Como funcionam os ensaios de dureza?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Saber a qualidade de peças de mecânica é um fator muito importante para o uso dessas em um projeto de engenharia, pois pode permitir maior segurança e praticidade no uso das peças, além de também oferecer credibilidade para o produtor dessas peças. Os ensaios de dureza são uma das formas de garantir que não há problemas com as peças mecânicas e conferir sua resistência, durabilidade e outros fatores importantes antes de colocá-las à venda no mercado.

Muitos setores, como o da caldeiraria e automotivo, dependem dos ensaios de dureza para conferir a qualidade das peças produzidas. O conceito de dureza é muito importante para determinar a resistência que um material apresenta ao risco ou à deformação permanente, especialmente quando esse material é pressionado contra outro material resistente. Em geral, o conceito pode mudar dependendo de seu contexto e setor.

Existem diferentes tipos de ensaio de dureza, cada um servindo seu próprio propósito que é ideal para certos tipos de peças e setores, enquanto outros são adequados para determinados tipos de serviços. O mais importante é que as empresas fornecedoras de peças mecânicas compreendam a necessidade de incluir os ensaios de dureza no processo de construção de suas peças, garantindo assim a funcionalidade de seu produto e a segurança do futuro consumidor ou do projeto de engenharia onde a peça será aplicada.

Qual o conceito de dureza?

O conceito de dureza pode ser óbvio com seu nome, mas de forma básica ela pode ser determinada como a propriedade que determina o quão resistente ela é quando existe deformação plástica permanente, pressão entre duas peças de material pesado, além de penetração, risco, flexão, abrasão ou corte. Esse conceito faz de um material menos elástico e mais frágil, porém torna ele muito mais resistente ao desgaste, o que é ideal para certos tipos de peças.

Ou seja, a dureza maior de um material faz com que ele tenha menor elasticidade e maior fragilidade, porém quando colocado sob pressão e contra outras peças, se desgasta bem menos que peças com dureza menor. Sob impacto, essas peças podem se quebrar mais facilmente. A dureza maior ou menor deve ser determinada como benéfica pelo produtor, já que cada peça possui sua própria função futura e o nível de dureza pode variar dependendo disso.

Os setores em que os ensaios de dureza são feitos normalmente determinam o nível de dureza que eles necessitam. Por exemplo, na usinagem mecânica a peça precisa ser uma resistência ao corte, já na mecânica para determinação a peça precisa de resistência à penetração, na mineralogia o ensaio de dureza é usado para a resistência ao risco e na metalurgia para a resistência à deformação plástica localizada e ao desgaste.

O que é um ensaio de dureza?

O ensaio de dureza é um método aplicado pelos setores antes mencionados para determinar a qualidade das peças segundo a dureza, que é determinada como a resistência de uma peça segundo o tipo de aplicação dela contra certos tipos de ações. Já que em cada setor a peça é utilizada de uma forma diferente, cada ensaio de dureza deve ser feito de maneira diferente e cada dureza varia entre as peças e suas funções.

Para que serve o ensaio de dureza?

Durante o ensaio de dureza, seus objetivos principais são ter certeza que a peça atende aos objetivos do trabalho onde ela será aplicada, as normas de segurança e as regulamentações da lei. 

A aproximação da resistência mecânica e desgaste também são outros fatores que dependem do ensaio de dureza. Esses ensaios também garantem a qualidade e garantia da peça.

Os produtos de uma linha de produção que visam ser de qualidade precisam passar por esses ensaios de dureza usando os métodos conhecidos. Sem eles, não é possível garantir segurança ao consumidor.

Quais os tipos de ensaios de dureza?

Existem diferentes tipos de ensaio de dureza realizados pelos setores que trabalham com peças. Entre eles, devemos mencionar os principais, que são:

  • Método de Brinell (HB);
  • Método de Vickers (HV);
  • Método de RockWell (RC, HRA, HRB, HRC).

No exemplo do ensaio de Brinell, a peça passa por um processo que consiste em endentar o material com uma esfera de metal endurecido com 10mm de diâmetro, além de uma carga de 3 toneladas ao todo. Essa carga é aplicada por apenas 10 ou 15 segundos no caso de aço e ferro fundido, enquanto ela é aplicada por 30 segundos em outros tipos de metal.

A maioria dos ensaios de dureza conta com a pressão contra a peça e a penetração ou tentativa de fazer isso através de uma ponta. A medida de dureza é dada através da carga aplicada ou das marcas sofridas durante o processo. É preciso notar que nenhum dos métodos de ensaio de dureza são destrutivos, eles deixam apenas pequenas marcas na peça e não devem comprometer seu uso.

Fonte: Redação

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em. Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies