Gre-Qua de encontros, gols e solidariedade no Honório Nunes

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Uma tarde de nostalgia, mas também de celebração ao futebol, sua história e a mística de camisas. Foi a primeira vez na história que um clássico Gre-Qua uniu colorados e rubro negros em prol da solidariedade. Assim foi o domingo dos envolvidos e participantes do Gre-Qua da Solidariedade no Estádio de Honório Nunes.

A programação começou cedo com a chegada do público que prestigiou o confronto do encontro de másters.

A Ser Barcelona enfrentou os amigos do Edmilson, formado por jogadores da cidade e do União Carneiro de Lajeado. Os amigos jogaram melhor o primeiro tempo e abriram vantagem de quatro gols. No segundo tempo a Ser Barça reagiu e equilibrou as ações e num jogo de oito gols os Amigos venceram por 5 x 3.

Clássico

Já com o estádio revivendo a mística do clássico com torcidas de Grêmio e 14 de Julho ocupando os mesmos lugares nos tempos dos profissionais, marcando território com bandeiras e cânticos que foram ecoados igual aqueles anos de glória, Grêmio e 14 de Julho entraram em campo. De um lado um Grêmio Santanense que manteve base do time dos anos 90, com Dalmoro, Jair e Sandro, Paulo Rogerio e o capitão Fabio Zambiasi. Edmilson na frente da zaga, Noronha no meio campo e Alexandre, Roberto Pires e Mauro no ataque. Já o 14 era um compilado de jogadores de diferentes gerações, com Borges e Valmir dos anos 70, Chiquinho e Careca dos anos 80 e Xavier, Keno dos anos 90 sendo a base do time. Saul Xavier e Júlio Batisti ocupavam a casa mata e Júlio Rosa voltou a dirigir o Colorado. O técnico não pode contar com Pino, que compareceu mas não jogou. O jogo começou com o 14 de Julho tendo mais volume, mas o Grêmio era mais efetivo. Não demorou para Roberto Pires ser lançado na direita e cruzar. A bola bateu no defensor e Noronha se antecipou ao goleiro Fabio e desviou para o gol. Eram 13min e o Grêmio abriu o placar. O Leão empurrou Keno para o ataque para tentar o empate e aumentou o volume de jogo do Leão.  Aos 40min, porém, o goleiro Fabio errou a reposição e deu um presente para Roberto Pires dentro da área. Ele driblou o goleiro e ampliou para o Grêmio. No segundo tempo o 14 adiantou o time, mas a defesa do Grêmio fechava os espaços e defendeu bem sua vantagem e ainda manteve a velocidade de contra ataque com Alexandre e Pires. E foi numa troca de passes de Morelli e Marcelo Pons que a bola chegou a Alexandre. Ele driblou o marcador e serviu Noronha que fez 0 3 x 0. O 14 teve três chances na bola parada e acertou o poste de Dalmoro num cabeceio de Anderson. Mas o gol não saiu. A vitória foi colorada mas o golaço da tarde foi marcada pelo público que doou mais de 600 quilos de alimentos para famílias carentes. Depois do jogo os reencontros continuaram entre os atletas e técnicos como Carlos Wallace, que prestigiou o Gre-Qua. Entre os dirigentes se destacaram as presenças do presidente Luís Paulo Dutra, do Grêmio e diretor Décio Schwingel do 14. A confraternização continuou a noite com um jantar entre os másters em um restaurante da cidade.

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em. Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies