Real se desvaloriza em outubro

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

O que fazer com a desvalorização do real? Como fica o nosso país? Entenda mais sobre o assunto!

Em virtude das incertezas políticas e vários outros fatores, o real tem se desvalorizado. Com isso, comprar dólar ficou mais caro. Portanto, se você vai viajar para o exterior, por exemplo, precisa rever o seu orçamento e acompanhar de perto essas mudanças. Como o Brasil depende muito de investimentos do exterior para captar dólar, a moeda brasileira costuma ser afetada pelo que acontece lá fora.

Nesse sentido, quando o mundo não está disposto a correr riscos, os investidores estrangeiros retiram seus recursos dos países emergentes, como é o caso do Brasil, e os aplicam em mercados que consideram mais seguros, mesmo que o retorno seja menor.

Logo, com menos dólares circulando no país, os preços tendem a subir. Continue a leitura e saiba como tudo isso reflete no Brasil.

Quais moedas mais se desvalorizaram junto ao o real?

Em outubro, o real foi a quarta moeda que mais se desvalorizou frente ao dólar no mundo. O ranking ficou assim:

  • 1º lugar: libra — Sudão do Sul – 57%
  • 2º lugar: rúpia — Ilhas Seychelles – 14,4%
  • 3º lugar: lira — Turquia – 7,5%
  • 4º lugar: real — Brasil – 3,9%
  • 5º lugar: dólar — Jamaica – 3,2%
  • 6º lugar: peso — Uruguai – 2,4%
  • 7º lugar: birr — Etiópia – 2,2%
  • 8º lugar: quacha — Zâmbia – 2,1%
  • 9º lugar: rúpia — Paquistão – 2%
  • 10º lugar: iene — Japão – 1,8%

O que isso significa para o Brasil?

Embora a desvalorização do dólar seja uma situação preocupante, ela traz algumas oportunidades para os brasileiros — sim, você leu certo! A seguir, veja quais são elas.

Turismo

Realmente, comprar dólar para viajar para fora do país ficou mais caro com a desvalorização do real. No entanto, se olharmos para o turismo nacional, ele é beneficiado, uma vez que muitas pessoas deixaram de viajar para o exterior e optaram por conhecer as belezas nacionais, o que beneficia a economia do país.

Exportações

A economia do Brasil é muito centrada nos produtos vendidos para o exterior, como a soja, o ferro, a carne, o papel, entre outros. Para você ter noção, somos o 4º maior produtor de grãos do mundo, ficando atrás apenas da China, dos Estados Unidos e da Índia.

Nesse sentido, os exportadores, assim como a economia nacional, podem se beneficiar da desvalorização do real, uma vez que essa depreciação torna os preços das exportações mais atrativos externamente e, com isso, há uma procura maior pelos nossos produtos.

Mercado Interno

A desvalorização do real pode ser uma ótima oportunidade para otimizar o desenvolvimento do mercado interno, uma vez que os produtos e serviços internacionais se tornam mais caros. Vamos usar como exemplo o Mailchimp, disparador de e-mail marketing. À medida que o dólar fica mais caro, a ferramenta se torna inviável para muitas empresas.

Nesses casos, soluções brasileiras ganham a oportunidade de oferecer os mesmos serviços por um preço mais acessível — e o melhor disso é que a empresa contratante consegue ter uma previsão de seus custos, pois não estará à mercê da variação cambial.

É normal sentir um certo receio quando vemos que a política do país não vai tão bem quanto esperamos, pois isso reflete diretamente na nossa economia. No entanto, é importante manter a calma e avaliar o que pode ser feito para minimizar os impactos de um cenário negativo.

Se os seus planos precisarem ser adiados, não se preocupe. O importante é não se desesperar e tomar decisões que podem comprometer as suas finanças e qualidade de vida. Nem tudo podemos controlar, por isso, é fundamental estudar sobre o tema e entender quais são as opções mais viáveis que podem ajudar você a não sair no prejuízo.

Fonte: Redação

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em. Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies