Diferença de tilápia, saint peter e panga

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Descubra as diferenças entre as três espécies de peixes comestíveis

A tilápia, saint peter e panga são peixes bem conhecidos pelos brasileiros (ainda mais se você vive na região Norte do país). Mesmo assim, muitos confundem ou não sabem a diferença entre um, ou outro. Isso ocorre pela semelhança externa e interna — visto que a carne dos três possui coloração parecida.

Por isso, no momento de comprar peixe é preciso conhecer a diferença entre as três espécies, pois assim, a sua receita será ainda mais bem sucedida. Confira abaixo as características de cada um, origem e peculiaridades. Vamos lá?

Tilápia

O nome tilápia, na verdade se refere a várias espécies de peixes, principalmente de água doce que pertencem à família dos ciclídeos. Embora a tilápia selvagem seja nativa da África, o peixe foi introduzido em todo o mundo e agora é cultivado em mais de 135 países — inclusive no Brasil.

É um peixe ideal para a criação porque não se importa de estar com outros peixes, crescem rapidamente e consomem uma dieta vegetariana barata. Essas qualidades traduzem em um produto relativamente barato em comparação com outros tipos de frutos do mar.

Os benefícios e perigos da tilápia dependem das diferenças nas práticas agrícolas, que variam conforme o local. A China é o maior produtor mundial de tilápia: com mais de 1,6 milhão de toneladas métricas anualmente.

A tilápia é uma fonte de proteína bastante impressionante. Em 100 gramas, por exemplo, contém 26 gramas de proteína e apenas 128 calorias.

Além disso, é surpreendente a quantidade de vitaminas e minerais neste peixe. Em sua composição, a tilápia apresenta niacina, vitamina B12, fósforo, selênio e potássio. Na mesma porção de 100 gramas, contém o seguinte:

  • Calorias: 128;
  • Carboidratos: 0 gramas;
  • Proteína: 26 gramas;
  • Gorduras: 3 gramas;
  • Niacina: 24% do RDI;
  • Vitamina B12: 31% do IDR;
  • Fósforo: 20% do RDI;
  • Selênio: 78% do RDI;
  • Potássio: 20% do RDI.

Saint peter

O peixe de São Pedro caracteriza-se por ter um corpo comprimido lateralmente com um dorso alto, mandíbulas altamente proeminentes e agulhas em suas nadadeiras fortes e longas. A coloração é entre cinza e amarelo com manchas borradas em ambos os lados do corpo.

Seu tamanho máximo é de 50 cm. O peixe de Saint Peter vive em leitos arenosos, desde a superfície continental até 200 m de profundidade. Os alevinos são encontrados perto de áreas rochosas no verão, onde as algas crescem.

Este é um animal que vive sozinho ou em pequenos grupos e às vezes é gregário (com sardinhas, por exemplo). Alimenta-se de pequenos peixes e lulas, portanto, é considerado carnívoro. Pode descansar na cama e agitar seus filamentos dorsais, usando-os como isca.

O peixe Saint Peter deve o seu nome à mancha redonda que tem de cada lado e que, segundo a tradição, representa a marca dos dedos do Apóstolo Pedro, que apanhou o animal por ordem de Cristo para lhe tirar a moeda de ouro da boca para pagar os impostos.

Panga

Panga é o nome sul-africano comum para Pterogymnus laniarius, um pequeno peixe que habita o oceano, nativo do sudeste do Oceano Atlântico e sudoeste do Oceano Índico.

Essa espécie é de sangue frio com carne branca. Suas escamas são geralmente de cor rosa com barriga esbranquiçada e listras verde-azuladas que percorrem a parte lateral do seu corpo.

O peixe Panga é vendido como um filé de peixe linguado em muitos países — apesar de não ter nenhuma relação com essa espécie. Diferente de outros peixes, não é rico em gordura (ômega 3). Tem sua importação principalmente no Vietnã. Em 100 gr de peixe panga tem 19 gr de proteína e 79 cal de energia.

Fonte: Redação

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em. Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies