência tributária reduzida. O centro de estudo estimou que o impacto para o ano de 2022, dessa atualização, será de R$ 13,5 bilhões. Em 2023 a arrecadação é menor, estimada em R$ 14,46 bilhões. A incidência dos dividendos também foi estimada pelo centro de estudos, e para o ano de 2022 nós estimamos que o valor a ser arrecadado com essa medida implica no acréscimo de receita na ordem de R$ 18,5 bilhões. Em 2023 esse acréscimo vai para R$ 54.9 bilhões”, analisa. O governo apresentou, até agora, dois textos que viabilizam a reforma Tributária. Um em formato de projeto de lei, entregue no ano passado, e outro em formato de Proposta de Emenda à Constituição (PEC), entregue neste ano. A previsão do governo é aprovar a reforma até o fim do ano.

Por Luis Ricardo Machado

Rede de Notícias Regional /Brasília

Crédito da foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em. Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies