Países já estão alterando a legislação para receber carros autônomos

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Carros que não precisam de motoristas já são realidade no Reino Unido, com projeção de chegar ao final deste ano às ruas da Grã-Bretanha

A tecnologia tem avançado cada vez mais, e a olhos vistos. O que antigamente era coisa somente de filmes de ficção científica, hoje já está se tornando realidade. Uma destas inovações é o carro autônomo, ou seja, que não precisa de um motorista guiando.

Esse tipo de tecnologia já é utilizada em alguns trens; entretanto, eles estão em um ambiente mais controlado, sem diversos fatores que podem atrapalhar a condução. Entretanto, nas estradas, o cenário muda drasticamente, porque o computador precisa lidar com situações que nem sempre são previstas.

Apesar de ser um mercado extremamente emergente, as fabricantes de carros autônomos têm crescido a olhos vistos. Segundo algumas projeções realizadas no Reino Unido, as empresas deste setor, em 2035, poderão valer cerca de 900 bilhões de libras ao redor de todo o mundo.

Mas voltando para o presente, o primeiro teste utilizando um carro autônomo já foi realizado com sucesso. O Nissan LEAF viajou 370 quilômetros em estradas convencionais, com carros normais, desde o centro técnico europeu da montadora japonesa, em Cranfield, no Sul da Inglaterra, até a sua fábrica, em Sunderland, no Nordeste do país.

Este teste foi essencial para mostrar como a tecnologia tem avançado, ao ponto de permitir um trajeto deste porte, em condições naturais, para um equipamento ainda em fase de estudos. Isso somente aumenta a confiança dos montadores sobre o veículo.

Pensando justamente nesta revolução, o governo do Reino Unido já anunciou mudanças no Código de Trânsito para delimitar as obrigações dos motoristas deste novo tipo de veículo, como reassumir o controle do carro de forma rápida, sempre que solicitado, principalmente quando sair de um espaço rodoviário.

Outro ponto que vai ser alterado é que, enquanto o piloto automático estiver acionado, o condutor pode ter acesso liberado a entretenimento em telas integradas no veículo. Entretanto, o uso de celulares continuará expressamente proibido.

Essas mudanças estão sendo realizadas, por conta de que pretendem lançar uma nova frota de carros autônomos para transitar nas ruas da Grã-Bretanha até o final deste ano, e portanto, as alterações no código de trânsito precisam ser rápidas e assertivas.

Esse tipo de tecnologia não vai alterar somente a forma como os motoristas conduzem seus veículos, mas também todo o mercado de compra e venda de automóveis. Em breve, poderemos comprar ou alugar carros autônomos, sejam eles zero quilômetro ou até mesmo mais em conta, como os seminovos.

Não somente isso, mas a possibilidade de conforto máximo dentro de um carro, mesmo estando em um trânsito gigantesco, pode mudar a forma como encaramos a condução dos veículos, e até mesmo o comportamento nas ruas das grandes cidades.

Porém tudo isso é somente especulação, mas podemos ver que não irá demorar até vermos os efeitos práticos de todas essas mudanças na tecnologia que vêm acontecendo nos últimos anos.

Fonte: Redação

Crédito imagem: divulgação istock

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em. Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies