Qual a diferença entre limpeza e esterilização?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Higienização é fundamental, mas varia conforme objetos e locais de trabalho; entenda como fazer limpeza e esterilização corretamente

Ter bons itens de higiene e limpeza é essencial para assegurar a saúde de todos. Após a pandemia de Covid-19, o cuidado com objetos e ambientes se redobrou. No entanto, nem sempre o uso de apenas um produto vai assegurar a remoção de todos os micro-organismos potencialmente perigosos de uma superfície.

Existem diferentes fases para deixar um ambiente limpo. Mas independentemente do método, ele só será eficaz com o uso de produtos em uma determinada concentração especificada pelo fabricante. Além disso, é fundamental que sejam regularizados para garantir a segurança.

Entenda agora a diferença entre os diferentes métodos de assepsia (antes da contaminação) e antissepsia (depois da contaminação):

Limpeza

A maior diferença entre os tipos de remoção de micro-organismos é o grau de eficácia. A limpeza, o mais comum no dia a dia, é o primeiro processo para eliminar sujidades. Seu foco é nas sujeiras visíveis, mas nesta fase é possível eliminar até 80% dos focos de contaminação.

O detergente utilizado na limpeza deve ser adequado ao tipo de resíduo que se deseja eliminar. Para gordura e proteínas, os melhores produtos são os com base alcalina; já os resíduos minerais precisam de detergentes ácidos. Mas há alguns produtos que conseguem limpar diferentes superfícies.

Desinfecção

É o uso de produtos específicos para inativar de maneira irreversível ou eliminar fungos e bactérias (não necessariamente o esporo, a camada que protege algumas bactérias) em um determinado período, normalmente de 10 minutos. A desinfecção é o segundo processo de higienização, portanto não pode ultrapassar a limpeza.

Os produtos mais comuns na desinfecção são a água sanitária/hipoclorito de sódio, o álcool 70 e o dióxido de cloro. O álcool precisa ter a concentração de 70% para ser eficaz na limpeza, além de ser friccionado durante a aplicação. Ele começa a fazer efeito após 30 segundos de sua aplicação.

A desinfecção é mais recomendada para ambientes de saúde, como hospitais e clínicas; restaurantes e locais com grande circulação de pessoas, como shoppings centers.

Esterilização

É a destruição de todos os micro-organismos de uma superfície, incluindo bactérias esporuladas, por meio de processos químicos e físicos. Ela é mais comum entre profissionais que utilizam produtos de contato direto com diferentes clientes, como manicures e odontologistas. Por ser uma remoção muito mais forte, ela precisa de equipamentos específicos, como a autoclave.

Existem diferentes métodos de esterilização. Os físicos são feitos com o aumento de temperatura, como flambagem, fervura, calor seco e calor úmido (que inclui a autoclavagem). Já os químicos requerem uso de substâncias, como o gás óxido de etileno, glutaraldeído, formaldeído e ácido paracético.

A esterilização deve ser feita após a limpeza e a desinfecção. Mesmo que tenha potencial para exterminar todos os micro-organismos, nenhum objeto deve ir à autoclave sem passar pelos dois métodos antes.

Locais que trabalham com superfícies que precisam de esterilização precisam de uma sala específica para realizar o processo com segurança.

Higienização

É o processo de limpeza seguido de desinfecção. Como a esterilização é mais comum em ambientes de saúde e beleza, a higienização é a mais praticada em ambientes que desejam eliminar por completo os focos de contaminação.

Sanitização

Mais comum em indústrias alimentícias, a sanitização é a redução de organismos críticos para a saúde pública até um nível seguro, sem prejudicar a qualidade do alimento. Para tal, prevê o uso de produtos sanitizantes focados justamente na eliminação desses micro-organismos específicos.

A sanitização se tornou mais frequente em outros ambientes após o surgimento do coronavírus. O padrão para superfícies de contato com alimentos é de 99,999% de micro-organismos eliminados em 30 segundos. Já para superfícies sem contato, 99,9% em 30 segundos.

Fonte: Redação

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em. Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies