Promebo aposta em simplificação para ampliar uso de DEPs

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

A Associação Nacional de Criadores Herd-Book Collares (ANC) e o Programa de Melhoramento de Bovinos de Carne (Promebo) vêm investindo em uma série de ações voltadas para a simplificação do melhoramento genético. Depois do lançamento do sistema Origen, trabalham em uma nova ferramenta digital que ajudará o criador a eleger os melhores acasalamentos para seu rebanho. “O acasalamento dirigido ajuda a corrigir deficiências ou a aprimorar características importantes para os criatórios”, explicou Fernando Cardoso, Chefe Geral da Embrapa Pecuária Sul e consultor de genética do Promebo. Hoje, esse processo é feito de forma mecânica por meio da análise manual das Diferenças Esperadas na Progênie (DEPs). Com o projeto, o Origen irá sugerir touros para uso de acordo com os propósitos de cada criatório.

Outra tendência de simplificação da seleção, citou Cardoso, é feita por meio do uso de selos que aglutinam características, como o Selo Seleção Qualidade de Carne, e outros que estão em desenvolvimento para tornar a escolha do pecuarista mais intuitiva. “Antes de entrar na mangueira, recomendo que se aparte o gado pelas DEPs. Depois, o olho pode vir como o ajuste fino”, frisou.

A simplificação do uso de dados dos reprodutores norteou o debate do 1º Fórum Promebo na Prática, realizado nesta terça-feira (28/06) na Associação Rural de Pelotas (RS), que também apresentou cases de criatórios que trabalham com o Promebo. O evento, realizado pela ANC e pelo Promebo, reuniu criadores de diferentes raças em um encontro híbrido e de muita interação. Além do debate teórico, a inovação ficou por conta da demonstração prática, com a presença de gado das raças Angus, Devon, Charolês e Braford. Foi detalhado o processo de ultrassonografia de carcaça e feita avaliação de genótipo e fenótipo de maneira concomitante.

Apresentando os ganhos do Promebo dentro da porteira, o pecuarista Paulo Azambuja destacou os resultados obtidos com o programa na Fazenda Santa Tereza, de Arambaré (RS). Segundo ele, na propriedade, a avaliação genotípica anda ao lado da fenotípica. “Isso vem junto com o uso da avaliação fenotípica realizada na mangueira para fazer com que a linha de chegada tenha maior acurácia e permita maximizar o uso de indivíduos superiores nos acasalamentos”. Resultados compartilhados pelo criador Fernando Gonçalves, da Fazenda Santa Cecília, de Santiago (RS), que também relatou os ganhos obtidos ao longo dos últimos anos.

Segundo o presidente do Conselho Técnico da ANC, Flávio Alves, os cases mostram a história de propriedades comprometidas com o melhoramento genético e não com questões comerciais, que sabem a importância de avaliar machos e fêmeas para garantir o avanço constante do rebanho. “Esse evento vem sendo pensado há muito tempo e é inédito porque integra teoria e prática, mostrando a verdadeira importância do Promebo para a pecuária: produzir um gado melhor a cada geração”.

Fernando Cardoso ainda defendeu o uso do Percentil para a seleção de reprodutores no programa de melhoramento. O indexador determina a posição do animal na sua geração e ajuda na hora de definir acasalamentos uma vez que indica com maior precisão touros e ventres superiores em determinadas características. Responsável pelo processamento dos dados do Promebo, Cardoso salientou que a Embrapa dá subsídios, mas que a tomada de decisão deve ser feita pelo criador. Além das DEPs, citou ele, é importante olhar para a acurácia, índice de assertividade dos dados ofertados. “A acurácia não é critério de seleção, mas de intensidade de uso”, indicou, lembrando que o pecuarista pode testar um touro de acurácia baixa, mas, na hora de fazer uso em larga escala, o mais aconselhável é optar por exemplares com acurácia acima de 0,7.

Cardoso recomendou que o criador também atualize indexadores semanalmente de forma que a tomada de decisão seja feita com os dados disponíveis no Origen na versão mais atualizada possível. “Quando for comprar um reprodutor em um leilão, estude o catálogo, faça suas marcações”, recomendou.

Na foto: animais da raça Devon em pista

Crédito da foto: Carolina Jardine

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em. Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies